Posts

Está MESMO valendo a pena? – 137/365

Eu sou, sem nenhuma dúvida, uma pessoa de fases e talvez todos sejamos! A questão é que as minhas fases são muito conscientes e olho para as elas com muita atenção, mergulho nelas, mesmo nas que me trazem momentos (menos) felizes. Hoje vivo “intensamente” a fase do “Está MESMO valendo a pena?” e durante esta dica terapêutica compreenderá os meus mais profundos pensamentos e quem sabe conseguirá responder esta pergunta para si?

Hoje tudo o que faço precisa ter sentido, tem que ter prazer envolvido, precisa ligar com outras coisas para criar uma conexão maior, muito maior e fazendo sentido, me deixando confortável digo que estava valendo a pena. Quando existe desentendimento, tristeza, sofrimento, digo que não está valendo a pena. Penso que temos apenas uma vida e ela passa muito rápido para brincarmos de casinha ou desperdiçarmos tempo sonhando deitando no sofá e encarando uma dura realidade. Mesmo que acreditemos que depois desta teremos outras vidas, não me canso de dizer que hoje estou vivendo esta e tudo o que posso fazer para melhorar (nesta vida), tenho que fazer aqui e não em outra!

Lembro de um dia no meu aniversário a minha mãe me comprar um robô castanho com controle remoto e eu tinha 8 anos de idade. Ontem eu ouvia a minha filha de 17 anos, falar sobre a sua vontade de ingressar na universidade para ser bióloga marinha e eu com 41 anos sentado ao lado dela ouvindo os seus planos. Meus Deus! O tempo realmente passou, continua passando e quando nós aqui percebermos, estaremos falando sobre o natal.

Nesta minha fase tenho me dedicado a fazer apenas o que gosto muito de fazer, o que realmente amo fazer e algumas pessoas quando falo sobre isso acham estranho, pois estão acostumadas a fazer porque precisam fazer e isso não se encaixa mais na minha maneira de fazer, compreende? Eu amo a minha vida…. Amo atender e utilizar a hipnose, a programação neurolinguística e o coaching para ajudar as pessoas a transformar as suas vidas, porém não quero mais atender 10 pessoas por dia! Então reduzi e hoje atendo apenas 5.

Eu amo ministrar palestras e estar no palco compartilhando técnicas e ensinando as pessoas a melhorarem as suas vidas, porém nem todos os convites para palestras eu aceito! Muitas delas recuso e juro que me sinto muito bem recusando convites, pois não quero chegar no final do ano e dizer que fiz 24 palestras. Talvez 4 grandes e inesquecíveis e assim sentindo-me confortável vou vivendo a vida e gosto imenso disso.

A vida é curta e sabemos exatamente o dia que nascemos, mas a data que vamos partir é desconhecida. Então será que vale mesmo a pena vivermos por viver sem saber o que vai acontecer? Pensa comigo? Vale a pena você comer todos os dias aquilo que não gosta? Viver com pessoas que não suporta, se relacionar com pessoas que passam a maior parte do tempo brigando em vez de amando? Não sei quanto a você, mas eu já não quero mais isso e garanto que não tem nada com excluir ou ser melhor que ninguém! Está apenas relacionado com o facto de fazer a vida valer a pena.

No final do ano passado lancei o livro 100 Dicas Terapêuticas para Transformar, que neste momento já vai para a segunda edição em Portugal e já se encontra traduzido em Espanhol, Inglês e em breve estará em outros países. Esta semana entreguei o segundo livro ”+100 Dicas terapêuticas para Transformar” que deve sair em Agosto e há 12 dias estou trabalhando no 3º livro “Ponto Zero” Porque eu AMOTUDOISSOX2 e escrever, transmitir informação, somar na vida das pessoas, ajudar de alguma maneira pessoas comuns se transformarem em pessoas extraordinárias, isso me faz muito bem.

O que é que você tem feito que faz realmente sentido na sua vida? Já parou para pensar o que deseja deixar para as pessoas? Como quer que os seus filhos vejam você amanhã? Quer mesmo que eles tenham orgulho? Como quer que os seus netos, amigos lembrem de você? “Ahhh ele era tão especial, pena que fumava 40 cigarros por dia e vivia fedendo”,
“Ela era uma pessoa maravilhosa, se não fosse o seu vício de beber todos os dias, quem sabe estaria mais este natal com a família.”

Eu quero deixar um legado para as pessoas e faço isso gravando vídeos, podcasts, escrevendo livros e não precisa ter o desejo de transformar pessoas em vários cantos do mundo, mas pode querer apenas se transformar, transformar as pessoas ao seu redor, ter mais momentos felizes do que menos felizes, não acha?

Confesso que às vezes estou no avião fazendo a oitava viagem de avião do mês e me sinto um pouco cansado, mas é um cansaço diferente! Não estou cansado porque o mundo está pesado e a vida é chata! Estou cansado porque exigi muito de mim, porque decidi colocar mais 3 pessoas na minha agenda, porque li 20 páginas de um livro a mais do que costumo ler. Porque fiz uma live extra para levar mais um pouco de informação, e? E está tudo certo!

Outras vezes adoro passar o dia em casa de pijama assistindo séries o dia inteirinho e o que tem de mal isso? Absolutamente nada, pois foi mesmo delicioso levar os meus pensamentos para outro lugar completamente diferente do meu dia a dia. Adoro fazer isso!!! Adoro viver a minha vida com a sensação de que está valendo a pena.

E você está fazendo MESMO por onde? Está valendo a pena aquilo que faz e como faz? Uma pergunta para você refletir: Quando chega no final do dia, da semana, do mês como é a sua matemática? Mais pontos positivos ou mais negativos? São momentos de tirar o fôlego ou vive sem fôlego? Vale a pena ser quem é?

Share

Plantou, esqueceu de cuidar e ela morreu… – 135/365

Claro que todos sabemos que podemos escolher o melhor vaso, colocar a terra certa, adubos e escolher as melhores sementes que temos uma grande chance de termos em breve uma linda e perfumada flor! Agora fazer todo este processo e voltar lá apenas 5 meses depois, tem uma grande chance de não ter nada ou ter algo que se percebe que tentou crescer, mas morreu.

