Category: Para Começar o Dia

Quem você é, quando ninguém te olha?

Sim! Esta é uma daquelas perguntas que se realmente dermos a atenção que ela merece, se torna muito profunda… E vale a pena este mergulho! Quem você é (exatamente) quando ninguém está te vendo? Quando está realmente sozinho e pode ser você, apenas com você?

Eu já sorri no palco, já gritei alto e motivei pessoas e ao descer, tudo o que senti foi tristeza. Já recebi pessoas com alegria, enquanto a minha vontade era apenas de estar sozinho no silêncio e algumas vezes olhando para as redes sociais das pessoas, vejo tanta confiança, alegria, entusiasmo “e” até uma vida próspera, mas muitas que conheço vivem na “escassez”, estão lutando contra uma depressão ou seus casamentos são apenas para “manter as aparências”.
E meu objetivo aqui hoje nem é apontar dedos ou dizer como as pessoas deveriam se comportar, mas sim para trazer uma reflexão de como realmente desejamos viver quando estão nos olhando e quando estamos sozinhos! Eu cada vez mais sinto que a minha vida é uma só, até porque falo em meus textos, nos podcasts e principalmente no meu grupo vip do Telegram ( https://t.me/joinchat/TOpWj6IyhYuj3Mn4 ) quando não estou bem e até me me sinto triste, pois não sou diferente de ninguém! Tenho sentimentos como todos, dias maravilhosos e “menos bons” e acredito que está tudo certo ser assim. Ok, talvez eu tenha mais recursos despertos, por ser terapeuta, porém nem sempre os uso com a mesma habilidade que utilizo com um cliente com quem não estou envolvido emocionalmente.
Eu acredito (e muito) que quanto mais você estiver alinhado com a ideia de ser apenas um, mais próximo dos momentos felizes você estará, compreende isso? É cansativo manter uma “persona” para cada episódio da sua vida! Ser você mesmo em tempo integral é mais tranquilo e desta forma inclusive pode avaliar quem realmente é “ou” quem deseja ser. Parece complicado, mas não é!
Veja! Tem pessoas que são nas redes sociais (por exemplo), incríveis, amigas, amantes dos animais, parceiros mais que perfeitos e “vendem” a ideia de quem vivem dentro de um mundo incrivelmente foda! E porque fazem isso? Talvez para serem aceites, para se sentirem pertencentes a determinado grupo, mas de que adianta estas pessoas viverem assim nas redes sociais e viverem um caos no dia a dia, no que acreditam ser a sua realidade.
Eu faço terapia! Sim. Preciso me entender, para entender as pessoas! Eu ouço podcasts diariamente para aprender com outras pessoas, preciso me atualizar. Todos os meus finais de semana até Agosto estão preenchidos com formações, pois para ensinar, preciso continuar aprendendo e nem sempre tenho dinheiro para fazer tudo o que quero! E às vezes acordo em uma quarta-feira qualquer com vontade de cancelar a minha agenda toda e não fazer nada e faço isso e nem telefones atendo. Entende onde quero chegar aqui? Às vezes a minha esposa diz que não me entende e respondo: “Nem eu me entendo!” (Rindo alto).
Minha dica aqui é que se observe! Olhe com atenção para as suas sensações quando estiver sozinho, para os seus pensamentos e principalmente para as suas ações. Uma vez falando em uma aula de “Auto-Hipnose” sobre congruência, um aluno disse para todos ouvirem: “Eu faço parte de um movimento que ajuda idosos e “SÓ” o faço, porque consigo ganhar mais mulheres com atitudes assim!” e imediatamente eu bati palmas para ele e ninguém entendeu! Mas não estava aprovando a sua atitude e sim a sua coragem em se expor e com voz trémula contar isso.
Quantos de nós não fazemos publicamente apenas para agradar? Para nos sentirmos inseridos, quem sabe até para nos sentirmos amados? Vale aqui ressaltar que todas as vezes (na minha opinião) que nós conseguimos olhar com verdade para as nossas reais ações, aumentamos a chance de melhorarmos. Sou santo por isso? Sou melhor que você leitor? Óbvio que nãooooo!!! Claro que não! Mas sem medo de errar digo que quando temos a “sensibilidade” de olharmos para estas ações públicas e privadas, podemos fazer ajustes significativos e quem sabe provocar grandes mudanças em nossas vidas.
Enfim, a ideia maior com estes artigos que solto às terças e quintas é justamente fazê-lo pensar, refletir de forma mais profunda para provocar transformação! Afinal só você pode transformar.

Até o próximo,

Read More

Você escuta para responder ou para compreender?

Se analisássemos esta frase de forma mais profunda e entendêssemos, seria muito provável que resolvêssemos grande parte das questões de comunicação, pois em dias atuais tenho a impressão que a maioria das pessoas ouve apenas para responder, rápido, na hora e em muitos casos “me incluo” neste grupo, pois na velocidade que vivemos vamos apenas dando resposta às perguntas que vão surgindo.

Nos últimos meses tenho estado mergulhado em estudos profundos na intenção de melhorar os meus atendimentos terapêuticos e tudo isso tem me feito pensar “e” muito! E quando trago para o campo terapêutico tais reflexões, os meus clientes logo dizem: “Nossa… Nunca pensei nisso” e algumas das sessões logo se transformam em um papo filosófico interessante e rico.
Isso tudo me leva a pensar se não estamos cada vez mais “presos” no automático da vida e estamos deixando de lado a compreensão! Compreender pra quê? É mais fácil apenas “replicar”, porque eu vi no instagram alguém fazer e apenas pareceu legal. Será que deixamos de nos preocupar com a compreensão, com o “fazer sentido” e estamos cada vez mais nos tornando replicadores? Seres humanos que apenas replicam sem questionar o porquê? Quem sabe…. Talvez….
Mas sejamos sinceros aqui! Seria uma pena, não acham? Fazer porque a maioria está fazendo! Eu sempre gostei de pensar diferente, de agir na mão contrária e na minha adolescência, minha família dizia que eu era “o” rebelde, “o” estranho e até lembro de uma tia falar pra minha mãe que talvez ela devesse me levar para um psiquiatra! Talvez deveria mesmo rsssss! Mas acho que ser diferente é bom e no meu caso, até diria que é bom demais!!!!
Já não sigo a “manada” há muitos anos e isso sinceramente me faz bem e 22 anos ouvindo as pessoas falarem sobre as suas queixas emocionais acredito e muito que fui treinando a minha escuta terapêutica para compreender a fala das pessoas, para ouvir as suas dores, mesmo acreditando que a maioria delas ainda narra sua história muito no mental, sem falar do que está por trás da “questão”, mas tudo bem…. É para isso que estamos aqui, né? Para ouvir, compreender, interpretar e arrumar a melhor maneira de ajudar.
Por favor procure avaliar aí se está ouvindo apenas para responder ou realmente compreende o que lhe é dito! Às vezes acho que se todos se esforçassem para ouvir um pouco, pessoas seriam salvas, relações não se perderiam e filhos teriam um crescimento melhor! Inúmeras pessoas NÃO FALAM, elas pedem SOCORRO e por algum motivo não são ouvidas, talvez porque aquela pessoa apenas ouviu e quase que imediatamente respondeu! Pior, há pessoas que nem esperam você terminar uma fala e logo interrompem falando sem parar! Que pena isso.
Aprenda a ouvir para compreender! Isso pode fazer “a” diferença na sua vida e se compreendeu o que eu disse, escreva aí!

