Sua conexão está boa? O sinal está alto?

Contribuição|Pense Bem|Apenas mais uma Reflexão| Eric Pereira|

A contribuição de hoje não tem como objetivo saber sobre o seu sinal de internet ou se ela cai muitas vezes ao dia, mas muitas vezes usarei termos como “está conexão” para me referir a esta conexão MAIOR. Talvez esta se torne uma daquelas contribuições grandes, mas prometo que escreverei com a alma e farei todo o possível para que as minhas palavras o envolvam a ponto de nos mantermos conectados neste texto.

A conexão que trago aqui vai além da religião e muito além das crenças e nem quero falar sobre Deus ou Santos, pois respeito a decisão e crenças de cada pessoa e o assunto não tem mesmo relação com regras e homens santos, mas com algo maior.

Neste meu percurso de vida, virei muitas vezes as costas para algo maior, para esta energia invisível que de alguma maneira nos guia. Quero ser bem cuidadoso com as minhas palavras para ajudá-lo a viajar comigo por este caminho.

Apesar de não ter explicações científicas e de estar tendo todo o cuidado para minha contribuição não virar um apelo religioso, vou entrar direto no assunto…

Todos os dias somos movidos por algo maior que não tem total explicação, mas que se deixarmos de lado as teorias, conseguimos perfeitamente sentir.

Alguns sentem menos, pois como eu no passado, vivem mais no plano mental e 2+2 são 4 e tudo que fuja do “isso eu posso explicar” e estes digo que não usam seu modem. Outros sente algo, às vezes, mas nem sempre conseguem tirar o melhor proveito disso, pois possuem uma conexão fraca, tem horas que o sinal é forte, mas a maioria do tempo é fraco, pois a “dúvida” é um muro grande, longo e que normalmente bloqueia o sinal.

Outros já sentem a conexão mais forte, seu sinal está sempre alto e nem precisam “verificar” o sinal, pois sentem que esta energia invisível, esta mão maior que os impulsiona já faz parte de suas vidas e não conseguem viver sem elas.

Em minha jordana profissional sempre perguntei aos meus clientes em consultório sobre fé e como se sentiam, independente do que acreditavam e o que sempre percebi é que as pessoas que tinham fé em algo maior, tinham maior facilidade para solucionar os seus problemas e não estou falando de pessoas que “entregam” seus problemas a um ser superior e cruzam os seus braços – Jamais! Mas de pessoas que realmente se permitiam e afirmavam que se sentiam motivadas a continuar (Menos quando suas queixas eram estar depressivas ou desanimadas).

Talvez soa estranho isso, mas é como se estas pessoas mesmo em baixa, recebem uma carga extra que desse um pouco de carga as suas baterias já sem carga nenhuma.

Eu não sou um homem religioso e só vou a igrejas quando estou em viagem, pois as igrejas antigas me fascinam. Sou capaz de lá estar em silêncio admirando a arquitetura e deixando meus pensamentos me levarem para algum lugar, sinto paz nestes lugares.

Mas já fui católico, evangélico, budista e de todas o budismo foi a que mais me encantou e foi pelo simples facto de se conectar, de respirar, dos mantras e do estar em silêncio, do sentir…. Lá me sentia tão bem, mas era muito novo na época que estive lá.

Meu momento atual apenas é de mais ação e menos teoria e o sentir é algo muito importante. Percebo cada vez mais que estando distante de tudo que depende do “homem” ditar regras e fazer interpretações à “sua” vontade, melhor me sinto, pois “me dou” a oportunidade de me conhecer melhor e de manter a minha conexão com algo MAIOR, mas estou falando de uma conexão sem pedir nada, sem cobranças, sem dramas, sem reclamações e sem nenhum sofrimento.