Não precisamos ser botânicos ou grandes estudiosos para saber que este processo funciona exatamente assim, né? Agora é óbvio que se plantarmos e não cuidarmos e se usarmos esta mesma teoria em outros setores da nossa vida, como será? Teremos o mesmo resultado? CLARO QUE SIM! (Penso eu).

Tenho observado na minha vida e na dos meus clientes, que a maior parte das situações que não funcionam muito bem, devem-se única e exclusivamente à falta de cuidado. Se eu ganho peso é com absoluta certeza porque não estou cuidando de mim, não estou cuidando da minha alimentação, daquilo que eu como. Depois posso reclamar de uma série de situações e até culpar outras pessoas, mas tudo se resume ao não cuidar melhor da minha alimentação.

Podemos trazer a (falta de cuidar) para outras situações? Claro… Então continuemos! Uma amizade por exemplo! Às vezes ela inicia de uma maneira linda, começa muito bem e até construímos um elo incrível de amizade com a outra pessoa, porém, com o tempo e por qualquer motivo alteramos a nossa lista de prioridades, e? Deixamos de cuidar daquela amizade, já não saímos mais juntos, os telefonemas diminuem, as mensagens são enviadas apenas em datas comemorativas e acaba que vamos perdendo completamente o contato. Dentro de nós “existe” uma amizade e pode se dizer que sim, mas não trocamos uma palavra com a pessoa há 2 anos e como estamos em constante mudança, aquela pessoa nem é a mesma de há 2 anos atrás e nós também não.

E se trouxermos o “cuidar” para uma relação pessoal? Um namoro, um casamento? Ixiii…. Aqui não é diferente, ou talvez podemos dizer que sim, existe uma pequena e subtil diferença, pois muitos casamento quando deixam de ser cuidados com a mesma atenção do início se tornam algo estranho, pois as pessoas mantêm na mente o (registo) que o casamento existe e os filhos ou as lembranças sustentam tudo aquilo, porém há muito tempo que a flor não é a mesma.

Outro dia explicava eu isso em um seminário em Madrid e dizia que é como termos um vaso lindo que às vezes é regado, às vezes é esquecido e quando olhamos pra ele, sabemos que ali tem um vaso, existe uma planta ou outra, uma viva, outra comida por bichos, alguns matinhos ali tomando conta de tudo. Quando estamos em uma boa fase, colhemos, limpamos, arrumamos e quando a fase não é boa, deixamos e viramos as costas com (outras) prioridades e o matinho toma conta do vaso “e” as vezes até atrai bicho para (Comer) o que lá está frágil e sem cuidados do dono.
Confesso que a cada dia estou mais apaixonado por escrever estas dicas terapêuticas e penso que no mínimo 1 hora do meu dia me dedico a estar aqui escrevendo e procurando escrever de uma maneira clara, que leve a informação realmente à mente das pessoas. Recebo diariamente mensagens, comentários e pessoas curtindo e compartilhando, ou seja existe um movimento diário na minha vida devido a estas dicas terapêuticas e se eu começar a cuidar (menos) disso tudo? Começar a falhar uma vez na semana? 2, 6 vezes? Passar 15 dias sem escrever uma linha?

Vou contar o que vai acontecer, você que me segue fielmente vai parar de vir à minha página diariamente e vai em busca de outros lugares para alimentar a sua mente! Eu vou colocar outras prioridades na minha vida e logo irei preencher esta 1 hora por dia que me dedico a estar aqui a escrever. Para escrever estou sempre a pensar no tema, na ideia, na verdadeira intenção da dica e uma vez (não cuidando), estimularei muito menos a minha mente e logo morrerá a ideia.

Não sei se já pensou nisso alguma vez e espero que sim, mas o importante é percebermos esta informação e mais importante ainda é olharmos com muita atenção pra ela e diariamente colocarmos em prática o exercício de cuidar daquilo que realmente queremos cuidar! Algumas cenas podemos nem querer cuidar mais e está tudo certo, mas se a decisão é esta, limpe o vazo, retire o que sobrou, cuide do que ficou e até para decidir não cuidar mais devemos simsim ter um certo cuidado para não “estragar” o vaso.

Eu já terminei sociedades, casamentos, amizades e algumas vezes não soube fazer de maneira correta. Em outras aprendi a lição e cuidei do (como) fazer. Às vezes nos falta uma série de recursos no calor da emoção, podemos até nos sentirmos perdidos, porém se tivermos em mente que o “cuidar” sempre é importante, tudo corre melhor, pois cuidamos com as palavras, com o momento, com a maneira como dizemos, com a maneira como ouvimos e vamos cuidando e a cada cuidado melhoramos a maneira de cuidar. Olha que brutal, né?! Logo estamos aí cuidando melhor e a vida vai aos poucos se tornando num lugar que queremos realmente viver.

Espero estar cuidando bem de cada um de vocês aqui!

Share

Fechado para REFORMA – Abriremos em breve! – 133/365

Já aconteceu de você se deparar com um aviso deste em uma loja que gosta muito de ir ou abrir um site e ter lá um belo aviso dizendo que está fechado justamente para atualizações e em breve voltará para o ar com muito mais informações? Então….

Penso que em nossa vida isso também deve acontecer de tempos a tempos! Fecharmos tudo e “reformarmos” as nossas partes que precisam ser cuidadas com um pouco mais de atenção e é justamente sobre isso que esta dica terapêutica hoje fala – Sobre reformar, refazer, ajustar, consertar aquilo que não está funcionado como deveria funcionar e não se espante, ok? Pois quando algo em sua casa pára de funcionar, logo você arruma alguém que entende do assuntos para arrumar, não é?

