Posts

Lápis de cera, papel e uma segunda qualquer – 15/365

Você até pode usar o lado esquerdo do seu cérebro e pensar assim: “Lápis de cera? Como assim? Hoje é segunda-feira, início de semana, responsabilidades e ele começa uma dica assim? Ou pode usar o lado direito e pensar: “uebaaaa! Vem coisa boa aí!” e também pode apenas deixar a sua criança grita: “Eu querooooo! Pode desenhar na parede? “ Rsss!

Antes de mergulhar na minha contribuição de hoje, digo que poder desenhar na parede pode, mas não convém, ok?! (Risos).

Eu acredito MESMO que em uma segunda qualquer, podemos olhar no espelho e decidirmos enxergar a nossa criança interior! Podemos deixá-la sair cá pra fora e guiar um pouco a nossa vida! Eu atendo muitas pessoas (todos os dias) e ouço estas pessoas atentamente e sempre (SEMPRE) me pergunto porquê estas pessoas insistem em serem tão adultas! Porque franzem a testa com tanta expressão, porque respiram fundo e carregam o peso das lamentações por toda uma vida? Cadê as suas crianças internas?

Eu sei que algumas destas crianças até não tiveram uma boa infância! Sei que algumas até possuem mais motivos para chorar do que sorrir, mas tenho ABSOLUTA certeza que todas elas no fundo mesmo querem brincar, querer curtir, querem se aventurar, querem rir. Elas querem dar gargalhadas altas sem ninguém reclamar, elas querem comer gelado, escrever no espelho, fazer caretas na rua e andar saltitando, pisando nos quadrados brancos e pulando os pretos.

Deixa sair! Vamos libertar estas crianças! Vamos deixá-las gritar um pouco, vamos contar piadas para elas, levá-las para comer gelado mesmo em um dia de inverno! Onde está a graça de sermos sempre corretos, limpinhos bonitinhos e (SÓ) fazermos para agradar? Crescemos ouvindo que devemos nos comportar, sermos bonzinhos e que a criança deve ser boazinha ou comportadinha?

Ahhh Por favor, né? Vamos comprar lápis de cera e papel e em uma segunda-feira de manhã ou numa quarta à noite vamos desenhar os nossos sonhos e mesmo que ache que o seu desenho será no final apenas alguns rabiscos coloridos, vamos fazer! Se eu perguntasse à sua criança de 5 anos se ela queria desenhar, acho que ela ia dizer que “JÁ” é um artista e desenharia sem medo, sem vergonha e sem pensar no que você iria pensar sequer.

Presta atenção aqui SrºAdulto, SrªAdulta!

Esta vida, esta mesmo que você esta vivendo agora, ela só acontece uma única vez! Podem até existir outras vidas, outros planos, outras ideias, mas (esta aqui) não vai se repetir nunca mais, então toma um pouco de coragem, deixa um pouco a vergonha de lado e foca em vivê-la e não apenas queira existir!

Imagine quando estiver nos seus últimos dia de vida… Ou melhor, quando estiver nas suas últimas horas de existência… Quer olhar para trás e sorrir? Ou quer derramar uma lágrima? Quer contar aos seus netos como eles podem ser mais felizes?Ou quer dar todos os conselhos para eles seguirem, tudo o que nem de perto conseguiu fazer?

Não importa a cidade onde está, não importa a sua idade, sexo, estado civil! Não importa o quanto dinheiro tem no banco, se é alto, baixo, gordo, magro! Nada disso importa! A única coisa que importa é desenhar, pintar, colorir…

Eu quando fiz este exercício, sentei na sala da minha casa, coloquei uma série de músicas que adoro e resolvi brincar e apenas brincar. Pintei as folhas, sujei as mãos, manchei uma camiseta e está tudo certo. Foram horas perfeitas, distraído mas não distraído porque me perdi, mas porque de alguma forma me encontrei.

Bora lá? Não estou falando com você adulto! É com você criança.
E se a sua criança aí (Interna), está me ouvindo, diga “eu touuuu! Touuu sim!!!

Share

Era uma Vez…

Num castelo distante, numa cidade encantada, vivia lá uma princesa! Com seus lindos cabelos longos e criadas cuidando dela. Diariamente ela passeava pelo jardim, cheirando as rosas e aproveitando o agradável clima que era sempre delicioso, tropical e as nuvens raramente se faziam presentes….