Estou falando de estar presente. Viver neste momento e neste exato momento que lê este texto experimentar esta sensação, percebendo o ar entrando e saindo, perceba a sua postura corporal é a mais adequada? Sim! Agora, neste momento! Entendeu? É viver conscientemente é estar vivo, mas não apenas estar, mas saber que estou! Sabemos que respiramos, mas quantas vezes sentimos esta mesma respiração que nos mantem aqui.
Estar conectado é “NÃO” fugir de nenhuma dor. Seja física, seja emocional, é estar presente e senti-la, e quando começamos a “sentir” estas dores, percebemos que ela nem dói tanto, pois já não faz mais parte da crença dor que naquele momento “carrega” todas as sensações de uma dor. Começa a ser apenas dor, mas com o registro “de” experiência, de aprender, de compreensão e isso tem uma diferença brutal. Se esta percebendo, fico feliz, mas se por qualquer motivo não estiver, ok! Talvez não seja o seu momento de compreender, mas quando for, lembrará destas palavras.

Este “momento” que me refiro no parágrafo acima é outro aprendizado que tive ao longo de minha jornada e queria muito aprender e compreender coisas passando por cima de outras. Ninguém nasce falando e sabendo tudo… Tem um longo processo de aprendizagem e penso que cada etapa da vida é importante e “se” pularmos uma, logo ela se repetirá até aprendermos de maneira correta.

Estar conectado é para todos, afinal todos podem ir a uma loja e comprar um modem, mas saber usá-lo é outra questão e se deixar de pagá-lo, ele bloqueia e de alguma forma também “pagamos” por esta conexão que aqui falo. Não se trata de dinheiro, mas de uma moeda mais valiosa (Pelo menos para mim) que é o tempo!

Não nos conectamos com algo MAIOR em 3 minutos e nem estalando os dedos… Precisamos de atenção, de respirar, de entrar em sintonia, de captar o sinal, de mergulho…A minha experiência diz que não preciso parar a vida, mas preciso me permitir entrar nesta frequência e isso faz mesmo toda a diferença…

Eu há muitos anos faço minha conexão quando estou no banho logo cedo e quanto mais cedo é meu banho, melhor. Nele respiro e fecho os olhos e vamos dizer que neste momento “ainda” estou buscando um sinal, uma conexão…

Saio para caminhar e normalmente caminho cerca de 1 hora e 1 hora e 40 minutos e em silêncio ou ouvindo meus mantras, consigo rapidamente criar esta conexão, “sinto-a” se espalhando pelo meu corpo, me fazendo um bem tremendo e aproveito cada sensação.

Depois disso vou tratar da minha vida, mas sempre fujo do planejamento do dia e sinto a minha respiração, às vezes fechos os olhos, outras vezes mudo a música que estou ouvindo ou simplesmente fico em silêncio. Isso acontece espontaneamente, mas muitas vezes quando percebo “conscientemente” que estou começando a acelerar a minha mente, normalmente neste momento desacelero, pois é mais importante desacelerar para fazer tudo melhor do que “acumular” e me perder dentro do processo!

Veja – Um Grupo de lenhadores entraram na floresta para derrubar árvores, mas um deles ficou no início afiando o seu machado e todos os demais foram brutalmente derrubando-as e olhavam para trás e riam do que ali estava afiando com cuidado e carinho seu instrumento de trabalho.

Certa altura, alguns estavam mais cansados pois precisavam de mais força, outros voltaram pois tinha esquecido as ferramentas para amolar e o que se preocupou em amolar seu machado foi o único que foi até o final.

Quem na verdade utiliza parte do seu tempo para afinar o machado (Cuidar da sua conexão), consegue melhores resultados do que os outros, pois os demais se perdem, cansam e apresentam muitas vezes obstáculos, enquanto os que estão mais presentes, conectados, enxergam mais a diante, “sentem” mais facilidade de ultrapassar os desafios impostos pela vida.

Minha longa contribuição de hoje é para apenas refletirmos… Quem sabe hoje seja o dia em que o seu sinal com algo MAIOR começa a aumentar, pelo simples facto de você cuidar desta relação… Quando cuidamos, tudo tende a ser mais forte, como esta nossa relação… Que todos os dias cuido e recebo os seus comentários que cuidam de mim e vamos fortalecendo e crescendo juntos.

Agradeço sua persistência de chegar ao fim e se chegou aqui, deixe um número de 1 a 10 para eu saber se compreendeu… seu 1 (muito Pouco) e 10 (Entendi muito).

Até a próxima.

Share

302total visits,2visits today

Comments

comments