Posts

59 dias e quantas metas alcançadas? – 59/365

Hoje andava eu no supermercado e me deparei com uma prateleira repletas de ovos de Páscoa e logo pensei! Mal o pai natal se foi e o coelhinho da Páscoa já está chegando? Olha que se foram 59 dias mesmo rápido e comecei a pensar quantas das minhas metas “já” atingi?

Abri o Instituto Ponto de Equilíbrio em Lisboa, finalizei 32 clientes de hipnose e 16 de Coaching e fechei um importante negócio na Espanha. Porém falhei em 3 metas que tinham que ser concluídas até o final de fevereiro e são elas: ter voltado para o ginásio, iniciado uma dieta e ter iniciado em uma curso de Inglês! No entanto, adiantei uma que era para final de Abril: aluguei um apartamento em Lisboa.

As que consegui, vibrei e acredite que comemorei cada uma delas com muita garra e agora escrevendo esta dica percebi as que não consegui e respirei fundo e (não) esta tudo certo, pois foi mesmo falta de tempo e porque me faltou tempo? Planeamento errado em outros setores da minha vida, então resumindo, fui indisciplinado e não existe desculpa ou historinhas para justificar! Ops! Até existem, mas não vou contar! Errei e agora é hora de fazer ajustes para que isso entre na programação de Março e Abril.

59 dias e a minha pergunta é: E você? Tem conseguido? Nestes 59 dias viveu no automático ou está consciente dos seus passos? Nestes 59 dias tem feito MESMO coisas para somar no seu processo de evolução ou tem apenas vivido um dia de cada vez?

Sempre que tenho oportunidade pergunto aos meus clientes o que eles estão fazendo com os dias de 2018 e alguns respondem: “como assim? O que estou fazendo? Não entendi a pergunta! Estou vivendo a minha vida!” Pelas suas respostas e expressões faciais percebo claramente que estão vivendo um dia de cada vez e deixando a vida os levar e isso não é muito bom, não acha? Bom, pelo menos eu não gosto!

Atenção que não devemos aqui nos desesperar, ok?! Nada disso! Vamos é compreender que sim, se passaram 58 dias, ok! Porém ainda temos muitos dias pela frente e podemos aproveitá-los bem melhor! Eu (Eric Pereira) sou um pouco exigente comigo na questão tempo e se me segue há muito tempo sabe disso, pois acredito que tempo é mesmo uma questão de preferência e quando fazemos uma escolha estamos deixando outra de lado e está tudo certo (desde) que saibamos o que estamos fazendo.

Gosto de acreditar que a minha moeda mais preciosa, o meu diamante dos diamantes é o tempo e aproveitá-lo muito bem me dá uma sensação de liberdade, de estar vivendo o melhor da vida! Gosto de empregar muito bem o meu tempo seja trabalhando, seja descansando ou até lendo um bom livro! Adoro!

Fico um pouco chateado quando o estou desperdiçando! Às vezes imagino que lá na frente quando estiver velhinho vou me arrepender de perder este tempo, entende? Posso precisar, posso desejar imensamente ter mais 30 dias de vida ou até algumas horas e seria muito ruim saber que desperdicei em algum dia.

Alguns me chamam de chato e está tudo certo também! Só não sei porque estas pessoas continuam me seguindo e lendo as minhas coisas, ahh deve ser para ter material para criticarem, né? Rss! Enfim, vamos voltar pra cá! #foco!

Percebe como é fácil nos distrairmos e entrarmos para um caminho que não nos leva a lugar algum? Eu acredito mesmo que estes caminhos que não nos levam a lugar algum existem MESMO e se não prestarmos atenção em um estalar de dedos estamos seguindo por ele e quando percebemos estamos simplesmente perdidos e sem saber qual é o caminho certo.

Então depois de ler sobre os 59 dias que já se passaram a segunda pergunta aqui é: “E os próximos dias? Serão perdidos? Vai se distrair? Vai ficar aí perguntando o quê? Do que ele está falando?”Ou vai ligar o motor do (EU QUERO MAIS) e vai fazer mesmo a vida acontecer?

A dica pode “até” ser minha, mas a decisão é completamente sua!