Fique bem e até o próximo e lembre-se:

Todas as segundas, quartas e sextas tem Podcast! Terças e Quintas, artigo e tudo isso para aumentarmos a nossa reflexão.

Read More

Alimente o “processo” e a distração morrerá de fome!

Acredito que inúmeras vezes você me ouviu falar sobre o perigo de nos distrairmos quando desejamos muito atingir um objetivo! Se já leu alguns dos meus livros, então já leu dezenas de vezes as palavras “distração” e “processo” e hoje quero lhe ajudar a realmente atingir os seus objetivos, então se tem interesse em saber porque algumas pessoas conseguem e outras vivem tentando e nem chegam perto, este artigo é para você! Deve ser um daqueles textões e começo dizendo – Foco! Não se distraia durante a leitura.

São quase 7h da manhã, estou no meu escritório ouvindo Vivaldi e escrevendo. Estou mergulhando “no processo” final e terças e quintas é dia de escrever artigo. Confesso que só consigo produzir tanto conteúdo como produzo e ainda fazer atendimentos terapêuticos online diariamente porque não me distraio. Pelo menos não tanto, mas quando me distraia, uiiii…. E acho que podemos começar por esse ponto!
De propósito, comecei a estudar porque algumas pessoas tinham ótimos resultados, enquanto outras viviam tentando e Alimente o “processo” e a
distração morrerá de fome!
Acredito que inúmeras vezes você me ouviu falar sobre o perigo de nos distrairmos quando desejamos muito atingirmos um objetivo! Se já leu alguns dos meus livros, então já leu dezenas de vezes as palavras “distração” e “processo” e hoje quero te ajudar a realmente atingir os seus objetivos, então se se tem interesse em saber porque algumas pessoas conseguem e outras vivem tentando e nem chegam perto, este artigo é para você! Deve ser um daqueles textões e começo dizendo – Foco! Não se distraia durante a leitura.
São quase 7h da manhã, estou no meu escritório ouvindo Vivaldi e escrevendo. Estou mergulhando “no processo” final terças e quintas é dia de escrever artigo e confesso que só consigo produzir tanto conteúdo como produzo e ainda fazer atendimentos terapêuticos online diariamente porque não me distraio. Pelo menos não tanto, mas quando me distraia, uiiii…. E acho que podemos começar por este ponto!
De propósito, comecei a estudar porque algumas pessoas tinham ótimos resultados, enquanto outras viviam tentando nada conseguiam (e eu estava neste segundo grupo) e penso que na época o que me fez fazer isso foi a minha enorme frustração! Todos, menos eu? Como estudava já Programação Neurolinguística, queria muito “modelar” pessoas que faziam acontecer e foi quando voltei de Nov Iorque (2011), depois de ter passado 4 incríveis dias com Tony Robbins, que compreendi o quão limitado eu estava e vivendo como a grande maioria das pessoas.
Depois desta época, entendi que existiam dois tipos de pessoas no mundo – As que faziam e as que não faziam e ponto final! E decidi ser a que fazia e ao invés de viver em um padrão de “reclamação”, lamentações e esperar o momento perfeito. Eu comecei a fazer com o que eu tinha em mãos (que na época era quase nada). Ficou muito, mais muito claro pra mim que eu estava sempre esperando o momento certo para fazer! “Quando eu mudar de cidade…. Quando eu tiver mais dinheiro…. Quando chegar o Verão… Janeiro com certeza vai!” E nunca ia para lado nenhum, pois nunca conseguia reunir as condições ideais para que a vida acontecesse, como eu desejava!
Aprendi que existem 3 pontos muito importantes que devemos ter claro e muito claro nesta vida, são eles – 1º Onde estamos (Ponto A) e quando digo onde estamos, quero me referir a todos os setores da vida! Onde você está neste exato momento da sua vida? E a melhor maneira de o fazer é comprar um caderno, escrever, desenhar, fazer notas extras e ser o mais verdadeiro possível, pois vivemos na maioria dos dias dentro de um “automático” que não nos permite enxergar! (Quer ver a ilha? Precisa sair dela).
2º Onde quer estar? (Ponto B) e neste caso jamais conseguiríamos desenhar onde queremos estar, sem saber onde exatamente estamos, compreende isso, né? Desenhar onde quer estar é extremamente importante e este desenho, não pode ser um simples jogo de palavras compreende? Precisa ser MESMO específico! Estou solteiro (Ponto A), quero estar casado (Ponto B), ok, entendo isso, mas com quem quer estar casado? Pois se o facto em sí é apenas estar casado, porque casar com alguém tóxico! Com alguém aproveitador, com alguém que só queira brincar com a sua vida! Precisa ser “realista” em seu ponto A e específico em seu ponto B.
E agora passo a falar dele, que considero o centro das atenções, o condutor! O que vai me levar de um ponto ao outro de forma segura e inteligente e sim senhoras e senhores, recebam com uma salva de palmas, “o PROCESSO” Obrigado, obrigado…. (Sempre quis dizer isso) rsssss…. O processo é o que vai conduzir você de um ponto (A) ao outro (B), então depois de saber onde está e onde deseja chegar, é nele que precisa estar e com certeza se alimentar bem este processo, a “distração” ou melhor, “as” distrações morrem de fome!
Veja! Se eu estou focado no meu processo, se estou diariamente alimentando-o, porque iria me distrair? Hoje acordei cedo “de propósito”, primeiro para trabalhar no meu livro que avança muito bem, depois porque sei que hoje é dia de artigo e como tudo está na agenda do G-mail, na noite anterior leio e tenho uma previsão de como será o meu dia e isso me ajuda imenso a construir uma disciplina para que as coisas aconteçam, compreendeu até aqui?
Alguns profissionais constroem processos focados no ponto (B) e quase ficam cegos olhando para “o” objetivo final e até entendo a ideia, mas na minha opinião não tem lógica assim, não tem sentido, pois passamos a maior parte do tempo “fazendo”, no processo e se focarmos “cegamente” lá na frente, perdemos até a oportunidade de apreciar o caminho! E corremos o risco de chegarmos no ponto (B) e não nos lembramos de tudo o que aconteceu entre um ponto e outro (A) – (B). É no caminho (processo) que todaaaaaaaa a “magia” acontece, é nele que passamos a maior parte do tempo, afinal podemos querer um futuro melhor, mas vivemos no presente, no acontecimento.
Vejo pessoas distraídas assistindo novelas, séries e algumas em verdadeiras maratonas de séries e mal acaba uma estão sedentas pela próxima série, ops, pela próxima distração que as levar a “viver” a história de outras pessoas e não a delas! Se isso não é uma “fuga”, não sei o que seria! E atenção que eu vejo filmes e séries, mas quando eu quero/preciso me distrair de propósito e às vezes precisamos nos distrair, mas não ficarmos vivendo dentro da distração, fui claro?
Alimente “o” processo! Coloque cor, faça ser interessante, transforme os momentos que poderiam ser entediantes em momentos divertidos, únicos! Eu escrevo na maioria das vezes ouvindo jazz, às vezes músicas clássicas (como hoje), gosto de som alto e por vezes fecho os olhos e movimento meu corpo, com sorriso no rosto e por segundos ou 1, 2 minutos deixo meu corpo embalar a música…. Mesmo sentado, abro os olhos e continuo a escrever! Faço pequenas pausas para café, para simplesmente olhar o mar pela janela ou por vezes até paro tudo (se posso) e vou mesmo andar à beira-mar por alguns minutos e volto cheio de energia! Antes de morar à beira-mar, fazia isso próximo da minha casa…. Apenas para mudar o movimento.
Organize as suas ideias! Construa o hábito de escrever, de ler o que escreveu, de fazer pequenos ajustes. Acredite em mim, quando digo que os pequenos ajustes na nossa vida são preciosos! Eles ajudam e muito na direção entre o nosso estado atual e o estado desejado! Às vezes é uma questão de milímetros para ajustarmos as coisas… Quando estou em um processo terapêutico com um cliente isso fica muito claro, pois ele está esperando mudar tudo, enquanto na verdade tudo que ele precisa é de um pequeno ajuste e pronto! Tudo resolvido. Mas suas crenças dizem que não é difícil, pois enxerga o macro e não o micro.
Organize a sua mente, escreve as suas ideias, trace as suas metas, seja claro e muitoooo claro no que deseja e “como” deseja, aprenda a colocar datas, a compreender a essência, questione! Questione-se! Estude, entenda e pare de aceitar, apenas porquê precisa aceitar e pare de fazer o que todos fazem, de seguir o que a maioria segue.
Espero que de alguma forma tenha contribuído e “se” ainda não ouviu o meu podcast sobre Metas Claras, segue aqui o link
Agora sinalize se leu este artigo (por favor), escreva algo para eu saber que esteve aqui “e” compartilhe para que esta informação cheque a mais pessoas! Conto contigo!

