Category: Dica Terapêutica

QUER ORGANIZAR TODA A SUA VIDA?

Eu adoro escrever artigos e acredito que até já tenha lido alguns deles, porém hoje será mais poderoso que todos os outros, pois decidi dedicar horas aqui para apresentar uma espécie de “Guia prático” para colocar a vida em ordem. Então se prepare que será longo, minucioso e contará com vídeo e áudio de apoio e espero que some no seu processo de evolução.

Não foi hoje que este pensamento de “organizar” absolutamente tudo surgiu, ele surgiu há pouco tempo, enquanto construía a estratégia de um cliente e percebi que me faria muito bem colocar toda a minha vida em ordem. Quando iniciei, fiquei surpreso como não havia percebido antes que era tudo o que faltava para a minha vida ganhar uma roupagem nova e ao longo deste, compreenderá “e” gosto de pensar que também vai aderir à ideia de organizar tudo.

Ahh, deixa dizer – São 6:15h da manhã, estou no meu escritório, terminei os meus 15 minutos de meditação, ainda sinto o cheirinho agradável do incenso e o meu corpo aproveita a sessão de bem-estar enquanto, com um leve sorriso no rosto, ouço o meu (Jazz) e escrevo este artigo… #Adoro escrever ao som de um leve Jazz… Não sei dizer o porquê, mas me ajuda a criar de maneira conectada.

Há alguns meses atrás fui contactado por um empresário que ouvia os meus Podcasts e a sua curiosidade era saber como eu construía estratégias para as pessoas e porque é que eu estava sempre dizendo que “treinava a mente das pessoas”. Depois de uma longa avaliação online, aceitei e abracei aquele desafio, porém percebi que ele tinha uma vida completamente desorganizada. Os seus pensamentos eram confusos, começava tudo com ânimo e desistia na mesma velocidade, estava sempre envolvido em diversos projetos e era o “conselheiro” da família, mas começou a ficar cansado de acumular tarefas, de deixar coisas pela metade e principalmente de não concluir “a maioria” das coisas que iniciava.

Durante a avaliação disse que anotou uma das frases que ouviu no meu podcast e olhou para ela por dias: “Se está cansado de recomeçar, pare de desistir”. Esta é uma das minhas preferidas e acredito que todos nós (incluindo eu) acabamos desistindo muito de algumas coisas e chega um momento que cansamos de recomeços, né? E isso faz com que a vida entre em um ritmo alucinante onde acumulamos “frustrações”, “decepções” e até momentos de confusões. Contudo, chega uma hora que a vida fica estranha, confusa, desorganizada e nos acostumamos a viver assim dentro desta “organizada bagunça” e sinceramente o “organizado” nesta frase é apenas uma maneira de dizer que isso “é” ilusório, pois olhamos para a “nossa bagunça” e acreditamos que sabemos o que está acontecendo, mas na realidade não sabemos.

A minha maior intenção neste artigo “Guia Prático” é ajudá-lo a pensar sobre tudo isso e poder colocar ação imediata, se organizando a um ponto que as mudanças na sua vida possam ser visíveis. Teremos muitas etapas aqui, desde falar sobre a desorganização mental, o pensamento acelerado até organizar a vida pessoal, profissional e arrumar “e” resolver pendências. Eu quero começar com algo que faz muito sentido pra mim dentro das minhas sessões terapêuticas online: “a negação”.

NEGAÇÃO

A negação dentro da psicologia é um mecanismo de defesa que se refere a um processo pelo qual a pessoa, de alguma forma, inconsciente, não quer tomar conhecimento de algum desejo, fantasia, pensamento ou sentimento.

A teoria da negação foi pesquisada de maneira profunda pela filha do Dr. Freud, a Anna Freud, que classificou na época a negação como um mecanismo da mente imatura porque entra em conflito com a capacidade de aprender e lidar com a realidade. Sinceramente estudando a sua teoria, acredito que faz muito sentido. Durante muitos anos “e hoje” tenho clientes que falam sobre as suas queixas emocionais e mesmo assim insistem em negar que são responsáveis ou que estão vivendo aquele processo.

Pesquisando ainda mais sobre “a negação” me deparei com alguns estudos de psicanalistas contemporâneos que tratam a negação como o primeiro estágio de um ciclo de enfrentamento. Existem imensos estudos sobre o assunto, porém quando olho de perto para este tema, compreendo que o simples ato de negarmos é uma maneira de fecharmos confortavelmente os nossos olhos, mandando uma mensagem “clara” para o inconsciente de que estamos em paz em relação a determinado assunto (penso eu) e meu trabalho como terapeuta tem sido inclusive ajudar estas pessoas a ver que quando entram em negação, nada posso fazer para ajudá-las, pois estão me dizendo que não possuem aquele “problema”.

Vou iluminar a mente de vocês aqui – Eu “Eric Pereira” olhei recentemente para a minha vida com uma atenção maior no inicio da quarentena e sinceramente foi neste olhar mais crítico que observei que a minha vida estava “organizadamente” bagunçada e digo  “organizadamente”, pois estava iludido achando que tudo estava muito bem organizado, enquanto na realidade tudo o que eu estava fazendo era me mantendo ocupado e focado no lado profissional, enquanto muitas coisas deixei para resolver depois…

Quando paramos e estamos mais atentos, começamos a ver o que nem queríamos ver “ou” propositadamente deixamos para depois, esquecemos em algum arquivo mental mais profundo justamente porque resolver (naquela época) parecia mais complicado e como aquilo nunca atrapalhou, ali ficou. Isso me faz imaginar a nossa casa no nosso dia a dia – Colocamos uma caixinha no cantinho da sala, ela incomoda nos primeiros dias e depois parece fazer parte da mobília, então dentro deste sentimento confortável colocamos outra e mais uma e empilhamos várias e voltamos a viver dentro do automático da vida, onde permanecemos cegos. Se torna mais fácil eu dizer que aquilo não é uma bagunça, que não me atrapalha, que não tem nenhum problema estar ali, do que ter que olhar para aquilo, pois se “assumir” que aquilo pode atrapalhar, me sentirei incomodado e terei que resolver, compreende?

Quando me propus escrever sobre “organizar toda a sua vida”, não estava brincando, não quis apenas colocar um passo a passo, dizendo faça assim e pronto! Quero levar você a pensar, a compreender, a mergulhar dentro este pensamento para que a sua capacidade de percepção se expanda e a medida que alimenta aqui a sua mente, possa despertar o desejo de, tal como eu e os meus clientes, iniciar este processo de organizar tudo para ter uma vida mais feliz e durante está leitura compreenderá porque associo a organização a ser mais feliz.

Agora que já entende sobre se manter na posição de “negação” e assumir que tem algo para se resolver aqui, é hora de compreendermos algo importante antes de irmos mais fundo neste assunto: “O Poder da Informação”

Distribuo diariamente muita informação para o meu público e faço isso através de Podcasts, textos e vídeos e sempre com a ideia de entregar conteúdos terapêuticos que possam ajudar as pessoas comuns a se tornarem extraordinárias, pois acredito que quando temos informação conseguimos clarear a nossa mente, mas insisto (sempre) que obter informação é realmente um passo muito importante, porém quando não a utilizamos, ela não vale de nada, compreende isso? Pode ler este artigo mais de uma vez, assistir os vídeos que publicarei e até ouvir o áudio que quero gravar no final, contudo…. sem “ação” tudo não passará de mais um momento de ilusão.

Sinceramente eu acho até um pouco perigoso nos mantermos nesta posição de termos a informação fortemente dentro de nós e não a colocarmos em prática, pois corremos o risco de nos entusiasmarmos imenso e até sentirmos a euforia e imaginarmos como seria se acontecesse, mas este efeito de “imaginar” e não executar pode criar uma falsa realidade que nos alimenta por um tempo e depois é esquecido como tantas outras…

“Já percebeu que algumas situações
quando repetidas, elas se tornam
um hábito e aprendemos com
facilidade a conviver com tais hábitos”

Então use e abuse destas informações para realmente compreender e colocar ação, combinado? Quero que continue a ser um leitor do meu blog, mas quero mais que seja um seguidor de resultados, alguém que coloca ação, energia e faça acontecer, pois as minhas entregas são sempre para produzir transformações e somar no processo de evolução, então vamos nesta!

POR ONDE COMEÇAR?

Pelo começo! Esta é a resposta que vem à minha mente e acredito que à sua também e sendo assim, este começo está aí dentro da sua mente, então vamos trabalhar para organizar os nossos pensamentos, estruturar as ideias, a maneira como pensamos e principalmente para termos a mente leve e livre para podermos organizar tudo o resto.