Em diversos momentos da minha vida eu parei tudo, sai do ar (redes sociais), me afastei de amigos e familiares e mergulhei para cuidar daquilo que sentia fortemente não estar funcionando dentro de mim. Em alguns casos nem fechei completamente para reforma, mas dediquei parte do meu dia para “cuidar” daquilo que precisava ser consertado e quando um cliente decide fazer um tratamento comigo e decide que 1 ou 2 horas semanais será para estar comigo em consultório ou pelo Skype, sinto que tenho diante de mim alguém que tomou consciência de que algo não está bem e precisa realmente ser ajustado ou consertado e fico imensamente feliz.

Muitas pessoas têm vergonha de ir a um psicólogo ou Hipnoterapeuta, pois acham que se forem estarão assumindo para o mundo que algo não está bem e isso é constrangedor. Eu sempre digo que constrangedor MESMO é ficar em estado de sofrimento e de alguma maneira ir aumentando este estado até chegar a um ponto de estarmos mesmo doentes e não conseguirmos mais saber o que fazer, isso sim é mau.

Eu todas as vezes que preciso de ajuda, procuro um profissional competente para me ajudar, seja um Hipnoterapeuta, seja dentista ou médico e não tenho nenhum problema em buscar ajuda, pois o que não consigo resolver, com absoluta certeza, deve existir alguém com um treinamento especializado capaz de me ajudar. Um exemplo claro é que neste momento estou indo a um osteopata e tenho mesmo adorado a experiência, pois tenho melhorado imenso e descoberto uma série de coisas que antes não sabia sobre o meu corpo.

Eu não sei se você que lê esta dica precisa realmente tirar uns dias e fechar para fazer uma reforma mais minuciosa ou se pode dedicar parte do seu precioso tempo a isso, mas recomendo sem medo de errar que faça esta reforma. É de extrema importância que de tempos a tempos olhemos para nós e nos esforcemos para melhorar aquilo que pode ser melhorado. Claro que quanto mais você se dedicar a se conhecer, mais rápido vai perceber que estes “ajustes” vão diminuindo, porém de tempos a tempos fazer uma espécie de reforma interna pode fazer todo o sentido.

Às vezes tomando consciência do seu dia a dia percebe que poderia mudar um pouco a sua alimentação, quem sabe diminuir os doces, eliminar a carne vermelha ou o consumo de gorduras? Pode ser que olhando mais para si, perceba que seria muito importante tirar 15, 20 minutos diários para praticar meditação e isso pode mesmo fazer uma grande diferença na sua vida.

Tenho relatos de clientes que mudaram completamente as suas vidas com pequenas ações, como caminhar diariamente por 30 minutos ou meditar por apenas 10 minutos todos os dias antes de sair de casa. Eu lembro de uma cliente que mudou completamente a sua vida depois de colocar na sua rotina ler 10 páginas de um livro. Isso faz 2 anos e aquela pequena mudança gerou nela um enorme desejo em transformar a sua vida. Hoje ela está fazendo uma licenciatura diferente e sente realmente que uma pequena mudança trouxe uma grande transformação para a sua vida.

Escrever uma dica terapêutica por dia aumentou sem nenhuma dúvida a minha disciplina em escrever e em outros setores da minha vida que caminhavam bem, mas faltava estrutura. Escrever enriqueceu sem nenhuma dúvida estes setores e me deixou mais fluente em gravar vídeos. Eu sempre falei nos vídeos ou nas minhas lives de domingo com tranquilidade, porém escrever me faz usar a criatividade, trabalha as minhas lembranças e deixa ativo dentro de mim aquele conhecimento e quando gravo, eu sinto que estou indo além, muito além, pois as palavras que antes fluíam bem, hoje fluem melhor ainda, então o que aprendo com isso? Que olhar para dentro, construir mecanismos com certeza enriquece a minha vida e aumenta a minha probabilidade de ser mais feliz.

A minha dica aqui hoje é (Preste Atenção) e feche para reforma por uns dias, pegue papel e caneta e desenhe o que está acontecendo na sua vida e pense como gostaria que ela fosse, o que acha que consegue fazer por si sozinho e o que precisa de ajuda para fazer acontecer. Faça o que for necessário para sair de onde está e ir para o estado desejado. Não faça disso uma história difícil e complexa, use os caminhos mais simples e pode apostar que acreditar é o primeiro deles.

Espero que feche, que a reforma seja boa e que ao reabrir faça uma bela inauguração. Seja muito feliz!

Share

Apenas 1€ – Dez mil vezes! – 130/365

Eu não sei se alguma vez você pensou da maneira que vou dizer a seguir, mas normalmente aprendemos a pensar de uma maneira às vezes um tanto complexa e não percebemos que se mudarmos a ordem das palavras, a nossa percepção diante da situação também muda e isso pode fazer “a” diferença para o resultado esperado.

Em um seminário, perguntava eu para os participantes se algum deles já tinha pensado em fazer uma poupança no valor de dez mil euros. Alguns disseram que sim, porém as condições financeiras não permitiam fazer e outros disseram que não pois era muito dinheiro para juntar e passariam uma vida poupando. Mas quando mudei a ordem das perguntas, muitas pessoas se espantaram, pois uma coisa é poupar dez mil euros e outra é poupar 1 euro dez mil vezes.

Imagine você pegando uma destas latas grandes de bolacha, limpando bem e decidindo que ali iria poupar 1 euro de muitas situações se diariamente e “conscientemente” separasse 1€ para guardar ali quando chegasse a casa! Por exemplo quando vai ao café ao invés de comer dois bolinhos, comer um e guardar aquele 1€, os fumantes pararem de fumar e então teriam a oportunidade de poupar diariamente cerca de 4€

Talvez em uma viagem optar por um quarto mais barato, ao invés de pegar um táxi ir de metro ou a pé e cada euro poupado guardá-lo naquela latinha! Se fizer isso dez mil vezes, logo terá 10.000 euros poupados e pode olhar pra isso e achar que vai demorar, mas tenho outra notícia pra ti – Se acha de demoraria 1 ou 3 anos, lembre-se que estes mesmos 1 ou 3 anos vão passar e se fizer ao fim deles terá poupado 10.000€ que poderão ser usados em algo que deseje muito ou pode apenas se arrepender de não ter guardado.