Até o próximo

Read More

Quem é VOCÊ?

Se eu lhe fosse entrevistar e logo depois do aperto de mão, fizesse esta pergunta, de forma direta e olhando nos seus olhos, o que responderia? Quem é VOCÊ? E se neste momento precisar pensar, tome alguns minutos antes de continuar esta leitura. Por favor pense com calma!

Outro dia me fizeram esta pergunta e não soube responder na hora! Precisei pensar e pensar e confesso que toda a vez que vinha uma resposta, não estava clara pra mim, pois não era quem eu realmente era e sim que me tornei. Pensei, sou Hipnoterapeuta…. Não… “Ser Terapeuta” é a minha profissão, o que me tornei…. E isso me intrigou tanto que comecei a pensar e pensar e junto com isso muitas lembranças vieram e até acho que me perdi em alguns momentos dentro de mim.

Até que cheguei à conclusão de que sou um ser em completa desconstrução de tudo aquilo que acreditava ser verdade absoluta! E ainda estou neste processo que chamo de lindo e “doloroso” processo de abandonar conceitos e crenças.

Já se fez alguma vez esta pergunta? Mas digo de forma profunda, verdadeira e com a intenção de ir realmente fundo, para entender “a essência?” porque muitas vezes respondemos, sou aquele cara legal, sou pai, sou um ótimo profissional e até tem pessoas que possuem na ponta da língua respostas negativas e dizem que não são nada, que são invisíveis e às vezes confundimos quem somos, com o que estamos sentindo…. Louco isso, né?

Ouço diariamente muitas pessoas, falando de diversos assuntos e claro que à medida que vamos avançando no tratamento, elas vão ganhando consciência, vão evoluindo e grande parte consegue até rir da maneira como pensava no início, de como se queixavam de tudo e de todos, pois conseguem enxergar com mais clareza suas vidas, suas emoções…. Isso é sem nenhuma dúvida “um processo” lindo!

E quando pergunto quem elas são? Uauuu…. As respostas na maioria das vezes nem de perto são o que eram no início!!! Curioso como às vezes tudo o que precisamos é aprendermos a pensar de forma diferente, a enxergar usando outras lentes, a experimentar caminhos que antes não eram explorados, porquê simplesmente nos disseram que por ali não podíamos ir.

Quando penso sobre quem SOU? Antes penso tudo que não sou mais “ou” quem nunca fui… Quem é você? Pense um pouco sobre isso e não tenha pressa em responder, pois o objetivo aqui nem é que você responda para mim e sim que com esta pergunta, possa buscar se entender, se desconstruir, se conectar com o seu eu!