Sendo o terapeuta que sou, gosto muito de apresentar soluções “mentais” para os meus clientes e por ter como base a Hipnoterapia, ensino-lhes muito a utilizar a meditação e a auto-hipnose e acredito que podemos usar ambas – Uma para desacelerar e outra para nos ajudar a programar e claro que o ideal aqui seria fazer um curso de auto-hipnose e aprender minuciosamente este mergulho, porém vou procurar ajudá-lo a compreender este mergulho…

Na meditação – Eu procuro uma posição confortável, tranquila, escolho um belo mantra e apenas fecho os meus olhos e exercito com atenção o “inspirar” e o “expirar” o ar, fazendo com que eu consiga sentir o ar entrando (inspirar) e ele saindo (expirando) e tudo isso focado no meu corpo, nas minhas sensações e apenas deixo a mente ir… Desacelerar… É claro que no início muitas cenas “invadem” a minha mente e o segredo aqui (na minha opinião) é apenas deixar que estas cenas, venham e vão sem interferir “ou” escolher alguma para manter no quadro central…

A experiência me ensinou que não é fácil (pelo menos para mim nunca foi), deixar ir…mas à medida que fui praticando, experimentando, mergulhando, foi ficando mais aceitável, mais fácil e confortável fazer…

Pode encontrar no Youtube muitos canais focados em meditar, como pode encontrar muitos mantras lindos que somam no processo de fechar os olhos e se entregar. Eu medito diariamente por 15 minutos, no meu escritório, normalmente muito cedo e minha intenção é sempre desacelerar, me entregar para esvaziar a mente e sinto que mesmo quando estou em um momento leve, preciso meditar para manter este processo de esvaziar e sentir-me bem…

A Terapeuta Paula Briani iniciou há pouco um canal muito bom, onde ela tem meditações guiadas incríveis e ontem ouvi uma que compartilho com vocês aqui:

Na Auto-Hipnose – Aqui o mergulho também exige uma respiração tranquila e uma atenção plena, porém em auto-hipnose o transe é conduzido por quem o faz, então quando eu faço auto-hipnose eu procuro mergulhar de maneira profunda em um processo onde “crio” os cenários, onde utilizo ferramentas específicas para ressignificar o que está acontecendo, às vezes utilizando uma auto-hipnose mais instantânea, às vezes indo ao lugar seguro, de qualquer forma dentro do “transe” conseguimos estabelecer uma melhor comunicação interna.

Recentemente gravei uma “introdução à auto-hipnose” para as pessoas que queriam compreender melhor o passo a passo e utilizar esta poderosa ferramenta e vou disponibilizar estes 5 vídeos aqui, mais um vídeo bónus para aumentar o seu entendimento sobre auto-hipnose, porém é preciso separar um tempo maior, pois estas vídeos aulas totalizam um pouco mais de 2 horas, mas garanto que será um tempo muito bem investido, pois conseguirá compreender.

Pode voltar depois e assistir, mas se comprometa a fazer isso, então coloque aí na sua agenda para realmente fazer, pois sem comprometimento esta aprendizagem será perdida, combinado?

Penso que já percebeu que a ideia aqui é trabalhar a mente para que possa realmente “desacelerar” através da meditação diária e reeducá-la e “programá-la” através da auto-hipnose. Por favor, compreenda que não estou falando de passar o dia fazendo exercícios chatos ou a se manter em posições que o vão transformar no próximo “Buda” sagrado do ocidente, ok? Eu hoje não abro mão de meditar 15 minutos no início do meu dia, mas comecei com 5 minutos apenas. Você pode começar com 5 também e aos poucos vai percebendo a sua real necessidade e ainda digo duas coisinhas aqui: A primeira delas é que eu detestava meditar e achava uma grande bobagem e hoje não me vejo levando uma vida sem esvaziar a minha mente. Segundo, a maioria dos meus clientes são meio resistentes no início, mas depois se apaixonam por meditar, então experimente, tanto meditar, como aprender a utilizar a auto-hipnose.

CONTINUANDO…

Então agora vamos avançar para outro tipo de organização tão importante quanto a mental! A minha mãe dizia que a organização começa sempre “em casa” e naquela época (um adolescente) nem queria saber de nada rsss, mas com o tempo compreendi a importância desta frase. Hoje valorizo imenso este tipo de organização e frequentemente organizo as minhas coisas. Confesso que talvez não o faça na frequência que gostaria, mas faço sempre que posso – Lembro que em Novembro/2019, fiz uma grande organização nas minhas roupas e calçado que até fiquei impressionado por perceber quantas coisas estavam ali sem uso, acumulando espaço e energia, que poderiam ser usadas por outras pessoas. Esse foi um dia de limpeza e organização e isso sinceramente dá até uma leveza depois.

A minha sugestão é que tire um ou dois dias para fazer uma varredura nos armários da sua casa e consiga separar aquilo que não lhe serve mais e doe para quem realmente precisa! Na época fiz um anúncio no Facebook e logo apareceram pessoas e se quiser que esta “organização” seja mesmo grande, observe também os móveis que estão ocupando espaço, os utensílios de cozinha e olhe para todos os cómodos da sua casa! Eu não tenho crianças, mas se tiver garanto que vale a pena até fazer uma boa seleção nos brinquedos e jogue fora os quebrados e doe aqueles que os seus filhos não brincam mais e aproveite esta ação para ensinar-lhes a importância de doar, de ajudar o próximo, de ser bom.

Uma Lição

Durante esta pandemia, descobri uma coisa muito importante, ou melhor (eu já sabia), mas nunca tinha colocado em prática, que não precisamos de muito para viver! Preste atenção nisso que estou trazendo, pois é a mais pura verdade e não estou dizendo para se desfazer de tudo, ok? Apenas para olhar com carinho e compreender que “menos é MAIS” nos dias de hoje.

Antes de avançar veja estas 7 valiosas dicas:

Depois de ter tudo organizado é hora de partir para organizar a sua vida de maneira geral e quando falo deste tipo de organização, estou falando de maneira mais estratégica, pois sou daqueles que acreditam que se possuímos uma boa estratégia, conseguimos obter muitos resultados.

Acredito que um passo poderoso para iniciar qualquer organização é olhar para as cenas pendentes e não arregale esses olhos, nem fique aí querendo deixar isso para depois, muitas pessoas querem avançar em um processo deixando coisas mal resolvidas para trás e sinceramente isso nunca dá certo!

Neste exato momento que estou organizando a minha vida, tenho uma lista de pendências que vão desde contas a pagar que ficaram no passado e preciso trazer para o presente, negociar e resolver, até metas esquecidas e projetos iniciados e inacabados. E pode apostar que quando estas “pendências” ficam esquecidas em algum lugar da sua vida, nada vai fluir com tanta intensidade até que coloque tudo em ordem e atenção aqui que nem estou dizendo que precisa resolver tudo imediatamente, ok? Estou dizendo que precisa ter isso na sua lista de prioridades e essa lista precisa ter data e hora para ser resolvida, pois se ficar abandonada, logo esquecerá de novo…

Sem medo de errar eu digo que “coisinhas” mal resolvidas são como pedrinhas no sapato que nos incomodam a continuar andando e podem até criar feridas mais profundas, então mesmo que custe, tome uma respiração mais profunda, pare de procrastinar e resolva, sem falsas ideias de solução, ok? É mesmo para resolver e se for grande demais, resolva por etapas e lembre-se que o importante é resolver para se livrar “da pendência”.

ORGANIZAR A VIDA
PASSO A PASSO

A esta altura penso que percebeu que organizar a vida não se trata de estalar os dedos e fazer magia, né? É um árduo trabalho que exige, além de alguma motivação, muita disciplina e gosto muito de pensar que esta disciplina vem com o facto de aumentarmos a nossa consciência, pois enquanto vamos entendendo, fingindo que estamos fazendo e nos perdendo no contexto, tudo vai se tornando num grande sobe e desce de acontecimentos, em que ora estamos muito bem e ora muito mal e mesmo não acreditando que seremos felizes para sempre quando mantemos uma vida organizada, sou dos que acredita que as chances são maiores, (muito) maiores do que quando estamos vivendo dentro do caos.

Atendo cerca de 4/6 clientes por dia em sessões online e na maioria dos casos, independente da queixa emocional, preciso organizar antes a casa para depois trabalharmos as questões e sabe porque este é o primeiro passo? Pois se o “caos” está presente e a bagunça é grande, nem o meu cliente saberá me dizer por onde podemos começar e às vezes vão 2 ou 3 sessões organizando os pensamentos, as últimas ações, os acontecimentos menos bons e “até” os momentos de imenso caos e quando concluímos estas etapas “enxergamos” e vou repetir aqui para fixar, ok? “Enxergamos” melhor o cenário geral e então aí podemos trabalhar melhor.

Se deseja organizar MESMO com seriedade para dar uma super volta na sua vida é necessário que você aja da mesma forma, pois só assim verá o que precisa ser feito e cá pra nós, vamos acrescentar aqui uma dose de realidade? Como organizamos tudo com uma mente acelerada, com uma vida completamente repleta de pendências e problemas?

Acredito que o processo que se segue depois de tudo o que já falamos é termos a capacidade de olhar com muita atenção para todos os setores da nossa vida e penso que separar por setores pode mesmo ser mais produtivo, então recomendo que tenha em mente uma roda da vida, sendo:

Não necessariamente precisa ser organizado nesta ordem, mas creio que estes são os setores que merecem uma atenção especial e quando olhar para cada um deles pode fazer uma avaliação de 0 a 10 para compreender o quanto tem trabalhado aquele setor, entende? Por exemplo, há pessoas que quando o assunto é qualidade de vida dão “dois” para a família, “zero” para o “desenvolvimento amoroso”, mas conseguem classificar as suas “vidas sociais” com um gordo 10, e atenção aqui que não existe certo ou errado, pois o meu objetivo não o transformar num super crítico, mas numa pessoa que enxerga com clareza a vida, que não “nega” as suas falhas e tem habilidades para trabalhar a organização “e” equilibrar a sua vida.

