Presta atenção ou apenas fazer?

0
188

Contribuição|Pense Bem|Apenas mais uma Reflexão|Eric Pereira|

Existe uma grande diferença em prestar atenção e fazer ou simplesmente ir e fazer. Nesta contribuição quero mostrar a você que esta pequena diferença, pode ter um resultado muito significativo em sua vida.

Ao longo dos anos tenho ouvido pessoas dizerem que foram lá e fizeram e outras que prestaram atenção que…. e neste que parece um “simples” ato de prestar atenção, estas pessoas fizeram pequenos ajustes naquilo que iriam fazer (Talvez por impulso, talvez por hábito).

Vou dar um exemplo mais prático e como sempre pessoal.
Quando eu saia para almoçar com amigos em uma buffet por exemplo, eu ia batendo papo e enchendo o prato. Comia rápido e entusiasmado com a conversa “muitas vezes” nem percebia o que estava comendo ou de que maneira estava comendo. O meu “piloto automático” estava ligado, tudo que eu fazia era seguir um estímulo de fome e ACHAVA MESMO que estava me alimentando, mas na verdade tudo que estava fazendo era jogando comida para dentro.

E se conseguir junto comigo “congelar” esta terrível imagem, logo perceberá que o termo “jogar” é mesmo apropriado, pois mastigava mal, engolia tudo e ainda tinha sempre um refrigerante ao meu lado “me ajudando” a empurrar a comida para dentro. Então não prestava atenção, apenas ia e fazia, pois de alguma maneira meu inconsciente sabia que era assim (OU que “se alimentar” era algo parecido com aquilo). Rs

Outro exemplo claro que pode ajudar a clarear sua mente é caminhar de manhã. Muitas vezes na minha acordei, troquei de roupa e fui caminhar e apenas fazia… Colocava um pé na frente do outro e ia. Hoje este movimento é feito diferente e presto muita atenção, escolhendo um dia antes a roupa que vou usar, o tênis, pensando nos podcasts que desejo ouvir, palestras ou músicas…

Depois acordo e tomo um banho e “já” no chuveiro começa meu ritual de meditação. Na sequência, vou para a sala e faço alguns movimentos com o meu corpo que são para aquecer e gosto de pensar que para me centrar também, como se naquele exato momento eu tivesse colocando a minha intenção em todos os movimentos que vêm a seguir.

Quando estou tomando o meu café na varanda, por uns 3 minutos finalizo a minha reflexão e ali “afirmo” todas as minhas certezas do “porque” estou ali aquela hora, fazendo o que estou fazendo e mesmo que pareça complexo, não tem nada de complexo é simples. Já está no meu automático e me sinto mesmo muito bem prestando atenção.

Neste momento estou aqui na Itália em um café escrevendo e ouvindo um mantra da Snatam Kaur “ong Sohung”, o volume está alto e me sinto muito, mas muito bem e falo isso conscientemente, pois prestei atenção antes de dizer, compreendeu?

E para finalizar a contribuição de hoje quero dividir o que uma cliente me disse quando comecei a ensiná-la a estar mais presente em suas ações: Eric, se eu for prestar atenção em tudo que faço me tornarei um robô!

A conversa com ela foi longa e a experiência para nos dois muito rica, mas começou com uma pergunta que deixo para todos: E se continuarmos a fazer tudo, só por fazer? Não estamos sendo apenas um robô?

Um ótimo Dia!

Comente

comments