Share

Assuma o Volante

Sexta-feira é dia de que??? Oi???
É dia de dica especial no “Bom Fim de Semana” e hoje vamos mergulhar em assumir o controle! Bora lá?

Muitas, muitas vezes quando estou ouvindo um cliente descrever o seu problema, tenho vontade de perguntar: “Quem está atrás do volante, Porra!” E penso (desta) maneira, pois muitas vezes reclamamos do “outro”, culpamos outras pessoas, enquanto somos nós que estamos atrás do volante guiando a nossa própria vida!

Reclamamos da estrada, da sinalização, dos outros motoristas, do clima e esquecemos de assumir o volante e quando digo assumir é segurá-lo com as duas mãos, ajeitar o corpo e prestar atenção na estrada que (escolhemos) seguir.

Durante muitos anos eu deixei o “controle” na mão de outras pessoas, talvez eu tivesse medo de conduzir a minha própria vida e vivia pedindo conselhos e buscando que alguém realmente RESOLVESSE OS MEUS PROBLEMAS. Quase que achava que era obrigação das pessoas me ajudar.

Interessante que anos depois ocupando outra posição ouço clientes meus “reclamarem” e alguns acreditam MESMO que os seus familiares e amigos são obrigados a fazer a sua parte e ouço os motivos mais estranhos, as histórias mais desconectadas possíveis, porém para (aquela) pessoa faz todo sentido.

Aprendi que assumir o volante (da vida) não faz uma diferença, faz simplesmente “A” diferença e claro que assumir o volante é assumir a direção, o caminho, a responsabilidade, as consequências e principalmente o resultado e quando assumimos com firmeza e cheio de intenção, o resultado tende a ser positivo.

Recentemente recebi um cliente em meu consultório do Funchal que veio de Lisboa especialmente para uma sessão comigo. Ele é jornalista e por telefone me disse que o meu trabalho tinha sido recomendado e acreditava que eu poderia ajudar, mas não quis por telefone me contar a sua queixa principal.

Durante a sessão ficou claro que todos os problemas que ele tinha eram culpa da emissora que ele trabalhava, dos seus diretores, dos seus familiares e em nenhum momento se colocou (dentro) das questões abordadas. Ficamos cerca de 2 horas conversando e senti a sua decepção, quando o trouxe para a conversa. Penso que ele esperava ter o meu apoio quanto às suas alucinações.

Pensei que ele jamais voltaria e voltou e fizemos 8 lindas sessões! Onde em todas elas trabalhamos a questão dele assumir o volante da sua vida e cheguei a usar um volante de verdade com ele em uma das sessões (justamente) para que ele interiorizasse a minha mensagem, a minha intenção.

A sessão que mais me marcou foi a 6º onde ele assumiu finalmente a sua (verdade absoluta) e percebeu que ele era o único responsável pelo que estava acontecendo na sua vida. Lembro do momento exato que ele começou a chorar na poltrona e quando despertou disse exatamente assim: “Agora o volante está nas minhas mãos, mas está doendo” e até eu me emocionei com ele e só pensei, “é isso aí!” E esta tudo certo! É mais fácil trabalhar a dor que uma pessoa sabe que existe do que algo que não está em suas mãos e se perceber (antes) esta dor estava nas mãos de todos, menos a dele.

Sabe qual a melhor parte em estar aqui hoje dando esta dica para você? É poder compartilhar momentos como este e relembrar de cenas como esta que me fazem sentir muito, muito bem. Ajudar pessoas comuns a se tornarem extraordinárias é mesmo a minha missão de vida. Amo incondicionalmente.

Por favor, pense comigo se realmente está no controle da sua vida? Se está MESMO atrás deste volante e se por qualquer motivo sentir que não está, não perca mais tempo e assuma-o. Agarre com as duas mãos e toca a andar. Se perceber que já o tem nas mãos, respire fundo e veja se está no caminho correto…. Se sente-se bem (neste) caminho, pois se não se sentir, está tudo certo, pode alterar e uma vez alterando o caminho com certeza o destino será outro.

Desejo um dia incrível e que as suas escolhas sejam realmente sábias.

Share