Eu, não tenho 10 em tudo, ok?! Tinha muitos “zeros” e alguns “dois” e depois de ficar mais atento, consegui trabalhar para equilibrar o jogo! E mesmo assim às vezes um sobe de mais e outro cai e se me perguntar se é normal, não sei, penso que sim, mas o importante é que à medida que vou organizando tudo sinto o equilibro, a média e é neste momento que digo que estou bem. Às vezes nem se trata de uma felicidade absoluta, ok? Mas se um estado de “missão cumprida”, de vida em andamento…rs! Acho que ficou melhor assim.

PARA FINALIZAR

Acredito que não tem todas as informações até porque algumas são muito pessoais e precisamos dar início ao processo e ir enxergando a continuidade dele, mas quando o iniciar, acredito que conseguirá dar continuidade, agora grave no seu coração isto – Todo o processo de transformação precisa ser encarado com seriedade ou um bom acompanhamento, para não desistirmos logo nos primeiros obstáculos e pode apostar que eles surgirão, mas não se deixe intimidar, não permita que isso roube a sua vontade de mudança.

Pode parecer difícil, pode parecer complexo “e” às vezes pode até parecer que tudo indica para que você desista, mas por favor, não faça isso! Se precisar descanse, tome uma respiração mais profunda, duas ou três, mas não desista, pois se fizer isso vai aos poucos acumulando momentos frustrantes e isso não ajuda a transformar, ajuda é a desanimar.

Estou aqui e posso ser o seu Coach durante todo este processo ou apenas somar no seu processo através do #podcast365, o que importa de verdade é que quando começar não olhe pra trás e continue até atingir os seus objetivos.

Espero que tenha gostado e se gostou escreva aí o que achou deste artigo! São justamente os comentários que me animam a continuar a escrever todas as semanas.

Forte Abraços,

Eric Pereira
Fundador do Instituto Ponto de Equilíbrio
Coach e Hipnoterapeuta

 

Read More

É você que dá o PODER.

Este é um daqueles artigos que já inicio com um leve sorriso no rosto, pois sem nenhuma dúvida surpreenderá você e posso afirmar isso, pois “me surpreendeu” quando comecei a pensar sobre isso na última sexta-feira enquanto meditava e via o sol nascer e em algum lugar deste artigo vou colocar o vídeo para você ver o que gravei…

Em 2018 fui convidado para ministrar uma palestra em Londres sobre hipnose e fiquei muito feliz pelo convite e até eufórico e triste minutos depois quando soube que não podia ter um intérprete e por eu não falar inglês, já não podia ir. Naquele momento culpei os organizadores, achei um absurdo já que tinha dado aulas na Áustria, nos EUA e até na Espanha usando um intérprete e porque não poderia fazer o mesmo ali? Dias depois, retomando a consciência, compreendi que não existia nada de errado, eram as regras deles! Eu é que dei “poder” e muito ao pensamento de “eu não preciso do inglês pra nada”.

Quando digo que nós damos poder a uma situação é sobre isso que estou falando – Damos poder, alimentamos e alimentamos de novo, fortalecemos “a” situação a tal ponto que depois achamos que estamos a ser “injustiçados” e pegamos o facto e construímos à volta dele toda uma bela história e “às vezes” até saímos como vítimas, pobres coitados injustiçados pelo destino e sinceramente isso nunca fez tanto sentido como neste momento. Compreende o que estou dizendo?

Lembro de um tratamento onde a esposa reclamava que o marido a deixou e durante 12 anos ela cuidou da casa, dos filhos e foi abandonada injustamente. Sinceramente não foi fácil fazê-la enxergar que foi ela uma das responsáveis por tudo o que aconteceu e digo (umas das), porque quando o assunto é casamento penso eu que a responsabilidade sempre é de 50% para cada um e durante estes 12 anos que afirma ter sido injustiçada, ela foi dando poder a ele, alimentando e permitindo que ele continuasse a fazer o que estava fazendo. Podemos até entrar aqui em uma série de discussões, sobre confiança e lealdade e até são palavras que gosto imenso, porém mesmo que você seja uma pessoa leal, não significa que as outras pessoas também o serão, não é mesmo?

Quando falo sobre isso com alguns dos meus clientes eles sempre me perguntam: “E agora, então como não damos este “poder”?”, e sinceramente a questão aqui nem é não dar o poder, é saber para quem você o entrega e de que maneira, pois hoje, mais consciente das minhas atitudes não dou poder para qualquer pessoa, muito menos para qualquer situação e mesmo não sendo um “Hipervigilante”, acredito que por estar mais consciente evito dar tais poderes “e” quando preciso, retiro na mesma velocidade com que dei!

Tinha um amigo no Brasil a quem dei muito poder, até mais do que ele merecia, mas era um daqueles amigos que chamamos de “irmão” e quando nos encontramos beijamos no rosto até ao dia que percebi que ele estava fazendo o que queria comigo e uma determinada situação foi para mim a gota de água. Nesse mesmo momento revoguei imediatamente os seus poderes e nunca mais trocamos uma palavra e até aquele dia (Atenção aqui), ele fez o que queria, da maneira como ele queria até o segundo que retirei o poder que dei e daquele segundo em diante nunca mais ele teve motivos para me machucar. Curioso, né? Parece simples, mas garanto que não é, pois, a maioria de nós (inclusive eu) queremos dar mais uma chance, queremos olhar por outro ângulo e até contamos lindas histórias na intenção de justificar que podemos “manter” este poder (ou) quem sabe diminuir um pouquinho…. Esquece! Esquece MESMO!

Eu poderia fazer uma extensa lista inclusive sobre situações que damos poder e nem percebemos e acredito que a maioria delas você não vai gostar de ler, quer ver uma? Conheço pessoas que mesmo com 35/40 anos ainda dão poder para os seus pais se meterem na sua vida! Por algum motivo insistem em manter “e” alimentar este poder e com isso os seus pais se aproveitam e opinam, controlam, abusam e até constroem instabilidade no filho. Eu já tive uma sociedade onde dei tanto poder ao meu sócio que ele “quebrou” a empresa e fiquei com uma dívida um pouco maior que 1 milhão de dólares e no final acusei-o, falei, apontei o dedo, mas o facto é que eu fui tão responsável quanto ele e sem o “meu poder”, o meu aval, ele jamais teria feito o que fez.

Este problema me roubou 4 anos da minha vida e não foi fácil pagar está dívida e aqui percebemos inclusive que algumas situações além de tudo ainda possuem consequências graves, muito graves. Por isso acredito que sim, vale a pena olharmos com mais atenção para quem escolhemos para entregarmos o poder e dentro deste mesmo raciocínio gosto de pensar que algo que nos ajuda a transformar imenso a nossa vida é quando damos “significados” as situações, pois no momento que fazemos isso vamos colocando “ou não” intensidade nas coisas. Há dois dias atrás eu estava em um lugar que gosto muito no meio da natureza, gravando uma aula para o programa terapêutico “Quatro Camadas”, um programa sobre medo! Eu fui muito cedo para lá e quando terminei de gravar, o sol estava nascendo de uma maneira linda e aproveitei para fazer um vídeo sobre “significados”, veja aqui:

Interessante é que além de dar significado às coisas, tenho nos últimos 3 anos ensinado inúmeras pessoas a fazer o mesmo e o feedback que tenho recebido tem sido realmente incrível! A maioria das pessoas compreende que quando (em primeiro lugar), vamos em busca “de” colocar o significado, algumas coisas deixam de ser importantes (curioso, né?!) e o que antes parecia tão interessante, olhando com mais precisão, se tornam comuns e em alguns casos até passageiras…Outras pelo contrário ganham uma importância até maior e agora com um significado!

Vamos um pouco para a prática para iluminar o que digo – Meditar de manhã era algo que considerava chato e sinceramente uma perda de tempo, depois fui sentindo que poderia ajudar já que a minha vida era muito atribulada (hoje é menos). Depois comecei a gostar de meditar e cada mergulho começou a ganhar cada vez mas importância na minha vida até ao momento em que dei “um significado” ao ato de meditar e isso me fez enxergar com lentes incríveis e muito especiais. Hoje não consigo me ver sem ouvir os meus deliciosos mantras pela manhã e fazer minha meditação, é justamente nesse momento que eu “esvazio” a minha mente…. E assim foi com a auto-hipnose, com o #podcast365 e com muitas das coisas que faço hoje. E atenção aqui (por favor), muitas coisas que antes apenas ocupavam espaço na minha vida e na minha mente também, eu consegui abandonar depois de perceber o “significado”, a real importância, se não tinha nenhuma ou era muito pequena para continuar a perder tempo com aquilo.