Esta princesa esperava o seu príncipe, que, com certeza, chegaria um dia montado no seu cavalo branco, vestindo um lindo traje branco com toques dourados e uma bela capa clarinha….

Okok!

Sabemos como estas histórias acabam, né? “…E eles foram felizes para sempre!” Sempre achei lindo histórias que acabam com todos feliz, música emocionante e lágrimas a rolar, mas…. (às vezes tem um mas, né?) mas nem sempre as histórias são assim! Às vezes depois do foram felizes para sempre, vieram filhos, alguém perdeu o emprego, entrou em depressão ou teve uma crise de ansiedade….rs

A dica terapêutica de hoje é sobre histórias lindas e realidades autênticas. Não quero (jamais) destruir a sua ideia de vida perfeita, mas sim mostrar que podemos viver dentro de uma realidade linda e fazer o melhor com o que temos, sem ter que esperar o príncipe encantado de cavalo branco chegar, entende?

Esta semana no meu consultório de Lisboa, uma cliente me disse que sofria pois não vivia a vida perfeita. Fiquei muito curioso com o que seria “a vida perfeita”? Ela respondeu: “Acordar de manhã e a mesa do pequeno almoço ter sido colocada pelo meu marido, ter frutas e ovos mexidos, meus 2 filhos estarem na mesa comendo e falando sobre como vai ser o dia deles…”. No momento fui ouvindo aquilo e lembrando daqueles comerciais de televisão de margarina, sabe? Já assistiram algum? A música, o cenário, as pessoas… Tudo lindo, perfeito e bem construído para dizer para a sua mente que ao comer “aquela” margarina a felicidade e harmonia se farão presentes. Rssss

Não estou dizendo que este cenário não pode existir na sua vida, no seu lar! Atenção! Apenas estou dizendo que pode ser feliz sem ter que idealizar o cenário perfeito! Pode acordar, tomar um belo banho, já no chuveiro fazer uma bela mentalização que o dia será perfeito e ir preparar o pequeno almoço ao som de uma bela música! Se tiver o mínimo de organização, pode ter sempre ovos mexidos em casa e frutas.

As pessoas não fazem muitas coisas, não é porque não podem fazer, mas porque o “fazer” às vezes as tira da sua preciosa zona de conforto e elas preferem ficar onde estão reclamando, do que ir e fazer! Eu acordo todo os dias antes das 6h da manhã e quando falo isso alguns levantam a sobrancelha, espantados, outros até perguntam se estou louco! Hahahahaha!

Mas adoro! Já no banho estou idealizando meu dia, depois é fone de ouvido e música, enquanto preparo o meu café e gosto mesmo de deste ritmo assim tranquilo de manhã. Acredite que este momento é mega importante para eu carregar as minhas baterias e organizar todo o meu dia!

Histórias lindas e perfeitas são realmente para arrancar lágrimas e nos fazer sentir bem, agora se deseja que elas se repitam em sua vida, ok! Faça por isso! Mas lembre-se que não pode querer que todos façam exatamente o que quer! As pessoas têm vida própria e elas agem de acordo com as suas próprias emoções! Não posso forçar os meus filhos a sorrir à mesa do café para satisfazer uma vontade minha, entendeu?

Faça a sua parte e com os recursos que possui, com a sua realidade atual e pode SIMSIM fazer com que esta realidade seja uma feliz realidade! Construa a sua própria história e deixe que ela seja mesmo encantadora, cheia de beleza e possa até te emocionar, mas não cruze (por favor) os braços esperando que o príncipe encantado entre pelos portões da sua vida em seu estiloso cavalo branco.

Construa com sabedoria a sua vida, as suas histórias e lembre-se que esperar pelo o momento ideal é assumir que está adiando a sua felicidade, deixando para depois e acredito que “até” pode ser mais cómodo esperar que a felicidade venha até nós, porém abandonar a zona de conforto e ir MESMO além, fará “A” diferença na sua vida e como sei disso? Diariamente faço a diferença em vida e na vida de 5, 6 pessoas por dia em meu consultório!

Então, “Era uma Vez uma pessoa que leu uma dica terapêutica e respirou fundo e disse para si mesma que naquele dia começaria a escrever a sua história e que ela não teria apenas um final feliz, ela teria vários momentos felizes, começando agora!”

#dicaterapêutica #ericpereira #hipnose #coaching #pnl #resultado#umpensamento

Share