Sou MESMO arrogante e daí? – 209/365

Eu sou um cara que adora analisar a minha vida e de tempo em tempo passo algumas horas analisando os meus pensamentos, atitudes, gosto de perceber o meu comportamento. Aprendi isso durante estes 18 anos atendendo em consultório com os meus clientes. Graças a eles aprendi a olhar com mais atenção para mim e esta semana estava analisando como às vezes sou arrogante!

Uma definição de “arrogante” é uma característica negativa de um indivíduo que carece de humildade, que se sente superior aos outros. Ser arrogante significa ser altivo, prepotente, ter convicção que é expert em vários assuntos.

Hummm…. Na verdade, pensando bem eu não sou uma pessoa arrogante, mas às vezes tenho a sensação de que “transmito” esta (falsa) mensagem a algumas pessoas e alguns até me chama assim. Gosto de pensar que quem me conhece melhor sabe que não sou nem um pouco arrogante e que não sou o tipo de pessoa que acredita que domina vários assuntos, mas sou um eterno estudioso e curioso e isso me faz mergulhar mais vezes em temas que a maioria simplesmente ignora.

Porém, como é meu hábito fazer esta análise, a sensação que tenho é que muitas pessoas acreditam nisso e comecei a pensar porque é que elas podem me ver desta maneira. Entre alguns dos motivos, o que se destaca pra mim é a minha autoestima e confiança que são mesmo qualidades que faço cada vez mais questão de acentuar à medida que escrevo, gravo vídeos ou falo publicamente. Isso não tem como objetivo demostrar nenhum tipo de superioridade, mas sim incentivar as pessoas a confiarem mais nelas, pois confio plenamente em mim.

Compreende o meu discurso aqui? Não sei se em algum momento da sua vida teve absoluta confiança de quem é e o que faz diariamente mas eu me sinto muito seguro de quem eu sou e isso me ajuda imensamente a viver a vida que desejo e a ajudar pessoas comuns a se tornarem pessoas extraordinárias. Nem sempre foi assim, já tive dezenas de momentos de frustração e decepção, momentos em que me enganava imensamente e hoje a coisa é bem diferente.

Não sou nenhum arrogante e peço desculpas se em algum momento passo esta imagem, juro que não tenho esta intenção e espero que você também tenha tempo para analisar qual é a imagem que você passa às pessoas e “atenção” este movimento não tem nada a ver com a sua (pre)ocupação do que as pessoas acham e sim de como você se sente com os seus comportamentos.

Eu vivo de acordo com a minha consciência e todos os meus movimentos são sempre visando antes de mais nada o meu bem estar, por isso parto do princípio que para ajudar as pessoas eu preciso antes de mais nada estar bem. É claro que alguns chamam isso de egoísmo e eu chamo isso de congruência, pois eu estando equilibrado consigo ajudar outras pessoas a se equilibrarem e se vivo em sofrimento, se vivo no caos, a minha visão jamais será clara para ajudar outras pessoas.

Analisar com frequência os nossos pensamentos e comportamentos ajuda imensamente a ajustarmos a rota que estamos seguindo e uma vez ajustando a rota, isso pode garantir que chegue com segurança onde deseja. Sei que algumas pessoas defendem a ideia da velocidade, ainda mais neste momento tão urgente que estamos vivendo, mas eu (particularmente) defendo a ideia de ir devagar, de se manter no caminho correto, ajustar a rota de vez em quando e chegar com segurança.

Minha sugestão para você é que crie um hábito de se observar e não digo para fazer isso 24 horas por dia! Não vamos ser paranóicos, ok? A ideia é de tempo em tempo perceber o seu grau de satisfação na vida. Está feliz com seus relacionamentos? Com a maneira como você age com a sua família e como a sua família age com você? Com a atividade profissional que desenvolve?

Olhando minuciosamente para tais comportamentos, conseguimos perceber o resultado que estamos tendo e aos poucos podemos ajustar, eliminar, zerar, recomeçar, construir, aprender, desaprender, aprender de novo e até comemorar por estar sim satisfeito com a maneira como as coisas estão ocorrendo.

Eu durante muito tempo anotava em um diário as minhas ações, escrevi alguns diários e hoje simplesmente anoto no bloco de notas do meu telefone os pontos altos, os baixos e sempre antes de dormir me faço 2 perguntas: “Eric, o que realmente aprendeu hoje? Eric, o que ensinou hoje?”

Existem centenas de maneiras de cuidar de seus pensamentos, das suas ações, de seu comportamento e escolha aquela que for melhor para analisar. Eu amo meditar e penso que aqueles minutos em que estou ali esvaziando a mente, aprendo imenso e aos poucos começo a ter insights importantes e poderosos que me ajudam a encontrar as falhas que devem e podem ser corrigidas para aprimorar a minha vida.

Pode ser que encontre respostas nos seus resultados observando atentamente as suas ações e quem sabe encontre uma maneira de ajustar, corrigir, consertar e com isso a vida fique muito, muito mais interessante e feliz.

Desejo um dia de reflexão e bons mergulhos para você.

Share

66total visits,1visits today

Comments

comments