Há pouco tempo no meu consultório em Lisboa, tive um dia muito desgastante com um colaborador que atendia comigo lá e no final do dia permaneci ali por mais ou menos umas 2 horas, o consultório de Lisboa tem uma vista linda (Saldanha) e comecei a pensar, porque dei tanto poder a esta terapeuta? Naquele instante ficou claro (pra mim) que tudo começou com “o significado” que dei aos nossos primeiros encontros em que achei que ela era uma super terapeuta, cheia de argumentos fortes e uma energia poderosa, mas na verdade isso era muito pouco para eu entregar-lhe tal poder. Compreende o que estou dizendo aqui? O significado, o dar poder foram ações inconscientes! Completamente e se eu tivesse feito isso realmente consciente, se eu tivesse colocado meus dois pés no chão (como faço hoje), jamais teria dado significado ao que vi e com certeza o poder também não seria entregue, simples assim.

Da mesma forma que eu dou poder a alguns mestres e professores que passaram e ainda estão na minha vida, sei que outras pessoas dão poder a mim também e fica claro pelas centenas de mensagens que recebo semanalmente, pelos comentários que isso gera e se me perguntar se é bom ou ruim, eu diria que é o que é! Agora quando você que me lê, que me segue, me entrega este “poder”, está dizendo para você que sim, que pensa como eu ou que gosta do que faço e como falo e isso faz você abrir um elo de conexão comigo e talvez “e só talvez” até um elo sem filtros, ou seja, eu falo e você absorve, entende? Eu tenho este elo com muitos professores que ouço e leio e as suas informações entram MESMO como semente e eu sou completamente solo fértil para eles (atenção), não para todos, mas para aqueles a quem decidi entregar este poder.

Para quem “ou” qual situação tem entregado o seu poder?!

Adoraria que você deixasse um comentário aqui em baixo deste artigo para saber se já pensou desta maneira e se este artigo ajudou em algo. E se ainda não segue o meu canal no Youtube, por favor faça, que verá uma série de novos vídeos e com certeza vão lhe ajudar a avançar para o próximo nível.

Obrigado por estar desse lado e espero lhe encontrar em breve…

Eric Pereira
Fundador do Instituto Ponto de Equilíbrio
Coach e Hipnoterapeuta
WhatsApp +351 912607888

Read More

Ter paz ou estar certo?

Olá!

Aqui é o Eric e depois que coloquei a minha seleção de músicas para escrever e coloquei o título, fiquei olhando para a tela por alguns minutos deixando a música me guiar e quando percebi o azul escuro da minha mente estava repleto de imagens e lembranças e algumas não foram tão confortáveis assim – Interessante isso e nem foi a minha intenção que estas imagens surgissem assim, “tão de repente” e do nada…. Bom, pensando bem, não foram do nada, né? O título as convidou para entrar e ok, está tudo certo, então aproveito para iniciar por aqui…

Durante muitos anos eu quis estar certo! Briguei, lutei, entrei em conflitos, estraguei sociedades, parcerias, relacionamentos e tudo isso (e mais um pouco) para ter razão! Algumas vezes consegui e subi no pódio “da” razão, mesmo sem ter ninguém para aplaudir, nenhum prémio para receber, mas subi e lá no alto, ocupando o primeiro lugar, o que tinha razão afinal, também descobriu que junto dessa vitória vinha alguma solidão! Outras vezes, por maior que fossem os meus argumentos e brava a luta, não consegui manter a “MINHA” razão e saí perdedor, triste, mal. Mas mesmo assim, sem ser reconhecido como “o” que estava certo, recebia sempre um prémio de consolação e por mais que às vezes este prémio mudasse, na maioria ele era a falta de energia, o desgaste emocional, a sensação de cansaço que “às vezes” parecia durar semanas.

Com poucas linhas escritas penso que sua mente sábia já deve ter a resposta para a pergunta que está no topo da página, certo? Pelo menos sabe que esta hoje é a minha resposta e não tenho dúvida que será sempre assim, que a minha escolha será ter paz ao invés de estar certo e no decorrer deste texto te incentivarei a também fazer esta escolha “e” outras tantas saudáveis e que juntas ou isoladas, poderão transformar sua vida.

Algumas vezes quando defendi este ponto de vista ouvi alunos meus me perguntarem se não brigar pelo que desejamos não é um sinal de fraqueza e claro que respondi com um enorme e bem entonado SIMMMM! E este mesmo aluno me perguntou se eu não estava sendo incongruente e não estou – Querer ter paz, não significa não lutar, não fazer de tudo para conquistar, não buscar forças externas para fazer acontecer! Querer ter paz é fazer tudo isso “e” mais um pouco sem ter que provar para as outras pessoas, sem brigar para que todos ao seu redor compreendam e espero que você aqui já esteja compreendendo isso.

Até hoje, neste momento atual da minha vida tenho algumas pessoas que me questionam (mais do que imaginam) e alguns destes querem trazer “teorias” do que é certo e errado “e” alguns até se atrevem a querer me provar que estou errado e sabe qual é a postura que aprendi a ter? Ouvir, prestar atenção e ser grato e sabe porquê? Porque não sou unânime em absolutamente nada nesta vida e sim, pode ser que alguma sugestão possa me ajudar, porém a maioria não soma, pois a pessoa que diz que eu estou errado, ela está se baseando em apenas um movimento que ela está vendo e não enxerga todos os outros que existem por trás daquele movimento, então na visão dela posso até estar errado, sim! Claro, mas na realidade não importa o que “ela” acha, o que importa é que estou focado fazendo acontecer dentro “da minha paz” e óbvio que nem sempre é assim, mas na maioria das vezes é sim!

Inclusive depois que decidi escolher ter paz ao invés de estar certo, observei que eu também muitas vezes estava do outro lado, criticando, julgando e apontando o meu dedo e inúmeras vezes balançando a cabeça de um lado para o outro pensando: Isso não vai dar certo! E com esta postura quase que imediatamente diminuí o meu julgamento e como ser humano que sou, às vezes dou por mim julgando, mas a minha mente treinada me faz sorrir, soa o meu alarme interno e logo saio daquele padrão de saber tudo e de julgar.

Sem medo de errar, direi que abandonar o trono de “julgador” nos proporciona uma sensação de leveza tão boa que é até difícil de descrever, só fazendo para perceber, pois no final, com a minha experiência toda de vida, com todos os meus títulos de “chato honorário da certeza suprema”, descobri que ninguém está certo, cada um tem é uma visão diferente da vida e está tudo certo sermos assim… Agora quando alguém insiste muito em querer controlar a minha vida, logo convido esta pessoa a usar os meus chinelos, para que possa seguir os meus passos, viver como eu e quem sabe assim ela possa compreender as minhas decisões. Ops, eu disse “as minhas”, ahh ok! Então…. As minhas decisões.

Às vezes tenho a impressão (a falsa impressão) que precisamos estar certos! Humm, deixa-me reformular esta frase – Às vezes tenho a impressão de que “precisamos” estar certos, sei lá porquê! Talvez para mostrar às outras pessoas que sabemos mais? Quem sabe para impressionar “outras” pessoas?! Ou simplesmente para preencher um vazio interno que necessita deste tipo de “poder” para preencher o Ego! Aiaiaia, este tal de Ego, ele se sente, não acha? Sempre querendo, de nariz empinado, fazendo questão de estar na frente!

Este ano (Dezembro), faço 44 anos! Uauuu, a idade está chegando e gosto de lembrar do jovem que eu era com 16 anos… Novinho… Casado, pai de uma linda menina (Thais), um desbravador, acreditava em tudo, em todos, era insaciável, tinha uma sede de poder e naquela época nem sabia o que significa a palavra paz e muito menos estar certo, pois a fase era de “ser esponja”, absorver, absorver e absorver….

Há uma semana atrás gravei um podcast sobre “deixar de ser esponja e se tornar filtro”, assista e se ainda não segue meu canal, esta pode ser uma oportunidade perfeita:

O tempo passou… Ou poderia dizer, voou…. quase 44 e hoje, falo para plateias imensas, tenho fila de espera no consultório, estou indo para o 4 livro e recebo dezenas de mensagens todos os dias falando do meu trabalho. Mas junto com tudo isso, recebo também críticas, às vezes até umas pedradas que vêm mesmo com a “intenção” de machucar, mas aqui pra nós até confesso que gosto de tudo isso, pois aprendo imenso com estes “ataques” e é este equilíbrio que me coloca na posição de estar em constante aprendizado. Okok, sim, às vezes dói um pouco, mas a vida não é feita apenas de confetes, né? Precisamos de um pouco de realidade também.

Quero que compreenda, por favor, que quando falo em escolher ter paz, não significa que nada vai lhe atingir, que apenas bons acontecimentos vão fazer parte da sua trajetória e aqui eu ia dizer (bom se fosse), mas nem sei se é bom vivermos dentro de uma redoma onde só coisas boas acontecem, senão aprenderemos como? Sempre por amor e somente pelo amor? Não sei se teria a sua graça…

De qualquer foram escolher ter paz ao invés de estar certo, faz com absoluta certeza que possamos ter a mente mais vazia, economizemos energia e na maioria das vezes temos a oportunidade de olhar um pouco mais distante para aqueles que desejam brigar, que aliás fazem questão de levantar a voz, bater na mesa e de estarem certos em tempo integral.

Eu não sei se é porque sou terapeuta, porém estou sempre analisando “ações” e a falta delas também rsss e muitas vezes observo em silêncio com a frieza que o momento exige e muitas vezes “até” vendo o facto devagar, por ângulos diferentes, em câmara lenta….Por ter aprendido a ouvir mais e falar menos, a fazer as perguntas certas em busca de respostas precisas, me tornei (penso eu) um ótimo observador, inclusive da minha própria vida e isso me faz na maioria das vezes compreender tantas coisas que nem imagina….