Obrigado por estar aqui comigo e se este texto fez sentido de alguma forma para você apenas escreva algo, coloque um número de 1 a 10, para eu saber que esteve aqui, que compreendeu.
– Lembre-se que todas as segundas, quartas e sextas tem #podcast, terças e quintas artigos e se quiser encontrar os anteriores, abaixo tem um link com o caminho…
Até à próxima,

Read More

Eu não tenho tempo! 

Ontem eu falava com um amigo do Brasil que me dizia que adorava fazer um curso em sua área profissional, mas infelizmente não tinha tempo e neste bate papo, toda a vez que ele trazia uma “limitação” eu procurava entender e trazia uma solução e imediatamente ele trazia duas maneiras de “bloquear” aquela solução… E pra mim ficou claro que ele não ia fazer aquele curso MESMO! Pelo menos, não naquele momento e no final da conversa, ele disse: “Tá vendo Eric! Eu te disse…. Quero muito fazer este curso, mas é complicado.”

E nisso eu precisei concordar com ele – É complicado…

Hoje (sábado), acordei às 7h. Tomei meu banho, meu café, já respondi emails, às 8h fiz uma sessão, às 10h outra e das 12h às 2h da manhã estarei em aula. Amanhã (Domingo), atenderei às 8h e depois estarei em aula de novo no mesmo horário e durante toda a semana (Segunda a sexta), tenho agenda de atendimentos cheia e mesmo assim aula no meio da semana (20h às 2 da manhã), grupo de Mentoring, o Grupo Desenvolver “e” segunda (12) começam as minhas aulas “diárias” de Filosofia.

É complicado? Foi quando tudo isso estava apenas no plano mental. Depois à medida que eu ia tomando as decisões, encaixando na programação e fazendo, foi descomplicando e claro que tem dias que fico mais cansado, tem dias que sinto sono mais cedo e está tudo certo! Claro que digo não a muitas coisas! Ontem um amigo que amamos queria vir passar o final o final de semana connosco e com aperto no coração disse que não dava, pois estamos em aula! Escolhas primárias, trazem escolhas secundárias e isso faz parte do processo! Mas sabe o que acho? Que lá na frente a conta fecha!!!!

Agora, se para cada solução, você constrói uma nova limitação, é complicado!

Veja! Há 6 meses estou ajudando um cliente que na primeira sessão me disse que não tinha nenhuma condição, mas gostaria de fazer um curso de desenho! Ele estava tão “disponível” que bastou 4 sessões e ele já está no seu terceiro curso de desenho! No início fez 2 pequenos cursos e mesmo sendo pequenos e com valores baixos, teve que sacrificar algumas coisas e agora está em um curso maior, com duração de 8 meses e para conseguir isso, teve que fazer escolhas!!!! E as fez! E está sendo fácil pra ele? NÃOOOOO! Mas a minha missão nunca foi fazer ficar fácil e confortável! Sempre foi ajudá-lo a ser viável, a encontrar soluções, a construir caminhos e principalmente a se manter nos caminhos.

Entende a diferença? Quando digo que existem dois tipos de pessoas, as que fazem e as que não fazem, às vezes sou criticado por isso e normalmente é pelas pessoas que não fazem (Rindo altooo), pois elas vêm sempre com argumentos fortes e pesados e suas frases na maioria das vezes começam com “Eric, você não entende que…” E sim, eu não entendo! E nem preciso entender, pois nada, absolutamente nada na minha vida é fácil, tudo é treino, dedicação, escolhas e está certo em ser assim.

Falando com uma cliente e explicando isso ela mandou esta: “Falando assim, o Eric quer que eu não tenha vida!” Frase pronta! Crença instalada…. Eu tenho uma vida preenchida e dentro deste “preenchimento”, vou à praia, vejo séries, almoço todos os dias coma minha esposa, falo com meus filhos quase todos os dias, com amigos, medito, leio e tudo isso só é possível, porque uso agenda, utilizo bem os meus intervalos e organizo a minha vida!

Veja… Ontem à noite (Sexta), eu já arrumei o cantinho na sala onde gosto de fazer a formação e trouxe caderno, canetas, notebook, bateria e tudo que eu precisaria e hoje ao invés de atender no escritório, atendi na sala, para ficar tudo já organizado e não ter que correr hoje! Compreende isso? Sabendo que temos formação hoje e amanhã, eu e a Paula já organizamos a nossa alimentação do final de semana! Foi complicado? Nãoooo! E não precisa de “bola de cristal” para saber o que vai acontecer…. Por favor! Precisa de ter o mínimo de inteligência “e” claro, disposição para se antecipar a algumas coisas. Se estarei em uma formação tão pesada, não terei tempo de ir ao mercado! Ok, vou antes! Se atendo sempre aos finais de semana às 8h, sei que durmo pouco de sábado para domingo, então preciso da segunda para dormir e descansar….

Não é complicado! Nós é que complicamos e para finalizar este textãoooo, preste atenção aqui! Não será fácil, não será confortável na maioria das vezes, nem todas etapas são prazerosas, sim, às vezes precisará de ajuda! Para gerirmos tudo isso contamos com uma pessoa que vem 3 x por semana limpar a nossa casa, temos uma nutricionista que nos auxilia com a alimentação, usamos muito bem o calendário do G-mail e nele tenho programado coisas para o ano todo, com cores que identificam as minhas rotinas (Isso pra mim faz “a” diferença). Atendimentos online (amarelo), Reuniões (Vermelho), Cuidar de mim (Azul) e por aí vai….

É complicado? Então descomplica!!! Coloca ação, põe movimento na sua vida! Não sabe como começar? Contrata um Coach, busca um processo terapêutico! Comigo ou com quem desejar, mas faça algo para sair desse ciclo vicioso! Para se afastar das reclamações e cansaço que não te levarão a lado nenhum. Quando colocamos movimento em nossa vida, trazemos uma energia diferente, nos sentimos diferentes, fazemos “a” diferença! Nos tornamos aquele milagre que “antes” estávamos esperando acontecer sentados e de braços cruzados.

Eu não tenho tempo? (Rindo muito alto), até quando continuará a contar histórias de como não pode….

Quem sabe este seja o momento de “virar” o jogo!

Eric Pereira

Terapeuta Sistémico, Hipnoterapeuta e Coach

WhatsApp +351 912607888

www.consultorioericpereira.com

Read More

A MINHA técnica é MELHOR que a sua! 

