Lembranças que fazem bem – 219/365

Eu tenho um hábito de acordar, sentar na cama, colocar meus fones de ouvidos, ouvir um mantra e meditar, depois banho e vou tomar um belo café. Normalmente tomo um café lendo meus emails ou vendo as mensagens e hoje peguei a minha xícara e fui para a janela da cozinha, abri a janela e observava os prédios quando senti um cheiro no ar e no mesmo instante as minhas memórias de infância foram ativadas e senti fortemente a sensação de quando íamos almoçar na casa da minha avó!

E não foi nenhum cheiro de comida que me despertou tal sensação, mas o cheiro mesmo do ar que me trouxe a lembrança de São Paulo, do caminho da nossa casa à casa dela, lembrei que sempre que íamos lá a minha mãe ia pelo caminho nos orientando que deveríamos nos comportar e comer direito, dando tantos outros “comandos” que nem me lembro mais.

O fato é que às vezes sabe muito bem lembrarmos de algumas coisas do passado, da infância e fazia tempo que não tinha lembranças tão claras e tão incríveis como estas que tive. Terminei o meu café e cá estou eu escrevendo para você, para falar sobre âncoras e como lembranças como esta podem nos ajudar a melhorar a nossa qualidade de vida e os nossos pensamentos.

Às vezes em consultório me deparo com pessoas stressadas que afirmam que nada sua vida dá certo ou que são azaradas e até que jamais vão ser felizes e quando lhes pergunto sobre cenas da infância ou do passado, a maioria delas se lembra de um fato aqui e outro ali, algumas se entusiasma e ri me contando como (era) bom aquela fase e logo paro tudo e perguntou: “Então, nunca foi mesmo feliz?”

Eu parto da ideia que se conseguimos ultrapassar um desafio uma vez temos dentro de nós a memória, a experiência de como fizemos e a certeza que conseguimos e isso pode ser repetido, então se alguém diz que não consegue vencer tal desafio, buscar na memória delas todos os desafios que ela (já) ultrapassou podem servir como âncora para ela lembrar que este é apenas mais um e não algo desconhecido, compreende?

Esquecemos que fomos inúmeras vezes felizes e “às vezes” nos sentimos em baixo por um período e parece o fim do mundo, porém se buscarmos estas imagens, os sons, as sensações superarmos mais rápido seja qual foi a situação atual.

Me lembrar que estava indo para a casa da minha avó almoçar me trouxe uma sensação boa, uma sensação de família, de outras pessoas reunidas, de pessoas ajudando, somando, falando e isso é mesmo interessante, pois acredito que poderei usufruir desta sensação, deste cheiro por dias e isso me deixa realmente muito, muito feliz.

Então sinceramente se em algum momento se pegar pensativo, dentro de um processo que parece complexo e sem saída, por favor não tenha medo! Não se desespere, não permita que a sua paz seja abalada. Apenas procure sair por alguns instantes do cenário (atual) e lembre-se que um dia você já viveu cenas que (pareciam) complexas, mas conseguiu superar, conseguiu vencer.

Não conseguimos (resolver) uma questão vivendo na emoção que ela nos traz, muitas vezes precisamos de uma emoção diferente para que as ideias se tornem mais claras, para que se tornem melhores e com certeza buscar lembranças de momentos agradáveis ajudam a melhorar a sensação do seu corpo e ali naquele estado bom a solução ganha mais poder, ganha mais clareza.

Tenha boas lembranças!

Share

96total visits,1visits today

Comments

comments