Experimente ser mais “ouvindo”, falar menos, bem menos, muito menos e ouvir com ouvidos mais clínicos, mais atentos… Acredito que pode ser um processo mais difícil no início, mas garanto que é tãoooo satisfatório com o tempo. Começa a compreender as situações ao seu redor, começa a abrir mão de tantas coisas e sem nenhuma dúvida valorizará outras e com o passar do tempo descobrirá o poder, o incrível poder de ter mais momentos felizes….

Espero que tenha sido para você tão bom quanto para mim estar aqui e “já” aproveito para deixar abaixo o meu instagram e facebook, caso queira assistir às minhas lives terapêuticas que acontecem às Terças (10h) e Quintas (20h), de Portugal.

Até ao próximo artigo,

Read More

6 coisas que nos levam ao FRACASSO!

Esta semana estava fazendo a minha caminhada de manhã, dando o meu máximo ali para diminuir 3 minutos do meu tempo, enquanto pensava em uma série de coisas que contribuíam (negativamente) para não conseguir atingir algumas metas. A minha mente viajou ali, uma lembrança me levou a outra e quando percebi identifiquei só ali, uma série de coisas que estava fazendo que estavam me levando ao “fracasso” em um determinado tema. Isso me encorajou a sentar e fazer uma lista, perceber algumas atitudes e perceber outras.

Depois de ter feito isso comigo, também consegui enxergar estes mesmos padrões em alguns clientes, claro que fui logo tomando nota e até propus um exercício para que eles fizessem durante 15 dias, um pequeno desafio. Então hoje decidi sentar aqui e falar um pouco sobre algumas destas coisas que às vezes nos levam a fracassar em um determinado tema da nossa vida. Apenas peço que tenha atenção ao texto pois não estou dizendo fracassar em tudo, ok? Sou muito, híper bem sucedido em alguns temas e fracassado em outros e atualmente a estratégia que mais uso é alimentar o que está dando certo, estar atento para não sair dos trilhos e entender e trabalhar “com força” aquilo que não está dando certo. Então vamos lá às 10 coisas que nos levam ao fracasso e provavelmente você nem percebe.

Baixa “autoestima”

Vamos começar pelo óbvio e penso sinceramente que isso serve para todos os setores da nossa vida – Se você não acredita em si, quem vai acreditar? Já passei por momentos muito ruins nesta minha vida, alguns “inclusive” em que achei que não conseguiria nunca mais sair, mas acredite, sempre tive um forte gatilho para manter a minha autoestima em alta e muitas vezes bemmmm altaaaa! Acreditar, sentir na pele, melhorar a nossa postura é o que nos torna grandes internamente e tenho a certeza de que aqueles que transmitem a mensagem errada para a mente inconsciente não conseguem avançar em nenhum setor, pois estar de bem consigo mesmo é um princípio, entende?

Já conheceu alguém que transmite uma mensagem boa, positiva com os ombros caídos para frente, que anda com a cabeça pra baixo e suspira a cada 30 segundos se lamentando da vida? Normalmente estas pessoas se condicionam o tempo todo, se acham feias, estranhas, com falta de inteligência e passam a mensagem errada para as pessoas, mas principalmente para elas mesmas, então cuide da sua autoestima, se olhe no espelho sorria, sinta, seja a sua melhor versão!

Falta de Foco

O fundador da Apple, Steve Jobs dizia: “Algumas pessoas acham que foco significa dizer sim para a coisa em que você irá se focar. Mas não é nada disso. Significa dizer não às centenas de outras boas ideias que existem. Você precisa selecionar cuidadosamente”.

É interessante isso, pois como Coach desenvolvo muitos processos para os meus clientes e na construção das estratégias falo muito sobre esta habilidade que deve obrigatoriamente ser construída durante o processo “a arte de saber dizer não”, pois quando decidimos por um projeto, seja pessoal ou profissional, várias coisas surgem, como se estivéssemos sendo testados e quem sabe estamos mesmo, né?

Eu sempre recebo propostas que fogem de tudo aquilo em que estou focado e algumas delas até financeiramente parecem tentadoras, porém é claro que vão me distrair, me levar para um caminho oposto do que estou seguindo e por isso sempre digo que num planeamento iniciamos por identificar e construir o nosso propósito de vida, pois ter um muda completamente tudo. Não é obrigado a ter um, atenção que pode viver aqui e ali, fazendo o que te agrada naquele dia, mas quando fazemos algo “de propósito”, ahhhh, que sensacional….! A vida ganha motivos, foco e conseguimos enxergar tudo com mais clareza.

Não ser merecedor.

Em 1985 a Dra. Pauline Clance trouxe a ideia da “síndrome do impostor”, afirmando que era algo ativo em pessoas que possuíam o “sentimento” intenso de que as conquistas delas eram indevidas e que a qualquer momento elas iriam ser expostas como uma fraude. Tal sensação pode ser adquirida por qualquer pessoa, aconteceu com Mike Cannon-Brookes, Co-CEO da gigante empresa de software, a Atlassian, que emprega milhões de funcionários. Ele em uma postagem disse: “na maioria das vezes não sei exatamente o que eu estou fazendo”.

Nestes 21 anos já tratei inúmeras pessoas que não se sentiam “merecedoras” e que possuíam fortes programações (a maioria da infância) e que à medida que iam avançando na vida, elas se perdiam, se sabotavam, construíam verdadeiros muros entre elas e o seu objetivo final, pois algo (interno) alertava que elas não mereciam e em alguns casos tive clientes que quando sentiam que não eram merecedoras, ainda se puniam, sentindo dor, causando “a dor” ou fazendo algo para se sentirem menos bem, talvez até para justificar o que estavam fazendo.

Na minha opinião, o não merecimento é algo que precisa urgentemente de tratamento “ou” como gosto de falar para meus clientes, precisam de treinamento! Sim! Pois podemos treinar a nossa mente sábia para que ela mude tais comportamentos.

Ser arrogante

Não me orgulho do que irei contar aqui, ok? Mas houve um tempo, há muitos anos atrás em que eu era um “arrogante de merda”, uma pessoa sem muita sensibilidade que acreditava que podia gritar com as pessoas, mandar embora e humilhá-las. Isso foi antes de ser terapeuta e continuou até aos primeiros anos e é claro que o Universo puxou o meu tapete, me deu uns fortes abanões e me colocou de castigo no fundo do poço “e” sozinho. Quando sai dali, percebi que era uma pessoa melhor, 100 x melhor!

A arrogância destrói muitas pessoas e infelizmente algumas não percebem que o são, elas dizem que são assim porque são, se dizem sinceras, frontais e eu sou sincero e frontal (bastante até), mas aprendi que o problema NUNCA era o que eu falava, mas sim, (como) eu falava! Isso é que estragava com tudo! Quando eu estava mesmo no fundo do poço e não tinha dinheiro nem para comprar um simples almoço num restaurante barato e fui a casa de um “amigo” pedir dinheiro emprestado, amigo este que vivia na minha casa com piscina nos finais de semana, e ele me disse não, pois eu não teria como pagar e disse que tinha mais o que fazer para eu me retirar. Naquele exato momento entendi o que era arrogância e não virei as costas triste, comecei a rir e ri muito, acho que por um bom tempo eu ri.

Observe como age com as pessoas, pense como as pessoas vêem você, como elas acreditam que você realmente é, pergunte se for necessário e não estou falando para você mudar a sua “maneira de ser”, ok? Apenas para transformar a sua maneira de ser, que é bem diferente! Arrogância não leva ninguém a lugar nenhum.

Desperdiçar tempo

Sempre digo que “tempo” é uma moeda rara e cara, provavelmente uma das mais importantes que eu conheço e claro que já a desperdicei imenso, mas hoje aproveito como nunca e vou recomendar aqui um dos meus podcasts para ouvir e compreender melhor sobre “aproveitar o tempo” – Talvez você saiba, mas diariamente eu gravo um podcast com algum tema, todo os dias do ano – Ouça este aqui

Acredito que quando damos atenção ao nosso tempo…peraí…Acho que posso fazer melhor que isto…quando valorizamos o nosso tempo (agora sim), nós nos preocupamos em ter uma agenda, em fazer um check-list, em aumentarmos a nossa atenção “inclusive” para tudo o que pode roubar o nosso precioso tempo. Para isso precisará aprender a tomar nota, a escrever e a ter o hábito de analisar o que escreve semanalmente, pois se apenas escrever sem ler, isso se tornará num “desabafo” e de nada servirá… “ou” servirá de muito pouco! Precisa escrever e ler.

Observe o tempo que tem e faça uma pergunta valiosíssima a si mesmo, uma pergunta de 1 milhão de euros – Estou utilizando bem o meu tempo? – faça esta pergunta 2, 3, 100 vezes se for necessário até que consiga extrair de si a melhor resposta e que esta resposta o leve a tomar as melhores decisões e que em todas elas a “gestão do tempo seja prioridade, combinado?

Começar, parar, (re)começar, desistir….