Há poucos dias, um profissional com quem tenho pouca amizade, mas com quem troco por vezes algumas informações, me disse: “A minha técnica é melhor que a sua”. Junto com esta forte afirmação, ele trouxe uma gigantesca lista de motivos, alguns “científicos” para fundamentar a sua fala, outros “impondo” a sua experiência. Durante os 30, 40 minutos em que apenas ouvi, algumas coisas vieram à minha mente e uma delas foi: Que triste esta necessidade dele de falar desta forma comigo…

Tenho 44 anos e há 22 me dedico a atender pessoas utilizando ferramentas terapêuticas e sim, a base do meu trabalho durante anos tem sido a hipnoterapia, à qual junto a programação neurolinguística, o coaching e, agora mais recentemente, a terapia sistémica e a constelação familiar! Sou também académico em Filosofia e cada vez mais tenho dificuldades em dizer para as pessoas “como” eu faço, qual a ferramenta que uso, pois sinceramente não me preocupo muito se o transe é profundo ou médio, se estou atendendo presencialmente ou online, o que quero é ajudar aquela pessoa a sair “do sofrimento”, independentemente se a técnica é X ou Y.
Dizer que a minha técnica é melhor do que a sua é uma necessidade que não compreendo em alguns profissionais! Vender a ideia de que isto funciona e isso não, definitivamente é um pouco estranho, pois o cliente é “único”, a dor dele também e por mais que seja parecida com a de outra pessoa, a sua constituição nunca é a mesma, então o que funciona para o Pedro, pode não funcionar para o João, compreende?
Gosto de pensar que quanto mais estudo, mais compreendo maneiras diferentes de chegar a resultados realmente incríveis e nem sempre o que aprendi foi colocado em prática da mesma forma que aquele professor me ensinou, mas o referencial ensinado foi um trampolim para que eu pudesse construir um trampolim criativo e fazer da melhor maneira possível. Agora antes que me pergunte: “melhor pra quem?” Para o cliente! Pois tudo isso é sobre ele e não sobre mim.
Duas décadas estudando, pesquisando, ensinando, atendendo em países diferentes, me fizeram entrar em “modo” desconstrução e é assim que me sinto neste exato momento da minha vida…. Estou em desconstrução! Desconstruindo tudo aquilo que um dia comprei como verdade absoluta! E sabe o que ganho com isso? Ganho a liberdade de fazer o melhor para os meus clientes, para mim e para todo o sistema sem carregar em mim a responsabilidade de curar, de resolver, de fazer a qualquer custo.
E finalizamos a nossa conversa, ops! Deixa-me corrigir aqui – Finalizamos as “aulas” do que eu deveria fazer, com ele cheio de certezas e eu repleto de dúvidas…. Mas posso afirmar que não estava em dúvida pelo que fazer ou deixar de fazer e sim, se ele realmente “se ouvia” enquanto ele tentava vender tudo aquilo que um dia ele comprou como verdade única e absoluta!
Ao desligar, apenas pensei – Que bom que sou livre!
E se quiser ouvir um dos meus 400 Podcasts ou ler os meus artigos, tem um link abaixo que o vai levar a algumas das minhas páginas.

Até Já,

Read More

O que você fez “hoje” para ser feliz?

Algumas pessoas não gostam nada, nadinha de fazerem avaliações, principalmente estas pequenas que falam sobre “o dia”. Alguns clientes quando faço esta pergunta até se perdem na tentativa de justificarem porque não fazem ou o quanto é estranho avaliar apenas um dia e até entendo as suas posições, afinal cresceram e alimentaram por toda uma vida a ideia de viver dentro do “automático” da vida de seguir a manada e como assim agora vão estar presentes para avaliar o seu dia?

Agora, mesmo compreendendo alguns comportamentos, insisto na mudança deles e digo que criar o saudável hábito de avaliar como foi o seu dia é um passo importante para quebrar o viver no automático, o manter-se em distração completa da sua vida e se prestar atenção neste meu texto compreenderá o poder de palavras como “automático” e “distração” e perceberá que são mais poderosas do que acredita e ao compreendê-las vai ressignificar o seu uso imediatamente.

Eu normalmente antes de dormir faço uma breve avaliação do quis fiz no meu dia, primeiro porque gosto de entender que somei, se espalhei, se me aproximei da minha meta MAIOR, se me distanciei, se peguei algum tipo de atalho e avaliando diariamente, fica mais fácil de ajustar no dia seguinte e por favor, não estou falando de ir para um quadro branco e fazer cálculos e tentar compreende ao pormenor todas as ações do dia, ok? (sem exageros), estou falando de alguns minutos de análise. Minutos estes que podem ser mais significativos do que a avaliação mais cuidadosa trimestral que faço.

Às vezes nesta avaliação percebo que o meu dia não rendeu tanto assim como eu gostaria e até consigo encontrar o que me distraiu, porque não foi como eu planejei, outras percebo que consegui resultados incríveis e por manter esta “mini análise” diária até consigo buscar na mente uma associação com outros dias e isso facilita imenso o entendimento e procuro replicar no próximo dia.

Tenho consciência que algumas pessoas vão achar isso cansativo, desnecessários “e” haverá os do contra que vão dizer que vivem um dia de cada vez e que suas vidas estão na mão do destino e todas estas historinhas que de alguma forma levam estas pessoas a não compreenderem o que fizeram naquele dia para serem mais felizes e para todas estas pessoas, eu digo: Se vive assim, não podem reclamar do resultado que têm “NUNCA”.

Quando falo sobre distrações, imediatamente as pessoas associam a perderem tempo, a estar nas redes sociais, a estar vendo séries e ok, isso pode ser (também) se distrair, porém quando olho com mais atenção para “a” distração, a vejo apenas em tudo o que me distancia do que quero fazer naquele momento, pois eu assisto séries e vou as redes sociais, uso celular e tenho aplicativos que têm como objetivo a distração! Porém quando estou me distraindo tenho que o fazer sabendo que estou ali para me distrair, compreende?

Agora quando fiz a escolha que atingir uma meta (MAIOR), fiz uma escolha primária e junto com ela vêm escolhas secundárias, como entender o caminho para alcançar esta meta MAIOR, a dedicação para isso e se dentro daquele planejamento eu me distraio fazendo outras coisas, corro o risco de ir para outro caminho e perder o foco e se isso se torna um hábito em algum momento da minha vida (futuro), vou olhar pra trás e me sentirei perdido sem compreender porque decidi seguir este caminho…. Que na verdade nunca “decidi”, apenas me distraí e caí de paraquedas nele, compreende o que quero dizer aqui? Isso é mesmo muito importante.