Eu já cheguei a juntar 22.60 reais, poupando aos poucos e no final de um ano e meio lá estava eu contando moedas e notas que economizei e planejando uma viagem. Lembro de pensar que ali dentro tinha muitas noites de recusa de sair com amigos, tinha a diferença de ténis mais baratos que comprei e até a economia de presentes que nunca cheguei a dar.

Então uma vez mudando as palavras, não quero sugerir que você poupe 10 mil euros e sim que poupe apenas 1€, dez mil vezes e em algumas situações irá poupar 5 vezes um euro em uma única transação e outras poderá poupar 1€ duzentas vezes ao se recusar fazer um gasto desnecessário. Penso eu que se colocar motivo pra isso compreenderá melhor o que digo e como digo! O meu motivo quando decido poupar é usar todo o dinheiro para viajar e mesmo nas minhas viagens posso poupar mais alguns euros e voltar a fazer o meu pote das intenções de euro em euro.

Este conceito pode ser usado de várias maneiras diferentes em sua vida! Uma coisa é eu em uma dieta dizer que vou ter que cortar os hidratos para sempre, outra coisa é eu dizer que esta semana será sem hidratos e repetir isso por 4 semanas. Uma coisa é eu deixar de beber uma cerveja por uns dias e estes “uns dias” irem aumentando, do que dizer que nunca mais beberei cerveja.

Eu sempre detestei dietas e neste momento que estou focado em eliminar peso, sempre digo a mim mesmo que posso comer de tudo! MESMO que posso, mas estou dando preferência a alimentos saudáveis e pensando desta maneira a minha mente não carrega o rótulo de restrição absoluta e sim de opção momentânea, que são coisas completamente diferentes.

Muitas pessoas carregam um peso (da vida) porque usam palavras pesadas como esta que acabei de usar… (Peso) e se acostumam a dizer palavras que acabam por limitá-las com o tempo… “É mesmo difícil”, “está complicado”, “não sei se consigo”, “preciso parar”, “estou morrendo aos poucos”, “isso está me matando” e por aí vai…. Agora quando inspiramos e expiramos e começamos a mudar as palavras, mudamos o ângulo e isso muda tudo, mesmo tudo em nossa vida!

Acredita que viver a vida é difícil? Acredita mesmo nisso? Então porque não vive este mês e depois vive o próximo? Está difícil guardar dez mil euros? Então guarde 1€ dez mil vezes e se ser feliz é um fardo, faça como eu, foque em momentos felizes, pois um momento aqui e outro ali pode ser mais interessante e mais fácil do que desejar que a vida seja apenas felicidade, compreende?

Perceba que sigo tanto este conceito que ao invés de propor que você leia um livro inteirinho sobre como sermos mais felizes, ofereço uma dica de cada vez e todos os dias mais uma. Há pessoas que começam pela número 106º e algumas estão comigo desde a número 1º, outras compram o meu livro “100 Dicas Terapêuticas para Transformar” e lêem 100 dicas em uma semana e outros adoram ler uma dica por dia antes de dormir.

Uma semente de cada vez e logo teremos algumas árvores, depois algumas dezenas e centenas e vamos olhar à nossa volta e veremos milhares delas.

Então hoje desejo apenas que seja para ti hoje!

Share

Operação STOP! – 129/365

Sábado, final de semana, descansar, momento relax….(Só que não).
Algumas pessoas têm o final de semana como dias de absoluto descanso, enquanto outras trabalham mais aos finais de semana do que em dias normais, pois utilizam os seus dias de “folga” para atividades importantes em casa.

Eu por exemplo procuro sempre descansar aos domingos, mas sábados ainda utilizo para passar algumas horinhas no estúdio a gravar podcasts para o Sistema5 Academy, uma plataforma de desenvolvimento pessoal e está tudo certo, porém às vezes precisamos fazer uma operação STOP! Parar por completo!

A ideia da dica terapêutica “Operação STOP” é levá-lo a criar o hábito de escolher no mínimo 1 dia da semana para realmente descansar e não sei exatamente o que você gostaria de fazer no seu dia de descanso, mas garanto que é extremamente importante fazer! Eu adoro no meu dia de operação STOP, ficar de pijama… Acordo mais tarde, tomo um banho mais demorado, volto pra cama e leio algum livro, vejo uns vídeos e se pegar no sono depois está tudo certo…. Adoro cozinhar nestes dias e ir à varanda do meu apartamento….

O que realmente você gosta de fazer no seu merecido dia de descanso? Já tirei dias onde passei o dia a ver séries e foi uma bateria de séries e isso às vezes me relaxa também, outros passei no SPA e esta parte eu confesso que amox2! Onde e o que vai fazer dentro deste conceito é o menos importante desde que o foco central seja descansar e não trabalhar, muito menos fazer atividades que cansem, ok?!

Pensa comigo… Temos tempo para inúmeras coisas e quando julgamos ser importante, arrumamos mais tempo ainda, agora quando se trata de nós, colocamos no final da lista e contamos historinhas para justificar que podemos adiar e isso não é nada bom, né?

Durante muitos anos observei porquê as pessoas são tão prestativas com todos, menos com elas próprias. Porque elas conseguem cansadas ou não, levantar e ajudar o outro e quando é pra elas, deixam para outro dia, muitas das pessoas que entrevistei em consultório, sentem uma necessidade urgente de “servir”, de agradar para ter de volta aprovação, reconhecimento e quando se trata delas, como acreditam que (não ganham) nada com aquilo, podem esperar.

É incrível e nem todos responderam desta maneira, mas muitos casos estavam ligados ao reconhecimento, ao fazer por ti hoje na esperança que façam por mim amanhã e isso parece engraçado, apenas de não ser engraçado e nem interessante, pois hábitos como este estão longe de nos fazer bem, principalmente porque se não recebermos o que esperamos nos sentimos frustrados.

