Qual a sua história de Vida?

0
183

Contribuição|Pense Bem|Apenas mais uma Reflexão|Eric Pereira

Sei que o título desta contribuição é uma pergunta, mas não quero que responda para mim, mas que responda para si e quem sabe durante esta leitura consiga descobrir detalhes importantes que possam contribuir para a sua história de vida ou o incentive a rasgar uma ou outra folha e reescrevê-la.

Ontem adormeci sobre esta frase! Qual era a minha história de vida? Sei que ainda estou, como você a escrevê-la, mas comecei a ligar histórias, cenas, pessoas, padrões, repetição de padrões, hábitos, ciclos encerrados, ciclos iniciados, ciclos abandonados, decepções, momentos de alegria, felicidade, tristeza, certezas, falsas certezas, dúvidas, crenças e nem sempre nesta mesma ordem.

Todos estes factos constituem a minha história e nem todas as partes são lindas, nem todas as cenas eu me orgulho e muitas apenas observo e fico pensando porque estão ali, qual a utilidade delas no contexto geral? “se” é que têm, mas creio que sim!

Quando estamos no automático da vida vamos fazendo e fazendo e na maioria das vezes mal conseguimos fazer uma avaliação minuciosa para fazer os ajustes necessários! Lembro das vezes que estava com a função mental “piloto automático” ativada, que nem conseguia “se quer” imaginar que nela estava. Penso eu, que devia fazer parte desta programação “automática” viver um dia de cada vez sem olhar para trás, sem pensar em evolução e sem desejar um pouco mais da vida.

Acredito muito, e mesmo sem um precioso estudo que poderia reforçar minha teoria, que quando estamos “ligados” no automático, palavras como reflexão e ajustes nem são lembradas por nossa mente.

E pensando assim é que consegui compreender durante todos estes anos de consultório, o real motivo de milhares de pessoas viverem dentro de um padrão “quase” que idêntico, um ciclo que segue um caminho muito parecido e que a única coisa que proporciona é a esperança de melhorar e entre subidas e decidas, a esperança entra rapidamente como um sistema de combustível que alimenta um “pouco” mais e sempre com doses pequenas, elas vão construíndo um dia de cada vez.

O convite desta contribuição, a pergunta central deste texto é se você consegue perceber a sua história de vida? Está escrevendo um suspense? Um Romance? Uma comédia ou um filme de terror? Está fazendo da sua vida uma série de momentos raros e únicos onde o aprendizado é o foco principal e tudo que vem soma para uma construção sólida ou simplesmente tem escrito pequenas frases e deixado 96,5% do papel em branco?

Meu maior questionamento não é se tens a melhor vida ou se ganhou o troféu de melhor cidadão 2016, pois nem acredito nisso. Não estamos aqui falando do Miss Vaidade 2016 ou Troféu Ego do Século… Estamos falando de sua história de vida e me intriga ver que a MAIORIA das pessoas entregam a caneta da vida na mão de “outras” pessoas esperando que elas desenhem o seu caminho, que elas escolham as melhores cores, que estas pessoas assinem suas decisões.

Fico MESMO atento a cenas que me espantam, a filmes que me surpreendem, a situações que hoje são ignoradas, deixadas de lado e amanhã serão foco de desespero, como pessoas que hoje desperdiçam tempo e depois rezam a Deus por mais alguns dias de vida…

Qual a sua história de vida?
Quem está sentado na cadeira de diretor? Quais são os atores e atrizes que fazem parte das cenas, quem são os atores secundários? O final será uma surpresa ou já planejou um final feliz? A felicidade acontece apenas nos últimos capítulos ou consegue colocar boas emoções durante toda a história?

A partir deste dia, desta contribuição a decisão dos próximos capítulos é exclusivamente sua ou de quem segurar a caneta que escreve o roteiro!

Então, como será?
Esta resposta apenas você merece ouvir!

Bom filme!

Comente

comments