Ouvindo centenas de clientes nos últimos anos, fica muito claro pra mim que o mundo cada vez mais está sendo construído para vivermos em distração e sabe qual é a maior “sacada” nisso? Que alguns de nós (maioria), descobre que viver distraído é muito bom! Que viver na distração tem as suas vantagens, pois enquanto estamos vendo a vida de outras pessoas nas redes sociais, enquanto estamos vivendo com emoção as “séries”, não estamos olhando para a NOSSA VIDA!

Um dia desses uma cliente me dizia que ia dormir às 2h da manhã porque estava vidrada numa série e às vezes até sonhava com ela e que estas séries estavam fazendo tão bem a ela, pois deixou de sofrer a traição, a separação recente! Vamos ser francos? Ela deixou de sofrer? Óbvio que não! Ela apenas encontrou uma maneira de “anestesiar” o que sentia, mas sem resolver! Ela não está deixando o “adulto” que existe nela no controlo, está deixando a sua “criança” e isso pode custar caro lá na frente. Esta conta não vai fechar.

Quando ela “foge” de entender, de resolver é a criança que está no controlo, compreende? Qual a atitude de uma criança? Se esconder, mudar de assunto, olhar para o lado, desaparecer é de um adulto? R.E.S.O.L.V.E.R! Agora uma pessoa que antes de dormir está pensando porque o Jonh não salvou a Angel quando tinha oportunidade, ao invés de pensar em sua vida, não está vivendo a vida, compreende isso? Ela está em uma realidade paralela, construída justamente para fugir da sua realidade que com absoluta certeza é menos interessante que a série atual.

Como eu disse, eu vejo séries, eu assisto vídeos no youtube e as vezes dou imensas risadas com “stand up” que adoroooo! Porém faço isso quando “é” para eu me distrair! Quando o meu adulto quer relaxar e desta forma, sem “exageros” tudo se torna saudável.

Recomendo a muitos dos meus clientes no final do dia, ao encerrar as suas atividades profissionais a escreverem em um caderno ou no bloco de notas do celular 3 pontos positivos e 3 pontos negativos do seu dia, isso me ajudou imenso a compreender “inclusive” o que eu achava que era negativo e positivo e todas as sextas irem lá ler! Se não lerem não fará nenhum sentido, ok? Eu por exemplo tinha como ponto negativo (na época), perder tempo no trânsito e depois de analisar, percebi que aquilo apenas era o que era e decidi não ver como negativo!

Às vezes não encontrava um ponto positivo, o dia tinha corrido mesmooo mal, e aprendi a valorizar que independente do que tinha acontecido, estar ali respirando bem, não estando doente era positivo e este exercício me ensinou a enxergar pontos positivos que nunca sequer dei importância.

Sei que o texto está grande! Porém finalizarei dizendo que são estas pequenas atitudes, que fazem a grande diferença em nossas vidas! As pessoas estão desejosas em arrancar do peito as suas dores e vão logo para a medicação que não resolve nada, apenas alivia! Elas estão desesperadas em resolver as suas “solidões” e casam com a primeira pessoa que conhecem e depois vivem anos mergulhadas dentro do “caos”, elas estão ansiosas, possuem crises intensas de pânico e estão tão ocupadas criando as suas “doenças” e depois lutando para se livrarem delas que não conseguem enxergar de forma clara que a maioria das coisas é apenas produto da mente!

Quando tenho pequenas “e” significativas atitudes como meditar 15 minutos pela manhã, escrever 3 pontos positivos e 3 pontos negativos, avaliar o que fiz no meu dia para ser mais feliz antes de dormir, eu vou estando mais presente, vou estando mais conscientes, vou estando mais no controlo (seja lá o que isso significa), vou fazendo a diferença… Quando vou sendo grato, começo a compreender o bom, o que me faz bem, o real significado de algumas palavras e seus benefícios…

Obrigado por ter ficado até aqui! Meu muito obrigado por estar comigo! Se gostou deixe o seu comentário, mesmo que seja apenas uma pontuação neste texto (tipo de 1 a 10). Adoraria saber que esteve comigo até o fim.

Avalie hoje o que fez para ser mais feliz e seja!

Até à próxima….

Read More

Estão TODOS esgotados! “Sobre cuidar da mente”

Tenho lido inúmeros artigos, matérias, ouvido entrevistas com psicólogos e até vídeos ondem quem entende diz que pior que o Covid, é estarmos todos entrando em um esgotamento mental, por estarmos há tantos meses em “alerta”, recebendo uma enxurrada de notícias negativas e sendo “proibidos” de estar com outras pessoas!

Estamos aprendendo a viver de uma forma diferente! Longe de tudo e de todos e cada vez mais isolados e isso está roubando as nossas energias e em muitos casos o facto de estar em casa às vezes isolado com a família, tem trazido mais transtornos e até “violência doméstica”.
Constantemente tenho trazido conteúdos para ajudar as pessoas a despertar a sua consciência, a olhar para “o facto” e tudo o que está em torno dele (produto da mente)! Tenho me esforçado para levar uma mensagem mais consciente e que possa de alguma forma “aliviar” este stress, este esgotamento mental, porém existem casos que as pessoas precisam de uma orientação mais minuciosa, precisam de uma atenção mais direta para elas, sobre o caso específico que elas estão vivendo!
E pensando nisso decidi manter as minhas avaliações no mês de Março gratuitas! Penso que é uma forma de poder ouvir o que se passa aí dentro de si, é uma forma de poder compreender o que acontece e na sequência poder dar alguma orientação mais personalizada, mas atenção que nem sempre a solução é vir fazer um tratamento comigo! Por favor, às vezes a orientação é aumentar a sua concentração através de uma meditação, quem sabe compreender melhor sobre auto-hipnose ou até recorrer a uma reeducação mental.
Então se quiser ter esta avaliação gratuita comigo, me manda uma mensagem no meu WhatsApp +351 912607888 dizendo “avaliação gratuita” e envio um áudio instruindo você ao processo.
Eu confesso aqui que já tive dentro deste processo a minha “cota” de esgotamento mental e até físico e hoje tudo o que tenho uma vez ou outra é um cansaço, devido ao imenso trabalho e nada que uma boa noite de sono não dê um jeito! Rs. Agora quando nos sentimos mais perdidos dentro de tudo isso, quando não sabemos como devemos reagir ao processo, aí podemos correr o risco de potencializar situações (menos) boas dentro de nós, entende onde quero chegar com este discurso, certo?
Quero que você aprenda a cuidar-se! Que consiga de alguma forma perceber se o que tem feito no seu dia a dia tem somado ou espalhado, se os seus pensamentos e ações têm ajudado você a avançar para um próximo nível ou tem aprisionado você! Se este “novo” ritmo que a vida está nos conduzindo tem aumentado ou quem sabe construído angústia ou se consegue compreender e viver melhor!
Por vezes olhando para trás, para as minhas experiências em consultório, observo que grande parte das pessoas nunca se importaram realmente com cuidar das suas mentes, né? Porém também consigo visualizar que cada vez mais existem pessoas despertando as suas consciências e dando importância para se manter equilibrado, existem mais pessoas em busca de se conhecerem! É mesmo incrível tudo isso.
Espero que alguma forma tenha ajudado e estou à disposição para esta avaliação “Se” achar que faz sentido, se perceber que chegou o seu momento de se conhecer e transformar.