E para fechar esta sequência de seis coisas que nos levam ao fracasso, a campeã de todas! (Pra mim) é começar algo e desistir e depois fazer de novo e (re)começar e desistir! Eu confesso que já vivi isso na pele e um dia estava tãoooo cansado de recomeçar que parei de desistir!

Sei que isso pode até parecer um pouco complicado, mas o “desistir”, o começar e não ir até o final, muitas vezes cria em nós situações (menos boas), como se fosse abrindo pequenas brechas para este mau comportamento, compreende? Um dia abandonamos, outro também e quando nos damos conta, isso se tornou um hábito. Uma coisa que aprendi com alguns dos meus clientes é que é viciante o desistir e recomeçar, inclusive porque “TODO” o início é desafiante, delicioso, exige planos, ideias, criar, acreditar e isso é muito sedutor…

Avalie por exemplo os seus namoros! Como é a fase da conquista? O primeiro beijo, primeira noite de amor, conhecer os pais, os amigos, fazer de tudo para ter “a aprovação”, a sensação, a saudade, o amor, diria até mais… A chama que está super híper acessa….Entende?

E o que podemos fazer? Podemos e, na minha opinião devemos, ter melhorias continuas e por isso vou recomendar um pequeno vídeo meu no YouTube no qual falo exatamente sobre isso. Se puder veja e para saber que você assistiu, deixe um comentário lá, por favor. Se não me segue ainda, siga para receber conteúdos meus em primeira mão.

Melhoria Contínua

Artigo longo? Simmmm! Como (euzinho) adoro escrever….

Sei que algumas pessoas não curtem muito, porém desta forma a informação chega até você de uma maneira melhor. E para conhecê-lo melhor, vou pedir para escrever aí em baixo qual destes 6 pontos sente que é o mais difícil para si? Pode marcar mais de um, é claro.

Abraços e até à próxima,

Read More

O Jogo da INSATISFAÇÃO.

Eu queria muito, cheguei a imaginar, desejar, fantasiar…Sabe que no fundo, se eu tivesse, eu com certeza me sentiria melhor, muita coisa na minha vida seria diferente (um suspiro), sério! Pode até achar que é uma “futilidade” e pode ser para você, mas para mim é mesmo uma questão de necessidade.

(Consegui) – A sensação de conseguir, de conquistar, de ter me deixou cheio de entusiasmo e posso até sentir como é bom (ter) isso – Sou mesmo uma pessoa de sorte, meu deus! Como sou grato por ter!

(alguns dias depois) – Nossa, sinto que me falta algo e não sei bem explicar porque sinto isso, talvez me falte preencher alguma coisa aqui dentro, ai detesto quando me sinto assim, deste jeito! Oi? O que eu queria? Do que está falando? Ahh, ok, mas não é isso, é que sinto que preciso agora de….

Olá!
Aqui é o Eric e quis muito falar sobre este “simples”, “complicado” jogo da insatisfação, pois cada vez mais ouço clientes meus falarem (não abertamente) sobre estes seus processos de insatisfação, de desejar muito, de conseguir (às vezes a qualquer custo) e depois perceberem que na verdade o que queriam mesmo era outra coisa e muitos são os que chamam de “coisa” o que não se pode explicar “ou” materializar, pois na verdade tudo o que querem é preencher um pequeno vazio que continuará lá, pedindo para ser preenchido e talvez “e” só talvez, este preenchimento pede menos, enquanto achamos que é mais.

A insatisfação nos transforma muitas vezes em lutadores! Fortes e invencíveis lutadores que temos “sangue” nos olhos e foco total para conseguir, ou seja tudo isso só vai até à página 10, depois é sentir tudo de novo e aumentar a lista de reclamações – Eu nesta idade ainda não conquistei…. Eu já fiz tantas coisas, mas nunca consegui…. Vi que ele com metade da minha idade tem duas vezes mais do que eu, que ela sem instrução conseguiu em 1 ano o que não conquistei em 12 e “claro” que não basta sentir “o” vazio, os insatisfeitos precisam reclamar, fazer comparações para fortalecer aquilo que para ele é o mais preciso “a arte de dizer o que não possuem”, mas se….

Mentes confusas, quem sabe às vezes “perturbadas”, perdidas? Talvez! Se eu pudesse falar para estes insatisfeitos como homem livre que sou, eu diria em tom alto e claro – Fodaseeeee! Pare com as tretas, chega de merdas e saia desta bolha de falar, falar, se queixar, reclamar, organize a porra da vida e faça acontecer uma coisa de cada vez! Se eu posso, se ele pode, todos podem! Quer desistir? Desista de ser fraco e ponto final (Aqui já estaria em um tom de voz mais alto).

Porém sou um Hipnoterapeuta, conhecido pelo que faço e “principalmente” pela forma como faço, então recomendo que faça algumas sessões de hipnoterapia, permita-se mergulhar em um processo onde possamos juntos trabalhar para descobrir o que realmente impede você de conseguir viver sendo mais grato, conquistando, sem obsessão e quem sabe se trabalharmos os dois juntos com determinação até possamos construir uma bela e eficaz estratégia para fazê-lo viver e “não” sobreviver neste lindo planeta repleto de tantas oportunidades!

Sabe como me encontrar, né? Então se desejar pode chamar-me e conversamos.

Abraços Hipnóticos,

Eric Pereira
Fundador do Instituto Ponto de Equilíbrio.

Read More
507825094

Sobre Sentir-se verdadeiramente bem!

Olá!

Aqui é o Eric e hoje quero falar sobre sentir-se bem, muito bem, verdadeiramente bem.

Eu acordei às 4:55 e despertei como se tivesse um compromisso, sabe aquele despertar sem nenhum sono? Então… Esse mesmo!

Permaneci deitado por algum tempo, olhei para o lado e minha esposa dormia tranquilamente. Olhei para a janela à minha frente e via o dia amanhecer…. Ainda meio escuro, porém clareando e me perguntei porquê?!

Porque acordei tão cedo e quase que imediatamente minha “voz interna” respondeu: “Talvez a pergunta que eu deveria fazer era: Para que?!” E sorri, simplesmente sorri, levantei e preparei um café, fui à janela e fiquei admirando o “lá fora”, a beleza, o céu que mudava de cor, o desenho que se desfazia, ouvia os pássaros e com um leve sorriso no rosto fiquei pensando porque as pessoas (insistem) em se manter em suas prisões mentais, quando muitas vezes ofereço a chave para que elas se libertem…

E talvez pelo silêncio do amanhecer, talvez apenas porque deveria ser assim, mais uma vez ouço a minha mente responder: “Talvez elas não saibam que se trata de uma chave” e por isso estou aqui escrevendo para você.

Atendi alguns clientes, gravei meu Podcast, respondi emails, mas confesso que sempre a minha mente me trazia para este momento – Sentar e falar sobre sentir-se verdadeiramente bem! E se chegou até aqui “por favor” continue para compreender, pois eu tenho “a” chave que poderá libertá-lo de sua prisão mental.

Eu tenho nos últimos anos trabalhado intensamente em um método capaz de ajudar qualquer pessoa a transformar os seus pensamentos e comportamentos e utilizei este método com centenas de clientes em consultório (Funchal, Lisboa e Porto), depois online com clientes de 9 países diferentes e em 100% dos casos, estas pessoas provocaram transformações incríveis! Claro que algumas precisaram ajustar aqui, ali e fizemos tais ajustes juntos, mas todas elas encontraram respostas para suas feridas emocionais e este é um dos motivos que digo que amo o que faço x 2! Rss.

Porém talvez eu esteja apresentando esta “chave” para as pessoas com uma roupagem diferente e por isso algumas pessoas ainda permanecem no escuro, presas dentro de suas prisões mentais. Então imagine comigo aqui e agora:

Se eu te dissesse que eu tenho uma chave que pode ajudar a abrir estas grades que o aprisionam e ao abrir vai se libertar da culpa, dos conflitos, das inseguranças, medos e até vai respirar melhor e perceberá que a vida é mais, muito mais deliciosa do que você um dia imaginou, iria querer utilizar esta chave? Com um leve sorriso no meu rosto e com a sobrancelha esquerda levantada, arrisco a dizer que sim! Quem não iria querer, né?

A boa notícia é que tenho! E pode não ter percebido, pois eu chamo esta chave de “Programação Mental e Auto-Hipnose” e é provável que você esteja vendo isso como mais um “curso”, enquanto na verdade não se tratada de mais um, muito menos de aprender a fazer algo…. Trata-se de um curso poderoso, desenhado minuciosamente para pessoas que não entendem nada sobre hipnose ou mente. É realmente um método, uma maneira de se libertar.

Preste atenção aqui “se” realmente deseja transformar toda a sua vida!

Não quero apenas vender um curso! Nãoooo! Eu quero vender uma ideia, um conceito, um caminho, uma maneira de identificar onde você está exatamente neste momento da sua vida (ponto A), ensiná-lo a traçar onde desejaria estar, com quem, de que maneira, sentindo-se como (ponto B) e ensinar sem segredos como fazer isso na prática, no dia a dia para libertar-se mentalmente de tudo o que infelizmente hoje o aprisiona.

