Você lê as Instruções? #Prestenção – 204/365

A minha ideia para a dica terapêutica de hoje era falar sobre Insegurança em 3 dias seguidos e provavelmente começarei amanhã. O que me motivou a falar sobre “ler as instruções” é o facto de perceber que cada vez mais as pessoas estão (economizando) a leitura e usando as suas próprias interpretações baseadas no título ou no pouco que lêem, vi claramente isso na dica número 202, “Vamos falar de Traição?”, onde a proposta central da dica é falarmos sobre o quanto nós (nos) traímos e uma pessoa escreveu nos comentários “não me venha com estas teses de perdão e….” E fiquei mesmo pensando se ele leu o que eu escrevei e definitivamente penso que tirou as suas conclusões pelo título.

Sempre estou recebendo comentários que deixam claro que a pessoa não leu direito o que postei e isso me faz pensar que este é um dos GRANDES motivos pelos quais as pessoas não são felizes, pois elas não percebem o que estão fazendo, não querem aprender, não querem compreender, elas simplesmente se baseiam num título ou em parte “do” texto e ponto final.

Eu estou divulgando um programa terapêutico que realizarei em Setembro, 100% gratuito e online e recebo mensagem perguntando quanto custa e muitos me perguntam onde será? É surreal imaginar que estamos vivendo de meias informações e está tudo certo que seja assim, não?

Outro exemplo é que estou sempre publicando fotos dos livros que leio, neste momento estou lendo um sobre “O CAMPO” e uma pessoa me disse que não gostou e perguntei: “De qual parte?” (risos) – Ela disse de tudo! Eu insisti: “Mas porque não gostou?” E a sua resposta foi: “É complexo, muito científico e na verdade nem li tudo!” Naquele momento eu entendi porque é que ela não gostou, pois não leu! Aí fica difícil dar uma opinião, né?

Uma das minhas clientes outro dia me disse que parou de ler as minhas dicas, pois são muito longas e não tem paciência pra isso e aí fico feliz, pois ela leu algumas até o fim e julga que não são úteis pra ela e me disse isso olhando nos meus olhos e está tudo certo. Críticas destas são super bem-vindas, mas comentar algo se baseando no título? (Rindo alto), aí é mesmo mostrar que está levando a vida de qualquer maneira.

Tenho insistindo muito nas minhas palestras, formações e até nas minhas dicas que as pessoas prestem mais atenção naquilo que estão vivendo, pois se permanecerem vivendo pela metade os seus resultados serão quais? Inteiros é que não serão e sabe o que é mais curioso neste momento? É que muitas pessoas agem pela metade e se lamentam quando os seus resultados não são inteiros e isso é mesmo curioso, pois não percebem o que estão fazendo!

São ansiosas a ponto de agir sem pensar como se tivessem que fazer aquilo imediatamente para preencher algum tipo de vazio e depois não percebem que fizeram rápido, de qualquer maneira e o resultado será também de qualquer maneira e talvez até rápido. A sensação que tenho (EU), é que as pessoas se satisfazem com estas migalhas que vêm e continuam a agir pela metade e não percebem que se tornam viciadas neste ciclo de metades.

Claro que pode ler, reler e não concordar e isso nem serve mesmo para todas as pessoas, mas uma coisa eu te digo, não tente adivinhar o final do filme, assista-o! Esqueça o que você pensa sobre a história do livro – Leia-o! Esqueça os títulos, pois muitas vezes eles são apenas “ganchos” para chamar a atenção do leitor! Pode no final dizer que foi tempo perdido e ok, eu respeito isso, mas deu a opinião sobre algo que realmente leu!

Não tome o comprimido porque alguém disse que é bom e está tudo certo! Leia a bula.

E se leu até o final esta dica escreva algo abaixo!

Share

498total visits,7visits today

Comments

comments