Jogar comida fora é gozar de quem passa fome 207/365

Hoje eu estava no Metro vindo para o consultório e pensando que estava na hora de voltar a escrever as minhas dicas terapêuticas como fazia antes (diariamente) e lembrei de algo que aconteceu há pouco tempo que mexeu muito comigo e quero dividir com você. Acredito que se ler até o final perceberá quão rica pode ser esta dica para a sua vida.

Fui pegar um táxi na saída do shopping e, além de ter em mãos as compras, tinha um estendal de alumínio e quando pedi ao taxista para abrir a mala atrás ele disse que não cabia ali e ok, fui colocar no banco de trás e ele super estúpido, gritou que não podia levar e mandou-me para o carro de trás. O taxista do carro de trás também não deixou e me ignorou (me deixou falando sozinho). Me aproximei do terceiro, perguntando se cabia no táxi dele. O motorista era um Angolano, que estava vestido de social com uns suspensórios coloridos, até engraçados, e a resposta dele foi exatamente esta: “Senhor, se não couber atrás colocamos no banco sem nenhum problema. Sou é muito grato por ter a oportunidade de fazer esta corrida e ganhar mais algum dinheiro para ajudar a minha família.”

No trajeto do shopping para a minha casa fomos conversando e eu agradeci a ele por nos ter ajudado e ele começou a dizer que veio de um lugar onde ele acordava às 4h para trabalhar e mesmo assim nem todos os dias tinha o que comer e que sabe na pele o que é não ter dinheiro e passar fome e por este motivo valorizava a sua vida. Eu juro que aquilo mexeu comigo, pois até (EU) às vezes não valorizo algumas coisas. Na conversa ele contou que um dia derrubou a comida, mas pegou tudo e comeu depois. A sua esposa ficou brava e ele disse: “Jogar comida fora é gozar de quem passa fome”. Naquele segundo, os meus olhos encheram-se de lágrimas .

Escolhi falar sobre este taxista que nem sei o nome, pois foi uma experiência que me marcou, cheguei a falar com a minha esposa de como me senti mal, já que até aquele dia eu desperdiçava comida ou deixava algumas frutas se estragarem. Aquela frase entrou na minha mente como uma tatuagem e se pensar comigo às vezes não somos gratos pelo trabalho que vem, que nos alimenta, às vezes desperdiçamos comida, água, dinheiro e até tempo, que na minha opinião é uma das moedas mais raras e caras que existe.

Naquela semana fiz uma reflexão sobre várias coisas e fiquei mesmo pensando no que poderia melhorar na minha vida para não desperdiçar aquilo que eu tinha, pois valorizo muito o meu trabalho, o meu dinheiro, o meu ganha pão, mas tenho consciência de que desperdiço muitas coisas “OU” ganhei consciência com a ajuda daquele homem que em 10 minutos me deu uma verdadeira lição.

Minha pergunta aqui é: Você desperdiça algo em sua vida? Comida, água, dinheiro, tempo? Depois desse episódio atendi 4 dias no Instituto do Funchal e perguntei a alguns clientes sobre o que eles desperdiçavam e uma delas disse que nesta perspetiva ela desperdiçava apenas tempo, mas no dia seguinte recuperava. Na verdade entendi a sua visão, mas tempo não se recupera (jamais) e basta falar com alguém que está doente ou que possui uma doença terminal, que a maioria responde que gostaria de ter mais tempo, alguns até dizem que se pudessem voltar anos atrás mudariam completamente as suas vidas, se dedicariam mais à família, trabalhariam menos e se divertiriam mais.

Olhe com atenção para a sua vida! Observe com carinho as suas atitudes e perceba de verdade se desperdiça algo. Se a sua resposta for sim, procure ver como pode aproveitar melhor (aquilo) que está desperdiçando! Se for comida, quem sabe aproveite melhor os alimentos ou quem sabe faça menos. Se for água, existem centenas de maneira de utilizar melhor no banho na hora de lavar a louça e por aí vai…

Agora se for tempo, aiaiaiaia, este vai e nem percebemos! Então lembre-se que todos nós temos as mesmas 24horas em todo o mundo e algumas pessoas se organizam melhor por fazerem uma lista de prioridades e outras se perdem com tanto a fazer e nada sendo feito. Existem aqueles que acumulam tarefas, procrastinam tudo e no final não alcançam nem de perto o que realmente precisam para serem mais felizes.

Eu por exemplo escolho acordar uma hora mais cedo para dedicar 60 minutos da minha manhã a escrever e quando escrevo uma dica em 30 ou 40 minutos, aproveito para fazer frases ou outras mensagens e ir postando durante o dia ou semana. Aproveitar bem o tempo, aproveitar bem tudo nesta vida pode ser uma das chaves para sermos mais felizes e claro que esta é apenas uma dica, uma opinião e quem sabe pode ajudá-lo a transformar algo e quem sabe este algo pode ajudar a transformar todo o restante.

Enfim, mais uma dica terapêutica e espero que some em sua vida!

Já sabe, né? Pode partilhar para que os seus familiares e amigos leiam e pode também deixar o seu comentário abaixo.

Share

94total visits,2visits today

Comments

comments