12 – Construção de metas para 2019

Metas e Estruturas para 2019

Hoje quero falar um pouquinho sobre um cara que sigo e gosto de suas ideias! Derek Sivers, um empreendedor norte-americano que focou conhecido por ter fundado a CD Baby, uma loja online de DCs para músicos independentes.

Sua empresa se tornou poderosa na web com mais de 150.000 clientes músicos e com mais de U$$100 milhões em vendas e você pode estar se perguntando o que a vida de Derek tem a ver com a nossa ideia de metas e estruturas? É que queria que conhecessem um pouco sobre ele antes de falar sobre uma das suas palestras super interessantes chamada: “Guarde as suas metas para si mesmo” onde o empreendedor traz um estudo que realmente faz todo o sentido “e” toda a diferença!

Acredito que a maioria das pessoas adoram contar em voz alta as suas metas para as pessoas! Ainda mais agora com tantas redes sociais que têm como principal objetivo (compartilharmos) pensamentos, cada dia mais vejo pessoas contando que vão abrir um negócio ou que até dia 30 eliminaram 10 kilos.

E muitas vezes nos sentimos muito bem em falarmos, em compartilhamos informação com as pessoas, principalmente com as que gostamos que são mais íntimas e gostamos da sensação dos sorrisos, dos elogios. Muitas pessoas relatam que quando contam as suas metas elas se sentem melhor, parece que começam a fazer parte da sua identidade, né? Nos sentimos mais próximos dela, até parece que já demos alguns passos.

Bom, mas segundo Derek, deveríamos mesmo é ficar de boca fechada e a maneira como ele fala me lembra uma outra palestra que assisti onde o renomado professor dizia que o “SEGREDO” do sucesso real é o SEGREDO”. Ele ainda afirma que aquela sensação agradável, torna-o menos propício a realizá-lo. Repetidamente, testes psicológicos provaram que contar a alguém a sua meta torna a sua realização menos provável.

Então fica o alerta aqui que sempre que tiverem uma meta, há alguns passos a serem tomados, alguns trabalhos a serem feitos para realizá-la. Quando você conta a sua meta para as pessoas e elas começam a reconhecer, psicólogos descobriram que isso se chama “realidade social”. É como se a mente fosse (iludida) a sentir que já está feito. E então, já que sentiram essa satisfação, ficam menos motivados a realizar o trabalho que realmente deveria ser feito (na prática).

Talvez isso possa contradizer a sabedoria convencional de que deveríamos contar nossas metas aos nossos amigos para que eles nos mantenham focados e pensando na ideia dos amigos protetores e “até” aqueles super incentivadores e parceiros, sei que tem aqui motivos para não acreditar no Derek e nem em mim que penso da mesma forma, mas vamos ver alguns estudos, pois contra factos não há argumentos.

Em 1926, Kurt Lewin, fundador da psicologia social, chamou isso de “substituição”. 1922, Vera Mahler descobriu, quando algo era reconhecido pelos outros, ele parecia real na mente. Em 1982, Peter Gollwitzer escreveu um livro inteiro sobre isso e em 2009, ele realizou alguns novos testes que foram publicados.

Preste atenção aqui por favor!

163 pessoas através de quatro testes separados – cada um escreveu a sua meta pessoal. Metade anunciou à sala os seus compromissos com as metas, e metade não anunciou. E tiveram 45 minutos para fazer um trabalho que os levaria diretamente à realização das metas, mas lhe disseram que poderiam parar a qualquer momento. Aqueles que ficaram com as bocas bem fechadinhas trabalharam todos os 45 minutos, em média, e quando lhes perguntaram depois, disseram que sentiam ainda longe de atingir as suas metas.

Porém, aqueles que tinham anunciado desistiram após apenas 33 minutos, em média, e quando lhes perguntaram depois, disseram que se sentiam bem mais próximos de atingir as suas metas.

Curioso isso, né? Sei que muitas pessoas também possuem o hábito de dizer que (outras) pessoas tem inveja que colocam “mau olhado” e as crenças não param aí, mas se pensarem cuidadosamente a ideia de construir as metas, estrutura-las e aprendermos a não as divulgar pode simsim garantir um sucesso MAIOR.

A minha experiência diz que na maioria das vezes que anunciei as minhas metas elas não se realizaram e (pra mim) tem todo o sentido, pois como um estudioso da mente creio na teoria que à medida que anunciamos ao mundo ou a um pequeno grupo de pessoas, parece que (já) estamos com ela em andamento e deixamos de nos esforçarmos tanto quanto precisaríamos.

Eu tenho por hábito (nesta fase da minha vida), anunciar pequenas metas e as maiores deixo guardadinha apenas para mim e aos poucos as pessoas vão vendo com os seus próprios olhos, pois também já passei por situações constrangedoras anunciando que ia fazer algo e nunca saiu do campo da “ideia” e quando se faz isso, uma, duas ou até três vezes, a sensação que imprimimos na mente das outras pessoas é que não somos confiáveis e isso também não é bom para você.

Bom, a decisão é sua, mas acredite que vale a pena pensar um pouco sobre manter em segredo os seus segredos e relaxe, o mundo verá o que fez, mas primeiro acredite nas suas ações, coloque a sua melhor intenção, deixe que a energia flua naturalmente e construa metas e caminhos para as realizar com segurança e sem a opiniões alheias.

E se acha que esta dica de hoje foi importante, escreva abaixo 10 se foi mais ou menos 5 e se não foi nada útil, pode colocar um 1. Por favor me ajude a medir o grau de satisfação que está tendo aqui! Isso me ajuda imenso a escrever no dia seguinte.

Share

174total visits,11visits today

Comments

comments