Esta chave, este método não vai facilitar a sua vida, não vai ajudar a melhorar em alguns aspectos, vai transformar verdadeiramente a sua vida e se fizer exatamente como ensinarei, esta transformação será para toda a sua vida e sei do que estou falando, pois vejo os resultados em quem utiliza a Auto-Hipnose para programar a mente e trabalhar as suas questões emocionais e não pára por aí – Saber utilizar a Auto-Hipnose ajuda a potencializar outras questões/áreas que já funcionam “mais ou menos” ou muito bem em sua vida!

Espero que tenha sido esclarecedor este artigo e que de alguma maneira ajude para que tome “a” decisão.

Começa dia 6 de Maio a primeira aula e temos realmente poucas vagas!

Agora é consigo! A minha parte eu fiz.

Eu quero!
http://www.ericpereira.eu/curso

Preciso de mais informações!
WhatsApp +351912607888

Read More

Deveria ter arranjado o “TELHADO” quando estava sol.

Tenho observado mais de perto o comportamento de algumas pessoas, a maioria clientes meus (36), também alguns colegas e amigos e fiz uma análise mais cuidada nesta fase que todos nós estamos passando dentro deste distanciamento social e tenho visto pessoas insatisfeitas, tristes, ansiosas, cheias de conflitos, algumas a ponto de “explodirem” com os seus familiares, por não aguentarem mais estarem todos “trancados” no mesmo espaço.

Sinceramente, não me surpreende muitas destas pessoas, pois acredito que é no momento de “crises” que as pessoas verdadeiramente se revelam, talvez porque deixaram para depois algumas situações e “dentro” deste isolamento estão tendo que enfrentar os seus (demónios) – Quantas pessoas fugiram de resolver os seus relacionamentos, foram adiando um bom diálogo, quem sabe uma terapia e agora está tendo que conviver com a outra pessoa e já não suporta mais.

Pessoas que tiveram muitas chances de resolver os seus medos, a sua ansiedade e agora “trancadas” têm tudo potencializado e sentem-se perdidas sem voz, sem rumo e com a mente mais acelerada do que nunca, não sabem como buscar ajuda. Esta semana recebi um email de uma pessoa em uma situação semelhante, que ainda dizia que “não” podia iniciar um tratamento online, pois tinha o marido em casa e não queria que ele ouvisse tudo o que ela tem para dizer! Ela teve tantas oportunidades em que o sol brilhava forte e deixou para arranjar o telhado no meio da tempestade.

Neste momento “menos bom”, ficam muito claras as decisões de deveria ter tomado lá atrás e por algum motivo não tomou! Se observar com mais atenção, perceberá que foi fugindo, muitas vezes de você mesmo, e agora já não tem mais para onde fugir! Já pensou nisso? Quantas vezes adiou a conversa com os seus filhos ou em família porque estava trabalhando e trabalhando? Trabalhar de mais “é” sem nenhuma dúvida uma fuga e infelizmente todos nos “às vezes” utilizamos esta “DESCULPA” para adiar um pouco mais o que deve ser resolvido e a pergunta que não quer calar é – E AGORA?

Talvez a sua irritação (neste momento) é que está convivendo com situações que não consegue lidar, mas agora não dá para fugir mais, né? É provável que esteja na hora de tomar uma respiração mais profunda, encher o peito e partir para resolver o que já deveria ter resolvido e se o “desafio” é com o marido/esposa, quem sabe depois das crianças dormirem, é sentar e terem uma longa e boa conversa, talvez iniciando com a frase: “Precisamos conversar, sem brigas, sem ataques”. Se for com as crianças, o casal senta e quem sabe vir já com uma lista pronta para falarem de tópicos e resolverem dentro da mais absoluta paz o que precisa ser resolvido e que por muito tempo foi ignorado.
Hoje mesmo uma cliente me disse que estava enlouquecendo com todos sujando a casa e ela limpando! Nãoooo! É hora de todos dividirem tarefas e fazerem a sua parte! Veja, eu diariamente posto um Podcast em “vídeo”, depois coloco em áudio, distribuo nas redes sociais, escrevo artigos como este para o meu blog, estou escrevendo um novo livro, tenho reuniões com minha equipa, esta semana estou dando um treinamento online para 67 pessoas, sábado tenho um seminário e mesmo assim eu cozinho quase que todos os dias, lavo louça, arrumo a cozinha e contribuo para que a Paula não tenha que cuidar de tudo sozinha.

Para que a vida realmente dê certo, precisamos fazer as coisas bem feitas, parar de engolir palavras, eliminar as mágoas, as brigas, quem sabe até abandonar um pouco o nosso ego, deixar de lado um pouco o egoísmo e aproveitarmos este nosso tempo para transformar todo o nosso processo e por favor não me venha com a história de que “aqui em casa é impossível”, “não consigo fazer nada para melhorar”, pois quando queremos muitoooo, palito de fósforo vira vela no bolo. Rsss!

Aproveite este momento em que muitas pessoas estão desesperadas, brigando e reclamando e faça a diferença – Ouça bons podcasts! Assista vídeos no youtube que podem fazer a diferença na sua vida, há muitas séries, documentários interessantes, leia bons livros!!!

Posso até errar (aqui), porém acredito que tudo isso aconteceu por um forte motivo e o “Universo” nos parou! Não eu e apenas você – Todos nós… Alguns sairão desta crise completamente surtados, outros curados e muitos em processo de transformação…. Eu aqui tenho olhado com muita atenção para o que penso, o que sinto e para as minhas ações…E às vezes fico pensativo com momentos que deveria (também) ter trocado algumas telhas e penso nelas agora, na chuva…. E sabe o que acho que é mais importante nisso tudo? Termos a oportunidade de enxergamos com atenção tudo e colocarmos a melhor intenção para solucionar e “às vezes” solucionar não é estralar os dedos e resolver, ok? Às vezes é dar I N I C I O ao processo todo.

Aproveite cada momento para “se” trabalhar e lembre-se que se precisar de ajuda, aqui estou! Você precisa dar o primeiro passo.

Fique bem,

Eric Pereira
Fundador do Instituto ponto de Equilíbrio
Hipnoterapeuta, Coach e Escritor
WhastApp +351 912607888

Read More

Hoje acordei chorando muito!

Nº64| Para Refletir | Eric Pereira

Hoje assim que peguei o telefone vi a mensagem de uma cliente que me escreveu por volta das 5:40h da manhã dizendo que acordou chorando muito porque tinha tido um sonho (muito real) de que todos que ela conhecida estavam mortos e ela estava desesperada vagando pela rua com roupas rasgadas…

Falamos com calma horas depois e a minha pergunta para ela foi: O que tem assistido na televisão durante o dia e principalmente antes de dormir? E como eu desconfiava ela passou parte do dia vendo as mortes e notícias sobre o vírus e me contou que dormiu vendo televisão (maldita televisão no quarto) e teve estes pesadelos.

Precisamos falar mais alguma coisa?

Pessoas, tenho falado muito nisso nos últimos dias – Não fiquem desinformados, mas por favor desliguem a televisão e JAMAIS durma com ela ligada, pois a mente absorve a informação na mesma! Poxa vida, já não basta o que estamos todos passando, ainda precisamos alimentar ainda mais a mente com notícias ruins? Dar asas “negativamente” à nossa imaginação?

Não sei se acreditar (eu acredito) que somos como um grande e poderoso ímã e atraímos tudo que demasiadamente estamos ligados e infelizmente quando vejo pessoas assim tão conectadas nesta “nuvem” de notícias menos boas (ou melhor), nesta rede de notícias malditas, fico mesmo (pre)ocupado, pois sei que estão todas vibrando em uma frequência muito baixa! Poxa…. Vamos juntos construir uma nuvem melhor “por favor”, vamos espalhar mensagens positivas, vamos falar sobre acontecimentos bons! Acredite, eles existem! Olha que interessante:

Hoje almoçando com a minha esposa víamos o jornal (única hora que assistimos) e menos assim por pouquíssimo tempo e a âncora do jornal dizia que na Espanha já temos mais de 2400 mortes (se não me engano) e logo abaixo dizia que já passamos de 3.500 casos curados (se não me engado) e este dado ela não verbalizou, compreende? Com um tom de voz pesado e triste anunciou as mortes e mostrou sua preocupação, mas em nenhum momento ela falou sobre os casos curados! Caracas! Por favor, né?

É disso que estou falando há ANOSSSSSSS! Me deu vontade de falar um palavrão daqueles, aff! Somos grandes propagadores de notícias ruins e parece que dar notícias ruins nos faz “até” nos sentirmos melhor! A desgraça do outro será que ameniza a nossa? Quem sabe, né? Deve ser MESMO por isso que existem tantas fofocas no planeta…. Só pode! Que notícias ruins vendem mais que as boas, isso está claro pra mim e para você é também visível?

Enfim, procure cuidar da sua mente…. Faça isso pelos próximos 5 dias e depois me conte como está se sentindo – É óbvio que se sentirá melhor! E já agora, lembre-se que amanhã (quinta-feira) tem live terapêutica às 20h (horário de Portugal). Será no meu facebook e te espero por lá!