Pegue a sua agenda e olhe para a sua vida e programe-se!!! Busque dentro de si uma maneira de fazer com que isso seja um hábito, pois é MESMO de extrema importância cuidarmos de nós mesmos! Muito mesmo! Às vezes deixamos passar e isso não é nada bom… Nada mesmo! Nos colocarmos em segundo plano é mandarmos uma mensagem para a nossa parte interna dizendo que ser realmente feliz pode esperar, pode ser outro dia, enquanto na verdade (na minha opinião) isso deveria ser a prioridade da prioridade.

Observe, olhe com cuidado, mergulhe no processo e faça acontecer! Simplesmente faça acontecer!

Um ótimo sábado, um excelente final de semana e se a sua operação STOP não for hoje, ok! Agende-a para o mais breve possível.

Share

Minha mãe e sua ideia dos bons costumes em casa! – 123/365

Dica Terapêutica

Lembro de ser pequeno e estar em casa a comer, apenas nós (Eu, ela e meus irmãos) e ela exigir que comêssemos com garfo, faca, e guardanapos. Às vezes eu dizia que não tinha ninguém lá a ver, porque não poderíamos ficar mais à vontade? E ela com a sua filosofia, sempre dizia que se fizéssemos certo em casa, na rua faríamos igual. Claro que naquela época eu era um moleque que apenas achava que ela estava sendo uma chata e nos torturando (risos).

Porém depois vamos aprendendo tantas coisas e fica mesmo muito claro que um pouco de treinamento nunca é demais, né? Quando construímos hábitos positivos dentro da nossa própria casa, usamos eles em todos os outros lugares e isso cai sempre muito bem, pois o “treinar” constrói uma espécie de situação que em qualquer lugar se torna habitual.

Imagina se eu tivesse crescido comendo com a mão e sendo mal educado na mesa? Poderia ser que ao sair fosse me comportar diferente, pois sabia que estava na rua, em um restaurante ou mesmo na casa de uma pessoa estranha, porém mesmo assim aquela informação não estaria enraizada dentro de mim e poderia a qualquer momento cometer erros que envergonhasse a minha mãe ou demonstrasse às pessoas um comportamento estranho da minha parte, sei lá!

O facto é que uma coisa ficou muito clara para mim e a cada dia faz mais sentido…. O construir hábitos saudáveis! Estes hábitos que começamos a construir dentro da nossa própria casa nos ajuda imensamente a nos relacionar melhor com o mundo e não tenho nenhuma dúvida disso, basta perceber como você se comporta quando não tem ninguém olhando e quando tem outras pessoas ao seu redor.

Quando na minha casa existe organização e disciplina, em outros lugares existem também organização e disciplina e quando não nos importamos com nada disso em nosso trabalho é assim… Tanto faz! E isso não tem absolutamente nada de produtivo, pois hábitos negativos também são fáceis de serem construídos e às vezes a sensação que fica é que estes são os mais difíceis depois de nos livrarmos.

Então a dica é que você comece a arruma tudo pelo seu lar! Sim! Comece a organizar a sua vida, quem sabe as suas gavetas com roupas íntimas, depois as meias e pode até arrumá-las por cor, pode no meio desta arrumação toda descobrir que existem algumas peças de roupas que podem ser doadas que não te servem mais e estão em bom estado para dar a alguém ou estão em mau estado e podem ir diretamente para o lixo.

Às vezes nos apegamos a algumas coisas que na verdade só servem para ocupar espaço em nossa vida, né? E talvez, você não saiba mas elas não precisam estar na nossa vida para sempre! Continuando nesta organização, pode também mudar alguns móveis de lugar ou retirar alguns da sua vida se fizer sentido, porque não? Pode vender, doar, jogar fora, você é que sabe! Você decide, desde que se sinta bem em fazer isso e a minha experiência diz que estas pequenas mudanças em casa, refletem-se absurdamente na vida lá fora, pois vamos também organizando as nossas relações e os nossos costumes, as nossas amizades e relacionamentos e por aí fora….

Às vezes temos que parar e começar por algum lado, não acha? Pra mim, sempre faz sentido começar por casa, por onde me sinto bem, onde está o meu refúgio, os meus momentos de lazer e de descansado…. Adoro e simplesmente adoro!

A minha mãe estava certa em nos educar assim e já lhe agradeci mais de uma vez. Mas mal sabia ela que aquela simples atitude desencadearia outras maiores e melhores que somariam de alguma forma em outros grandes e importantes aprendizados.

Então, quer começar pela sala ou pelo seu quarto?

Share

ESQUECE a velocidade e foca na DIREÇÃO! – 120/365

Se me acompanha aqui diariamente, sabe que estou na Espanha mergulhado em um projeto por 14 dias. Ontem assisti uma palestra que foi realmente brutal e veio apenas a confirmar tudo o que eu já penso sobre o assunto “Velocidade Vs Direção” e apesar do objetivo da palestra ser outro, quero trazer a essência desta palestra pra cá, para a dica terapêutica número 120 e espero que goste. Espero mesmo!

Em outras oportunidades já trouxe este tema e sinto no fundo do meu coração que ele é de extrema importância nos dias de hoje, principalmente pelo facto de estarmos cada vez mais acelerados e querermos que tudo aconteça da noite para o dia.

Algumas pessoas já são assim por natureza, vivem num padrão altamente acelerado e não consegue perceber que tudo na vida precisa ser construído e não conseguimos simplesmente plantar hoje e colher amanhã. Há aquele grupo que percebe que errou ou que a vida não corre como deseja e “acha” que pode recuperar o tempo perdido e acelerar mais ainda na esperança de fazer acontecer e…acaba cometendo mais erros, entre eles o desistir e recomeçar e colecionar momentos frustrantes. Isso não ajuda nada, absolutamente nada as pessoas que desejam vencer.