Até à próxima,

Read More

Reações Exageradas

Eu gosto de fazer muitas coisas na minha vida profissional, porém confesso que umas mais que outras e quando sento para escrever, escolho uma música (hoje vou de jazz) e começar a escrever é como ir para o céu! Sentir o tema, deixar vir as imagens, usar a criatividade e construir uma ideia é um verdadeiro caso de amor e ainda acredito que um dia viverei apenas da escrita, apensas dos meus livros e tudo isso já esteve mais longe de acontecer!

Claro que o que escrevo nunca é uma verdade absoluta e ainda bem por isso, porém é o “meu” ponto de vista sobre o assunto e espero que o leitor aproveite a melhor parte para melhorar, mas que utilize o todo para refletir e depois tirar suas próprias conclusões e dito isso, vamos mergulhar nas reações exageradas que às vezes temos!

Como sabe os temas que escrevo surgem normalmente da inspiração dos atendimentos que faço e recentemente ouvia uma cliente me falar sobre as suas reações a um determinado facto e quanto mais a ouvia, mais percebia que ela estava tendo uma reação exagerada sobre “o facto” e na minha opinião “toda” a reação exagerada tem relação com as feridas não tratadas” e observo constantemente tal comportamento em pessoas que às vezes nem se quer se dão ao trabalho de olhar para as suas feridas, elas reagem tãooo exageradamente como se o “caos” que elas criam, criasse imediatamente uma cortina de fumaça para que nem elas e nem mais ninguém pudessem olhar para aquele facto que na maioria das vezes nem é tão grande assim.

Eu já tive algumas reações exageradas e talvez também já tenha tido e está tudo certo, agora quando entendemos que tais reações são uma maneira de mascararmos “algo”, olhamos para elas de uma forma diferente e aqui escrevendo, analisando e fazendo pequenas pausas para tomar o meu café e ouvir o meu jazz, começo a acreditar que faz algum tempo que não tenho tais reações. Será que amadureci? Quem sabe estou crescendo com este processo…. Hum… Talvez sim! O facto é que vamos aprendendo, experimentando e ao longo do tempo fica muito claro que o “facto” é apenas o “facto” e tudo o que construímos ao redor dele é produto da mente.

Sim! Tenho falado muito ultimamente sobre isso, porém é importante entendermos isso e penso que quanto mais rápido você compreender que é importante você olhar para as suas feridas emocionais, mais rápido vai dando significados diferentes para elas! Eu aqui deste lado, todas as vezes que gravo um podcast ou escrevo um artigo é na esperança que quem os ouve ou lê de alguma força ganhe um pouco mais de consciência e consiga ver a sua vida com outros olhos que não sejam dentro de ciclo vicioso que está acostumado a viver!

Às vezes as nossas reações são desproporcionais ao que realmente está acontecendo e isso me faz lembrar inúmeros casos que já atendi, em particular uma cliente que chegou no meu consultório do Funchal, muito nervosa (3º sessão), e mal me cumprimentou e começou a disparar sem parar sobre o absurdo que era a sua mãe querer se reaproximar dela depois de terem rompido a relação há 3 anos, por uma briga em que ela acredita que a sua mãe tenha errado com ela e ela estava tão nervosa que chegava a cuspir falando, sem contar que se sentava e levantava e andava e sentava de novo.

Neste caso específico, independente do que a mãe fez “ou” do que ela acha que fez, ela “excluiu” a sua mãe e toda a vez que excluímos alguém o nosso sistema se desequilibra e atenção que aqui nem estou focado nos motivos que ela tem, ok? Pois para uns podem ser motivos simples e para outros motivos poderosos que não interessa, exclusão é exclusão e isso nunca fará bem a uma pessoa. Podemos sim, não estarmos confortáveis com algum comportamento dos nossos pais e isso posso até compreender, porém o comportamento da mãe dela, não é a mãe dela, compreende isso? E ela pode manter o que chamo de distância segura” desta mãe, mas deve tê-la no coração.

Atenção de novo aqui! O comportamento de nossos pais, não são eles! Então não confunda “essência” com “comportamento”. Podemos manter aqui dentro do nosso coração a essência, a gratidão deles terem nos dado vida, porém ela apenas enxergava “o” comportamento que na opinião dela era abusivo.

Diante daquele facto, ou melhor – Diante de tudo o que estava à volta daquele facto, ela tinha reações exageradas e com tais reações ela ficava nervosa, agitada, ansiosa e algumas vezes chegava até a ter em casa crise de pânico e claro que tinha que ter, pois estava exagerando uma reação que para a sua mente era como quase um teatro dramático que imediatamente mandava comandos para todo o corpo, com isso disparava comandos menos bons e mais cedo ou mais tarde o corpo iria reagir a tudo aquilo, não acha?

Hoje percebo que na maioria das vezes, quando algo me acontece e fico desconfortável, vou imediatamente buscar equilíbrio na respiração e atenção que não disse respostas, ok? Primeiro vou em busca de mandar a mensagem certa para a minha mente, para que ela não mande comandos errados para o meu corpo. Às vezes coloco uma música, no meu caso estou muito conectado com as músicas e adoro, por exemplo ouvir Deva Premal quando preciso equilibrar a minha respiração.