Até já,

Read More
Woman suffering an anxiety attack alone in the night

4 passos para diminuir a ANSIEDADE

Nº63| Para Refletir | Eric Pereira

Hoje acordei com vontade de falar sobre ansiedade! De novo Eric? Sim! Eu sei que tenho falado muito sobre este assunto e peço desculpas se estou “incomodando” alguém, porém tenho recebido centenas de mensagens sobre pessoas que estão em casa e descrevem suas “crises de ansiedade” de maneira tão forte que chega a sufocar… E minha missão aqui escrevendo estes textos é justamente levar informação que pode fazer alguma diferença na vida destas pessoas que realmente precisam…

Um “agravante” penso eu, é o fato de estarmos vivendo neste momento isolados, sem saber o que vai acontecer nos próximos dias e meses e claro que estarmos em casa 24horas por dia pode “infelizmente” trazer algum “sufoco”, pois não estamos habituados (pelo menos a maioria) em estar nesta situação.

Veja um exemplo prático, já estou acostumado a trabalhar em casa, já que atendo pessoas online, tenho uma ótima estrutura em casa para atendimento, porém estou acostumado a viajar duas vezes por mês e hoje faz 16 dias que não viajo e mal saio de casa, então às vezes abro a janela e respiro fundo rssss, sinto o vento no rosto, fecho os olhos e penso: Está tudo bem, Eric…. Tudo bem! E logo recupero a minha sanidade! Rsss.

Pra mim (Eric), a grande sacada disso tudo é tomarmos consciência do nosso diálogo interno, pois se algo não está bem aí (dentro) pode apostar que está tendo algum tipo de diálogo menos bom e acredito que estes 4 passos que vou apresentar, podem ajudá-lo a equilibrar as coisas e a diminuir a ansiedade.

Vamos lá?

1. Cuidado com a Televisão

Neste momento até as programações normais (entretenimento) têm sido suspensas para ouvirmos notícias sobre este “inimigo invisível” e cuidando com isso, pois nos primeiros dias estava ligado na telinha e infelizmente tive até pesadelos de noite! Não estou dizendo para você não acompanhar as notícias, mas separe 30 minutos para saber e aproveite o dia para outras coisas, pois a televisão pode ser mesmo prejudicial.

Tem pessoas que fazem PIOR, deixam a televisão ligada e vão fazer outras tarefas e a mente vai absorvendo tudo aquilo que está dito e dito e dito mais uma vez e como quer se sentir bem depois de ouvir tantas “desgraças”?

2. Exercícios

Faça exercícios em casa! Tem pessoas reclamando que não podem caminhar, correr ou ir ao ginásio e com isso ficam em casa sem fazer nada “ou” pior, alimentando a mente com notícias ruins (item 1) e tendo diálogos internos do tipo: “E se todos se contaminarem?” “e se o vírus mudar e matar todas as idades e se espalhar mais rápido?” Poxa, vamos lá! Arraste os móveis em casa e faça algumas flexões, busque vídeos na internet (está cheio destes vídeos) que incentivam tais exercícios! Força e vou dizer aqui o que tenho dito a todos os meus clientes, não precisa se exercitar por 1 hora, mas precisa ter consistência – Faça 15 minutos diários e acelerados! Transpire a camisa por apenas 15 minutos e assim estará colocando “ação” para o seu corpo e mente.

3. Fortaleça o autoconhecimento

E aqui incluir ouvir podcasts, assistir lives, vídeos, fazer cursos online, ver palestras, programas, ler bons livros, ver documentários – Alimentar MESMO a mente, pois quando vamos abandonando a escuridão da (ignorância), vamos sem nenhuma dúvida ganhando superpoderes e super recomendo que pesquise sobre assuntos diferentes diariamente, para quê Eric? Para somar, para aprender, para exercitar a mente, para educar e principalmente para aprender melhor, reaprender e aprender de novo. Isso simplesmente faz “a” diferença na nossa vida!

4. Durma melhor

Demorei alguns anos para compreender a importância de dormir bem e confesso que boas noites de sono fazem uma diferença incrível na vida daqueles que desejam vivem de bom humor e equilibrar o jogo da ansiedade X tranquilidade e alguns detalhes podem fazer muita diferença:

a) Garanta que o seu quarto esteja organizado, arrumado e bem limpo.
b) Tome um banho quentinho antes de ir para a cama
c) Não leve o celular para a cama em hipótese nenhuma e não negocie isso, deixe carregando longe do alcance das suas mãos (por favor).
d) Antes de dormir tome um chá quentinho, pouco açúcar ou nenhum (Eu prefiro nenhum).
e) Ao deitar, faça as suas orações, agradecimentos e procure respirar de maneira tranquila e ao inspirar “e” expirar, procure por favor trazer para os seus pensamentos, imagens e sons agradáveis e vá respirando cada vez mais tranquilamente, mandando uma mensagem para a sua mente que você está no controlo…. Devagar…. Se ajudar, ouça um áudio de relaxamento ou música…

5 (Dica Extra)

Estou disponibilizando gratuitamente um dos meus programas terapêuticos mais utilizados nos últimos meses – Menos Ansiedade e se quiser pode entrar no sistema e fazer o programa todo sem pagar nada – É a maneira que nós encontramos de ajudar nesta fase menos boa as pessoas que se sentem ansiosas.

Funciona assim: Entra neste link: https://tinyurl.com/vve2azk, faz o seu cadastro e receberá por email um link para aderir a plataforma e depois é utilizar o programa que funciona por áudios! Assista o vídeo “dentro da plataforma”, compreenda como funciona, ouça os áudios de introdução e espero que lhe ajude como já ajudou centenas de pessoas e se souber de alguém que precisa deste sistema, divulgue para chegarmos a mais pessoas.

Gostou das dicas? Escreva aí de 1 a 10.

Read More

Uma coisa é CERTA! Está tudo ERRADO!

Nº62| Para Refletir | Eric Pereira

Vou pular a parte onde falaria que estamos vivendo dentro de uma enorme mudança e blá blá blá, pois acredito que já esteja ouvindo isso por tantos meios diferentes que deve já ter gravado aí no seu inconsciente, né?

Olhando friamente para a situação atual, vejo que uma coisa é certa, está tudo errado! Este movimento que todos estamos fazendo, sendo quase que “forçados” a nos isolarmos, já deveria ter acontecido há muito tempo e não por uma ameaça invisível e tão letal como este vírus, mas por iniciativa nossa, raça humana, seres pensadores, animais racionais! Porém nunca fizemos nenhum movimento deste tipo para desacelerarmos, nunca cuidamos tanto da nossa higiene como agora!

Isso me faz lembrar de uma história que aconteceu comigo e garanto que já deve ter acontecido com alguns de vocês, se não com todos!

Fazia pouco mais de 2 anos que eu e a Paula tínhamos fundado o Instituto Ponto de Equilíbrio, eu recebia clientes na unidade da madeira vindos de vários lugares da Europa, sessões online, fazia palestra com 300,400,500 pessoas mensalmente (pode ver as fotos no meu facebook) e na época ainda escrevia para 6 revistas diferentes, trabalhava no meu primeiro livro e achava que era “o” cara, até adoecer e ficar em casa muito mal por 12 dias. Nos primeiros 5, só pensava como poderia suprir tudo que estava fazendo naquele estado e ali aprendi uma lição (1º vez), eu precisava abrandar.

O tempo passou e esqueci daquilo e fui acelerando, aumentando o ritmo até que lá estava eu e agora com mais uma unidade do Instituto no Porto e outra em Lisboa e atendendo 10 dias diretos na unidade da Madeira, e depois de uma destas minhas viagens para a Madeira e ter atendido 84 pessoas, chego a Lisboa e no dia seguinte sinto uma falta de ar, vou parar no Hospital onde sofro um pneumotórax e passo por uma cirurgia. 8 dias depois mais um e mais uma cirurgia e por 6 meses fiquei em casa descansando, desacelerando, reaprendendo a dormir, a fechar os olhos e relaxar, a meditar.

Entende onde quero chegar?

Quando não cuidamos de nós, o Universo se encarrega de cuidar e na minha opinião é exatamente o que está acontecendo neste exato momento da nossa vida! Não lemos os sinais, continuamos cada vez mais acelerando a nossa vida, a dos outros, ignorando a nossa saúde, construindo ritmos cada vez mais acelerados, dormindo mal e vivendo ligados no “piloto automático”, sem contar o mal que estávamos fazendo ao mudo, né? Poluindo, estragando, desrespeitando e sinceramente se não “nos” respeitamos, como vamos respeitar o outro, né? E o planeta? Nem pensar!

O Universo arrumou uma maneira dentro dos seus mistérios e nos parou! O mundo inteiro está parando, desacelerando e alguns estão aprendendo, alguns estão compreendendo e acredito MESMO que depois que tudo isso passar, nunca mais seremos os mesmos! Ops! Calma, algumas pessoas (e espero que seja a maioria), nunca mais serão as mesmas, pois terão despertado, acordado, saído deste piloto automático, desta “escravidão” e espero muito que seja para nunca mais cair dentro este ciclo vicioso.

Uma coisa é certa! Está tudo errado, mas sou daqueles que ainda acredita que podemos consertar, estruturar, curar e se você também acredita nisso, por favor faça a sua parte e não estou apenas falando para ficar em casa! Estou falando para se cuidar, se entregar, aprender, se superar, melhorar.

Liberte-se!

Read More