Eu já fui assim “exatamente” assim e também já acelerei muito mais acreditando que deveria sair deste estado e o caminho era este até o dia que me cansei de 2 coisas básicas – A primeira: Cansei de recomeçar! Era muito chato começar do zero de novo e mais uma vez e mais outra. Então decidi construir uma vida em que eu pudesse ajustá-la, mas não “desistir” e recomeçar. Segundo: Decidi que nunca mais eu colecionaria momentos frustrantes! Nunca mais, pois eles estavam ocupando um grande espaço na minha vida e isso não estava me fazendo bem emocionalmente. Preferia colecionar momentos felizes e esperar um pouco mais para tê-los, mas nada mais de frustrações e isso mudou para sempre a minha vida e sabe porquê?

Porque deixei de me preocupar com a velocidade e a minha atenção total foi para direção. Tracei um plano, que ajusto com frequência e nestes planos há espaço para muitas coisas, menos para andar mais rápido, pois decidi que o mundo lá fora poderia acelerar o quanto quisesse, as pessoas poderiam até passar na minha frente, pois eu não estava (competindo) com ninguém e depois que construí esta filosofia de vida e a incorporei na minha vida, realmente muita coisa mudou.

Eu conheço onde quero estar e estou atento ao caminho que às vezes tem pedrinhas, às vezes tem muros altos e algumas vezes tenho que parar e olhar, sentir, às vezes até pedir opiniões, ver rotas alternativas e está tudo certo, desde que eu não tenha pressa para chegar lá.

Irei confessar aqui uma coisa e espero que compreenda MESMO o que eu direi! Quase 100% das pessoas que eu atendo, seja em consultório, seja online possuem queixas diferentes umas das outras e isso é normal, porém pode afirmar que 98% delas estão ligadas no piloto automático e a única coisa que enxergam é a sua necessidade de urgência e não percebem que um dos desafios delas é aprender a tirar o pé do acelerador e respirar mais fundo.

Às vezes a cabeça dá um giro e são pensamentos vindo de vários lados que se misturam com o que os adultos nos disseram uma dia na infância, com o que dizem hoje e tudo isso junto se envolve com as nossas crenças, com as crenças das pessoas mais próximas que possuem opiniões fortes ou nem tão fortes assim. Este mix nos confunde e não queremos errar e a minha sensação é muita clara em relação a isso. Parece que temos medo de errar ou das consequências que as más escolhas vão nos trazer, não sei….

Este palestrante que ouvi ontem é Mexicano e coordena uma organização com mais de 2.000 membros. Precisa ter um pulso forte para liderar tantas pessoas e um dos participantes perguntou se ele não tinha medo de ficar pra trás e a sua resposta foi linda!!! Ele disse que isso só seria possível se ele tivesse competindo com alguém e que um dia ele estava neste mercado das competições e hoje compete apenas com ele mesmo.

Eu vivo dizendo aqui que não tenho concorrentes e recomendo meus amigos Miguel cocco, Alberto Lopes, Pedro Vieira. Eu gosto imenso de falar de outros profissionais, pois acredito que as pessoas precisam estar com eles, comigo ou com quem transmitir a energia certa naquele momento e eu já joguei um dia no campeonato de ser o bom, o melhor, de sair na frente e até ganhei alguns campeonatos, perdi outros e aprendi a jogar comigo, para o meu prazer, para o meu divertimento. Isso me transformou absolutamente e sou grato dia sim e outro também por isso.

E o melhor é que só acontece desta maneira por eu estar mais preocupado com a minha direção! Quando o foco estava na velocidade, lá queria eu saber de nada… Apenas avançar e pronto e hoje, nada disso é importante. É óbvio que amo ultrapassar cada uma das fases, amo cada vitória que conquisto, porém para eu ganhar ninguém precisa perder e às vezes quando o campeonato esta difícil, puxo um dos meus parceiros para perto e vamos avançando juntos, conquistando e nos separando em algum momento e também esta tudo certo. Um dia de cada vez vamos conquistando momentos de aprendizagem e aumentando a oportunidade de partilhar com mais e mais pessoas, como estou fazendo aqui agora.

Quer ir mais rápido MESMO? Ou prefere ir na melhor direção?

Share

De quem é a CULPA? – 118/365

Dicas Terapêuticas

Ontem caminhei pela manhã cerca de 1 hora num ritmo muito acelerado e voltei num ritmo menor. Isso fez-me chegar exausto no hotel onde estou. Passei no mercado, comprei um fardo de água e quando tendo abrir a porta do quarto, a chave magnética não funcionava.

Bom, vi que no fundo do corredor tinha uma camareira e pedi a ela para abrir a porta. A mesma recusou e disse que eu deveria ir à recepção porque… Nem ouvi o porquê e virei as costas já chateado e fui com aquele peso todo. Ao chegar lá e para a minha alegria, a recepção estava cheia. Acredite que naquele instante eu só pensei : “DEFINITIVAMENTE hoje não é o meu dia”, pousei a água e fui mexer no celular. Logo abrir a minha live de domingo e aquela cena entrou na minha mente em segundos….

Tomei uma respiração e imediatamente mudei o meu humor, até ri na fila (Juro) e comecei a pensar…. De quem é a culpa? Eu caminhei porque quis e foi ótimo fazer aquilo, a recepção já tinha me orientado que a chave não poderia estar perto do celular e ficou no mesmo bolso, a camareira só estava fazendo o seu papel e porque eu estava permitindo ser dominado por uma sensação tão estúpida!

Ainda tinha tempo para o meu compromisso, podia tomar um belo banho, me arrumar e ir com tranquilidade, pois a palestra que eu iria assistir, começaria apenas 4 horas depois, então porque eu estava construindo tudo aquilo dentro de mim?

Ok! Resolvi a questão da chave e voltei melhor, fui para o banho e quando liguei o chuveiro, percebi que não tinha toalhas! Rsrsrsrs…. A camareira, arrumou o meu quarto e esqueceu de deixar as toalhas como fazia todos os dias e naquele momento o que eu senti? Se pensou (raiva), se enganou! Senti que tinha ali uma oportunidade para pedir desculpas e fui atrás dela, pedi toalhas e aproveitei para pedir desculpas e dei a chance dela explicar “ou” terminar a sua explicação. Me despedi levando na minha mente o sorriso dela e a sensação de alívio de ambas as partes.