(Pequena pausa)

Quando uma pessoa está ansiosa ou tendo uma crise de pânico, como esta pessoa respira? Ofegante, respira de tal maneira forte e rápido que às vezes chega a faltar o fôlego! Entende isso? Ela fica sem ar e esta respiração acaba trazendo outras coisas ruins para ela, como rigidez muscular, tensão e já ouvi inúmeros relatos de pessoas que nem conseguem “enxergar” direito ou ouvir! Pois entram em uma espécie de estado hipnótico onde tudo que pensam é na situação desconfortável.

Voltando aqui, sejamos sinceros, ok? Acredita mesmo que se produzir esta respiração e entrar neste estado hipnótico de desespero vai conseguir encontrar alguma solução para o que está acontecendo ou o que está por vir? Por favor, né!!! É claro que não, então começarmos por equilibrarmos a nossa respiração é o inicio de tudo e já ouvi clientes e alunos me dizerem que tentaram e não conseguiram e a sensação que tenho quando ouço estes relatos é que estas pessoas tentaram isso por 3 minutos e meio e desistiram e antes que tenha aqui uma reação exagerada, perceba que tudo nesta vida é uma questão de treinamento…não aprendemos a conduzir na primeira aula, nãoooo! Precisamos entender sobre, precisamos treinar, estar presente, compreender o que está por trás da “dinâmica” e então aos poucos e com alguma persistência vamos automatizando “o” processo e percebendo o quanto aquilo faz sentido, compreende?

Algumas pessoas acham meus textos longos…. Já ouvi que são cansativos e eu poderia ir direto ao ponto e entendo estas pessoas, mas não quero apenas trazer a informação, quero levar à experiência, a imaginar, a compreender e principalmente a estimular a prática, fazendo o leitor compreender que é possível.

Espero que tenha gostado de estar aqui comigo neste texto e a partir deste texto, deste segundo, esteja atento às suas reações e que elas não sejam exageradas! E se ainda forem, que no mesmo segundo consiga respirar, olhar para o facto e desconstruir o que está em volta dele.

Se gostou, me diga de 1 a 10 o quão importante foi este texto pra você! Coloque aí nos comentários, por favor! E lembre-se que todas as segundas-feiras, às 18h do Brasil e 21h de Portugal tenho o 🔥 Grupo Desenvolver 🔥 e você pode se juntar a mim para falarmos sobre melhorar as nossas vidas, para olharmos para as nossas feridas emocionais e até para as nossas reações exageradas…. Venha para um selecto grupo de pessoas que desejam desenvolver habilidades para viver uma vida melhor!
Saiba mais aqui ô:

Nós encontramos lá na próxima segunda,

Read More

Não existe elevador para a felicidade! Vai ter que usar as escadas

Talvez você nunca tenha tentado usar maneiras mais rápidas para construir um processo feliz em sua vida, mas confesso que inúmeras vezes eu tentei subir de elevador e inclusive até cheguei a ir a andares altos, porém com o tempo me senti perdido, pois saltei alguns “andares” e tive que voltar e recomeçar tudo de novo, até o dia em que deixei de ser o espertinho da turma, entende isso?
Tem coisas nesta vida que não podemos “pular etapas”, ops! Deixa expressar-me melhor – Não é que não podemos, é que não “devemos”, na minha opinião, ok? Ir de escada, passar pelo processo, abrandar em alguns momentos “vivenciar” as etapas, pode fazer “a” grande diferença e ainda digo mais…. Muitas vezes acreditamos que precisamos fazer algo para sermos felizes e enquanto não fazemos, enquanto não concluímos o processo, não somos! Já parou alguma vez para pensar que posso ir sendo feliz à medida que vou construindo esta tal felicidade? (risos).

Sabe o que acho curioso?

Que muitas vezes estamos trabalhando para alcançar um resultado que já temos! Trabalhamos como loucos para ganhar dinheiro, “às vezes” ter poder, na maioria das vezes chegar a algum lugar para quando chegarmos lá podermos descansar, vivermos melhor! Outro dia me peguei falando para meu filho que estava trabalhando duro para ter mais tranquilidade de poder ir mais vezes na praia e naquele “micro segundo”, olhei para a frente e vi o mar! Meu Deus! Eu moro na frente da praia e não preciso trabalhar mais para ter mais tempo para ir à praia, preciso ir!
Desculpa, se quando eu digo: “preciso ir”, parece muito simples a minha fala, mas é que não tem outra maneira de dizer o que realmente é muito simples! Entende isso? Por favor, diga que sim!
Sinceramente acho que passamos uma vida a complicar o que é muitoooo simples e me incluo neste processo complicador e analisando, percebo quantas vezes compliquei o que antes era bem simples. Puxa vida, não vamos “exagerar”, construir muralhas onde não existe nem uma pequena cerquinha, só porque um dia alguém nos ensinou que era difícil, que o “difícil” é melhor, mais valorizado!

Sim, acredito que para atingirmos “ou” irmos atingindo a felicidade, devemos ir de escada e digo isso para demonstrar a importância de não “pularmos” fases, para não perdermos a experiência e se compreender isso, pode ser que a sua vida se torne muito, muito melhor! Outra perspectiva sobre isso é que de “elevador”, corremos o risco também de nos distrairmos (ok, falo muito sobre isso, né?), e dentro desta distração toda também perdemos oportunidades….

E o que quero com este texto? Apenas que faça uma reflexão mais profunda, quem sabe que decida continuar daqui para frente de escadas, que suba um degrau de cada vez, que vá conquistando, que vá fazendo a sua parte, que olhe com atenção para “o” esforço que está fazendo, que valorize cada degrau, que compreenda cada passo e principalmente que perceba que se 1 é onde está e se 10 é o ponto que definiu como auge para ser feliz, não precisa esperar chegar no 10, pode simplesmente ir sendo…. A vida NÃO acontece! Ela vai acontecendo, então porque só podemos ser felizes ao sermos 10? Porque não já ir sendo e se divertindo pelo “caminho”, entende?

Espero que sim e se pensa como eu, diga algo aí nos comentários para entender que não estou sozinho neste pensamento.

Até o próximo e lembre-se que todas as segundas tem “Programa Desenvolver”

Venha e experimente os benefícios de um programa terapêutico que desenvolver habilidades para uma vida melhor.
Saiba mais aqui: ❤👇

https://www.consultorioericpereira.com/desenvolver/

 

Read More