O dia foi incrível! Teve os seus pontos baixos e os seus pontos altos, porém penso que foi MESMO sensacional a oportunidade de me tornar consciente naquele momento e espero que releia por favor esta frase: “A oportunidade de me tornar consciente naquele momento”. Isso realmente é um presente do Universo, pois quantas cenas passamos e não nos tornamos conscientes? Quantas vezes uma palavra ou a ausência de uma palavra, não constrói um cenário perturbador em nossa vida, ehh?

Não sou nenhum santo e penso que estou consciente em todas as minhas atitudes, mas quanto mais fico, mais percebo o quanto isso me ajuda a compreender certas sensações. Talvez você entenda exatamente o que estou dizendo e talvez esteja nesta fase e já começa a compreender. O facto é que a cada dia me sinto melhor por perceber que algumas coisas dentro de mim estão mudando e aos poucos vou transformando a minha vida e das demais pessoas.

Espero de coração que você também enxergue este processo e comece a cada dia a ficar mais consciente.

Share

Eu NÃO estou sozinho. Estou COMIGO! – 116/365

Dicas Terapêuticas

Hoje durante a minha caminhada, eu estava pensando sobre uma mensagem que recebi de uma amiga que li antes de sair para caminhar. Nesta mensagem ela se mostrava muito preocupada comigo, dizendo que “sente” que estou muito sozinho e fica preocupada comigo. No momento que li fiquei feliz em saber que ela se preocupa comigo e é sempre bom termos pessoas preocupados com o nosso estado emocional. Porém fiquei pensativo com qual a imagem que estou passando para ela pensar que estou sozinho?!

Eu não estou sozinho! Eu estou comigo e não pode existir melhor companhia do que a nossa, não acha? Estarmos connosco é estar em uma ótima companhia. Eu confesso que adoro estar com pessoas, porém estar apenas comigo me faz realmente bem, muito bem. Quando estou apenas comigo, tenho altos diálogos, alguns são tão profundos que às vezes termino-os com altas gargalhadas e já tive momentos que terminei sentado no chão da minha sala a chorar até não ter mais lágrimas e foi bom, pois não chorei sozinho, chorei comigo!

Ouço muitos clientes se queixarem de solidão e insisto sempre com eles que devem olhar para dentro e perceberem que estar com eles mesmo deveria ser uma experiência agradável, engraçada, saudável e se não for, corremos o sério risco de nos perdermos nos braços de outra pessoa e não por amor, mas por solidão. Uma vez ouvi uma cliente me dizer que é melhor se perder em um braço de alguém que está com ela, do que se perder no vazio de si mesma e isso me chamou muito à atenção. Naquele momento aprendi imenso e aquele tratamento específico enriqueceu o meu aprendizado, pois se perder no vazio são palavras fortes e indicam que ela acredita que existe um vazio e uma vez pensando assim precisaria a qualquer custo preenchê-lo, compreende?

Gosto de acreditar que não podemos viver buscando peças que possam de alguma maneira preencher espaços em nós! Preciso pensar que a cada etapa da minha vida, a cada nível de consciência estas peças são forjadas e eu mesmo preencho um destes espaços. Eu posso a qualquer momento querer estar perto de pessoas e fazer amigos ou manter os atuais, mas nunca para que eles preencham algum tipo de vazio. Jamais!

O mesmo serve para relações amorosas. No momento que ela corre para estes braços que a protegem, ela está assumindo que neles está segura e sozinha, não? E se ele partir da mesma forma que chegou? E se ele morrer, a vida dela voltará a ser um vazio ou ela logo irá em busca de outros braços para confortá-la?

Quando nos propomos a sermos inteiros, começamos a conhecer pessoas inteiras e isso sim faz a diferença em nossa vida. Pode ser que estas duas pessoas inteiras, decidam trocar peças e ai é uma troca justa, pontual e não um “tampa” aqui por favor que está doendo. Não sei se faz sentido para ti o que estou dizendo, mas se não fizer olhe profundamente para a sua vida e responda para VOCÊ MESMO se gosta da sua companhia, da sua presença e se a sua resposta for sim, ótimo! Estamos pensando igual e se por qualquer questão, for a sua resposta for não… Recomendo que comece a cuidar disso, pois não se preenche “solidão” com distração.

A distração em ajuda a rir, me faz dar gargalhadas e adoro me distrair, porém quando o assunto sou eu, levo isso muito a sério e não tem ansiedade que me faça agir por impulso e mergulhar em nenhum processo que hoje me traga alívio hoje e sofrimento amanhã, que me traga conforto momentâneo e desconforto eterno. Por favor, não estou dizendo que ter alguém em sua vida é ruim, ok? Apenas dizendo que pode ter tudo, aliás, pode ter aquilo que desejar, desde que NÃO seja para preencher um vazio que nem você consegue explicar.

Eu entendo a preocupação da minha amiga, mas ela não tem que se preocupar, pois como eu disse, eu estou comigo! Estou bem acompanhado e gosto de sentir a minha vida, adoro estar com os meus pensamentos, amo o silêncio que tenho para escrever, para criar, para desenhar, para mergulhar e poder ajudar as pessoas que me procuram. Isso não significa que às vezes não corro para falar com um amigo e marque algo mais presencial! Porém é claro e muito claro dentro de mim que não estou sozinho.

Espero que o seu domingo seja fantástico, cheio de bons acontecimentos e que esteja na melhor companhia (primeiro), para só depois estar em outras melhores companhias!

Lembre-se que hoje é domingo e isso significa que temos Live Terapêutica! 17h no Brasil, 21h Em Portugal.

Até já!

Share

Palavras sábias da mamãe (Só que não) – 115/365

Dicas Terapêuticas

Se você já assistiu mais de uma palestra minha, é muito provável que já tenha ouvido eu falar sobre a minha mãe, inclusive agradecer por ter sido a mulher que foi. Porém nem todas as palavras da minha mãe contribuíram para eu ter uma vida boa e apesar de acreditar que ela não teve nenhuma intenção negativa, com certeza algumas vezes ela orientou a minha mente inconsciente e isso contribuiu de alguma forma para a construção de algumas crenças.

Quando falo assim abertamente sobre as programações dos nossos pais, jamais é para denegri-los, ok? Mas para informar a sua mente sábia que não precisa carregar para sempre tudo o que aprendeu como verdade absoluta, pois algumas destas verdades já mudaram e outras nunca foram verdade mesmo, por mais inocentes que pudessem parecer podem nos afetar.

Outro dia uma cliente de 56 anos, me contava que até aos dias de hoje ela lembra da voz da sua mãe dizendo que nenhum homem prestava e falava isso olhando em seus olhos. Depois dos seus longos discursos, ela finalizava com a frase “Inclusive o seu pai e o meu pai” e segundo esta cliente, ela ouviu tanto esta frase que perdeu a conta. Para piorar, ela tem uma lembrança da mãe dizendo “cuidado com os homens” pouco antes de morrer.

O facto é que ela deve ter tido todos os motivos e mais alguns para falar desta maneira dos homens e não estou a questioná-la, mas a maneira como ela implantou isso na mente da filha dela é que foi forte demais e hoje a filha de 56 anos, solteira só quer ser feliz e não sabe por onde começar, já que nunca beijou um homem.

É mais comum do que você possa pensar programações vindas dos nossos pais que até hoje de alguma maneira se refletem em nossa vida. Se prestar atenção vai logo encontrá-las e perceberá padrões que hoje, muitos anos depois, se repetem exatamente como a sua mãe dizia ou como lembra dela fazer!

A minha mãe me acordou inúmeras vezes, me dizendo “Acorda! Passarinho que não deve nada para ninguém, já está acordado há muito tempo cantando”. Depois cresci com a minha mãe gastando sempre muito mais do que podia pagar e sempre em meio a dívidas. Quando cresci me tornei um especialista em quê? Claro! Em me endividar…. Gastava mais do que ganhava e demorei anos para compreender porque agia daquela maneira e conscientemente percebi que fui “educado” daquela forma, mesmo de maneira indireta.

É brutal, como podemos alterar alguns comportamentos, quando compreendemos o seu mecanismo! Pode ser que demore mais ou seja mais óbvio e dependendo do seu mergulho no assunto, a sua mente logo começa a ligar os pontos e no final nos sentimos tolos por não termos feito isso antes. É mesmo engraçado, pois vivemos tão ocupados ou distraídos que nem nos damos conta que temos em muitas partes dentro de nós os ensinamentos da mamãe, do papai e daqueles que elegemos como educadores.

Outra máxima é quando lembro da minha professora de geografia. Ela ria pra mim e dizia que eu não sabia escrever, que jamais conseguiria fazer um bom trabalho e durante muitos anos, me sentia mesmo bloqueado para escrever, tinha imensa dificuldades de colocar no papel aquilo que vinha na minha mente. E hoje? Nem preciso comentar, né? Mesmo algumas pessoas criticando a maneira como escrevo, eu hoje escrevo todos os dias e amo deixar fluir… Porém isso só se tornou possível depois que eu compreendi.

E se você iniciasse uma viagem mesmo à sua infância e lembrasse de coisas que a sua mãe te dizia, quantas destas coisas, sinceramente definiriam as suas atitudes no momento presente? Quantas delas ditas diretamente a você ou mesmo observadas através de seus comportamentos?

A minha mãe foi uma guerreira, criou 3 filhos praticamente sozinha e aguentando um homem alcoólatra (Meu Padrasto) que nos deu sim, momentos bons, mas deixou marcas também na minha infância, principalmente na dos meus irmãos e cresci acreditando que trabalhar muito era o ideal. Pode achar que tudo isso é mesmo bom, mas com o tempo percebemos que quando fazemos muito uma coisa, significa que estamos deixando outras de lado e isso não é nada bom.

Apesar de ser um assunto muito pessoal e complexo demorei muitos anos para perceber que a vida não era composta apenas de trabalho e trabalho e a seguir um pouco mais de trabalho. É claro que de alguma maneira isso criou lacunas em outras áreas da minha vida que até hoje venho concertando, como a relação com os meus filhos. A culpa é toda da minha mãe? Claro que não e jamais a culpei, mas cresci vendo-a fazer exatamente a mesma coisa e até há pouco tempo ainda ela estava lá agitada querendo fazer 10 coisas diferentes para colocar mais um pouco de dinheiro em casa.

Não quero dramatizar a minha vida (Longe disso) e nem quero que você dramatize a sua (Por favor), mas que vale a penas mergulhar um pouco nestes comportamentos, palavras, sons, ahhh isso vale, pois às vezes basta compreendermos um padrão para conseguirmos interrompê-lo. Algumas vezes junto com meus clientes, descobrimos um detalhe tão pequeno e simples, porém quando mudamos aquele padrão, tantas coisas mudam que parece mais que resolvemos um daquelas enigmas de Sherlock Holmes.

Juro que não sei porque as pessoas têm a ideia de que as suas vidas têm falhas. Grandes factos aconteceram e as levaram a ter a atitude que tiveram. Às vezes nem é tão grande assim, mas a necessidade de algumas pessoas faz com que o facto se torne num daqueles filmes campeões de bilheteria, enquanto na verdade nem filme foi, muito perto um roteiro amador sem muita importância, mas o suficiente para criar uma marca. Entender o que houve e diminuir o grau de importância para o grau real, pode mesmo mudar completamente tudo.

É apenas uma dica terapêutica e para alguns será uma revelação e tanto, mas que ajudará a compreender tantas coisas e que depois disso muitas feridas internas irão se curar e padrões serão MESMO abandonados. Para outras pessoas, será apenas um texto com quase 10.000 palavras.

Seja como for, tem aqui algo que pode somar no seu processo de evolução e se quiser contar abaixo nos comentários, sobre os seus padrões como eu fiz, fique à vontade. Eu adoro ler os comentários e também pode partilhar “se” fizer sentindo ajudar outras pessoas a encontrarem respostas.

Até amanhã!

Share